quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

ALGUÉM QUE MAIS ERROU DO QUE ACERTOU



Por Fabio Campos

Texto base: “... não sou digno de toda a bondade e lealdade com que trataste o teu servo. Quando atravessei o Jordão eu tinha apenas o meu cajado, mas agora possuo duas caravanas”. – Gênesis 32:10 (NVI)


Jacó foi alguém que mais errou do que acertou durante sua vida. Quando sua mãe Rebeca foi dar à luz aos gêmeos, Esaú e Jacó – Jacó saiu por último “grudou” no calcanhar de seu irmão (Gn 25.26); por isso lhe foi dado este nome que significa “o que segura o calcanhar, suplantador”.
 
Ele, junto de Rebeca, enganou Isaque seu pai para que pudesse obter o direito de primogenitura, pertencente, de forma legal, ao seu irmão Esaú (Gn 27. 1-29). Por conta deste episódio Jacó teve que fugir de seu irmão e foi para a casa de seu tio Labão, pois Esaú queria matá-lo. Lá ele se casa com Lia e com Raquel, filhas de Labão; como lhe era característico, Jacó também apronta com o seu tio, e se enriquece nas suas custas (Gn 31.1). Entre tantas coisas, Jacó, sem dúvidas, foi um cara que mais errou do que acertou.

Diferente de muitos crentes de hoje, Jacó sabia que não merecia coisa alguma de Deus a não ser juízo. Ele reconhecia suas transgressões. Jamais reivindicou cousa alguma na presença do Deus Santo. Pelo contrário, no dia que soube que esteve, por um momento, face a face com Deus, temeu e agradeceu por ter tido sua vida poupada (Gn 32.30). 

Jacó jamais cantaria alguns louvores entoados nos dias de hoje em algumas igrejas evangélicas, onde é pedido que Deus derrame sua glória (no sentido místico). Os discípulos de Jesus sabiam da seriedade disso, e, assim como Jacó, também temeram (Mt 17.5-6). Se você levar a sério o que está cantando, no entanto, sem sentir temor e tremor por isso, com efeito, você ainda não entendeu o que de fato é a glória de Deus manifesta fisicamente no meio do seu povo. 

Por muito tempo Jacó fugiu de Esaú. Em certo momento, sentiu falta do seu irmão e quis reatar os laços fraternais. Porém, temia que seu irmão, mesmo depois de alguns anos, ainda estivesse furioso. Sagaz como era, Jacó montou um plano de ação (desta vez com um fim nobre, pois queria se reconciliar com Esaú!), mandando a sua frente mensageiros dizendo, com toda humildade, que se submeteria a Esaú na condição de servo. 

Ao receber a notícia, Esaú saiu para o encontro com Jacó, porém levou consigo quatrocentos homens. O que dava a entender é que haveria um duelo. Ao saber disso, Jacó temeu e se angustiou. Sob os riscos de um possível confronto, dividiu seu povo em dois bandos, pois caso Esaú estivesse disposto a se vingar, pelo menos um grupo permaneceria para preservar seu legado. Veja que Jacó não se preparou para um combate; antes assumiu o risco de morrer ao invés de suscitar uma contenda.

Aqui, entretanto, entra a graça de Deus que estava sobre este homem. Mesmo com todas suas falhas e pecados, Jacó orou humildemente ao Senhor, reconhecendo sua própria miséria. Jacó exaltou, acima de tudo, a graça e a misericórdia do Soberano que havia o escolhido ainda no ventre de sua mãe (Rm 9.10-13): “... não sou digno de toda a bondade e lealdade com que trataste o teu servo” (Gn 32.10a).

Jacó não atrelou a sua prosperidade ao seu esforço, santidade ou obediência, mas ao favor imerecido que o Senhor Deus o concedera: “Quando atravessei o Jordão eu tinha apenas o meu cajado, mas agora possuo duas caravanas” (Gn 32.10b). Se fosse por seus méritos, o que ele poderia ter feito com apenas um cajado? 

Não importa a situação que você esteja passando; a graça de Deus é suficiente, pois é Ele quem faz todas as coisas (Fp 2.13). A questão mais importante na vida de uma pessoa não é o quanto de bens que ela possua; ou o quão influente e inteligente ela seja; o fator fundamental na vida de alguém é a convicção testificada pelo Espírito que “a graça de Deus repousa sobre sua vida?” 

Jacó com apenas um cajado juntou duas caravanas; pela graça de Deus, com o pouco que você possui, mesmo que sua força esteja minguada – Deus poderá dar a mim e a você muitos frutos, ainda que tenhamos poucas sementes (pois Ele é quem dá semente ao que semeia).

Outra lição preciosa que podemos tirar desta história é que, não importa o quanto você já falhou. Jacó conhecia muito bem seus erros, e por isso, logo de início orou reconhecendo a sua “indignidade” para com Deus. Aqui está a diferença do homem que possui a graça do Senhor. Ele reconheceu o quão miserável era, e suplica o favor do Deus que tem prazer na misericórdia, Qual não despreza um coração quebrantado e contrito. 

A graça de Deus superabundou na vida de Jacó desde o ventre. Mesmo com todas suas falhas, acusado, Jacó não deixou de orar ao Senhor. O que fica a nós de lição, portanto, é que em Cristo nós temos acesso ao trono da graça a fim de sermos socorridos em momento oportuno, mesmo com todas as fraquezas (Hb 4.14).

Jacó errou bastante, mas ele nunca saiu da presença de Deus, pois sabia que tudo o que de fato precisava se encontrava em Peniel, pelo qual se diz: “... vi Deus face a face e minha vida foi poupada!”


Em Cristo Jesus, considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,


Soli Deo Gloria!
Fabio Campos
______________________________

Curta nossa página fan page e tenha acesso a vídeos, artigos e reflexões de autores cristãos de todas as épocas: https://www.facebook.com/fabiosolafide/?fref=ts

domingo, 18 de dezembro de 2016

RUSSELL SHEDD, UM PRESENTE DE DEUS PARA O BRASIL!

Por Fabio Campos

Texto base: “Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.” – Hebreus 13:7 (AFC)


Você já parou para pensar o que seria da produção teológica da igreja brasileira sem a contribuição do dr. Russell Shedd? O que seria do mercado editorial evangélico sem a Editora Vida Nova e Shedd Publicações? O que seria do academicismo protestante brasileiro sem o legado deixado por este irmão precioso? 

Pare por um instante e reflita nessas perguntas que você acabou ler sobre se o dr. Shedd não tivesse vindo para o Brasil da forma que veio. O que fez este boliviano, nascido de pais americanos, cumprir o seu ministério no Brasil? Eu sei que somente Deus conhece os eventos que poderiam ter acontecido na história (Mt 11.21), mas eu também sei que o pastor Russell Shedd, sem dúvidas, foi um presente de Deus para o Brasil.

No dia 26/11/16 às 0h40 nosso irmão foi morar com o Seu Salvador, Qual ele amou de todo o seu coração, com toda a sua alma, com todas as suas forças e com todo o seu entendimento. Vítima de um câncer, aos 87 anos, O dr. Shedd deixou sua esposa Patrícia, cinco filhos, uma bisneta e milhares de irmãos órfãos no que concerne “dos que nos fala da Palavra de Deus”. Muitos corações foram aquecidos e mentes iluminadas por meio de textos, pregações e livros do amado pastor.

Após um tempo de casados, o casal Shedd que veio de Portugal para ficar apenas um ano no Brasil e acabou fazendo de nossa nação sua moradia para sempre. Por que Deus não permitiu que ele morasse no país que nasceu? Por que ele não ficou em Portugal com sua amada, Patrícia Shedd, no país que fizera, por algum tempo, sua base missionária? Por quê? Será que o dr. Shedd não foi um presente de Deus para país do futebol? Eu não tenho dúvidas que Deus em sua Soberania nos presenteou com o irmão, pastor e teólogo – Russell Phillip Shedd.  

Russell P. Shedd nasceu em Aiquile, pequena cidade boliviana, no ano de 1929. A semente de seu amor pela Palavra germinou já na mais tenra infância, quando menino acompanhava seus pais, Leslie e Della Shedd, ambos missionários, em percursos evangelísticos pelas aldeias da Bolívia. No inicio da adolescência, volta com os pais e irmãos para os Estados Unidos e cursa o segundo grau. Com sede pela Palavra de Deus, o jovem Shedd inicia uma intensa jornada de curso até chegar ao mestrado em Teologia, em 1953, pela Faith Seminary, no estado da Filadélfia. Com 25 anos, conquistou o grau de doutor em Filosofia (PhD) na renomada Universidade de Edimburgo, na Escócia. 

Através de um convite para ser professor no Southeastern Bible College, Birmingham, no estado do Alabama, conhece uma aluna, Patrícia Dunnm com quem viria a se casar em 22 de junho 1957. Ambos eram missionários da Missão Batista Conservadora (antes conhecida nos Estados Unidos como Conservative Baptist Foreign Mission Society). 


Patrícia e Russell Shedd
O casal vai para Portugal em 1959 a fim de lecionar no Seminário Batista de Leiria. Foi nessa ocasião que pediram ao dr. Shedd que o ajudasse no incipiente ministério de literatura conhecido como Edições Vida Nova. O dr. Shedd, homem bem preparado para esse trabalho, logo aceitou o desafio.

No entanto, surgiu uma nova oportunidade para a Vida Nova: ciente de que no Brasil a população evangélica era bem maior, além de que também compartilhava da língua portuguesa e oferecia baixos custos de produção editorial, a família Shedd aceita a proposta, como é dito nas palavras do próprio Shedd: “A diferença entre publicar no Brasil e em Portugal pagaria a viagem da família inteira para cá e nossa permanência durante um ano no país e ainda sobrava dinheiro para custear a viagem de volta!”1 Na época o pastor Shedd tinha com Patrícia três filhos pequenos: Timothy, Nathanael e Peter. 

Russell e Patrícia ficariam no Brasil apenas temporariamente para estabelecer a filial, talvez uns dois anos, e depois voltariam para Portugal. Em 1962, o casal Shedd chega de navio pela primeira vez ao Brasil. Richard e Barbara Gibbs, colegas da Missão, recordam-se do dia em que recepcionaram a família Shedd no porto de Santos: “Foi um grande dia. Mal sabíamos como eles iriam abençoar a nós e ao Brasil inteiro. Louvamos a Deus pelo seu ministério fiel e contínuo”.2

Com dois empresários brasileiros, Dino e Silas Gonçalves, que se prontificaram a ajudar na organização da editora e fornecer os escritórios, o dr. Shedd dá o ponta pé inicial ao projeto. Assim, uma livraria e um escritório foram montados no primeiro andar de um prédio na Rua São Bento, no centro de São Paulo. Na época, a Missão Batista Conservadora emprestou dinheiro para publicar o comentário bíblico e mais nove livros. 

Entre os primeiros títulos surge o interesse em publicar algumas obras do brilhante escritor, C. S. Lewis. O dr. Shedd lembra: “Antes de sair de Portugal, fui a Cambridge pedir a Lewis os direitos para publicar dois livros dele em português. Ele não se encontrava em casa; estava em Oxford dando algumas palestras, então perdemos a chance de conhecê-lo pessoalmente. Mas foi fácil entrar em contato com a editora para conseguir os direitos de “Razão do cristianismo” e de “Cartas do inferno” (publicado pela Martins Fontes como Cartas de um diabo a seu aprendiz) 3. Foram as primeiras obras de Lewis em língua portuguesa. 

Que pena que o encontro não aconteceu, mas Deus sabe de todas as coisas! Imagine ter escutado o dr. Shedd como foi ter tomado um chá da tarde com Lewis? (neste momento me emociono ao pensar nisso).


Foto: Autógrafo concedido pelo dr. Shedd escrito na minha Bíblia, colhido no dia 18/05/11 na Igreja Cristã da Trindade, Jabaquara, onde tive o privilégio de escutá-lo.

Com inúmeras obras publicadas pela Editora Vida Nova e Publicações Shedd, o mestre Russell Shedd nos serviu com o dom que o Senhor Jesus Cristo lhe confiou. Vidas foram transformadas através dos seus escritos; crescemos na graça e no conhecimento de Deus lendo e escutando este irmão. 

No dia 28.11.16 enquanto ocorria o velório na IBEC (Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão), igreja pastoreada pelo pastor Sérgio Lourenço – localizada na Rua Tito 240 – Vila Romana, Lapa; Patrícia, esposa do dr. Shedd, disse: “O meu marido Russell Shedd andou com o Senhor, que sempre esteve dirigindo e o guiando... Por isso, ele teve a disciplina de levantar cedo para Estudar as Escrituras Sagradas, pois o Senhor foi quem deu a ele inteligência e força... Deus quem fez!!!” 4
 
O dr. Russell Shedd prefaciou o livro “Supercrentes” do pastor Paulo Romeiro. O pastor Paulo brinca que, se os crentes tivessem santo, o dr. Shedd seria o santo dos evangélicos. Com efeito, o pastor Shedd é um exemplo de pai, amigo, irmão, pastor, professor a todos nós.

Entretanto, acima de todas as suas virtudes descritas neste artigo, o que fez do pastor Shedd ser quem ele foi, foi sua vida com Deus. Poucos dias antes da sua morte, na iminência de sua partida, o dr. Shedd falou do Evangelho com uma certeza tão convicta, que de fato é impossível pensar que o céu não exista e que o evangelho foi algo criado na cabeça dos homens. Ele disse: (assista o vídeo completo que se encontra no final deste artigo):

“Meus irmãos e amigos, realmente eu não sei o que dizer sobre sofrimento (câncer), por causa do fato que eu nunca sofri quase nada, até esses últimos três, quatro meses. Realmente, é uma experiência muito boa, porque a gente sente se desmamando do mundo e pronto para subir. Graças a Deus, Cristo sofreu em nosso lugar para que nós possamos, também, aproveitar a grandeza do Seu amor por nós […] II Coríntios, 4:16: o sofrimento deste mundo é muito pouco em comparação com aquela alegria que nós sentiremos na presença de Deus”.

Nós que ficamos somos gratos a Deus pelo servo que Ele enviou ao mundo; principalmente por fazer de Sua vontade Soberana que o dr. Shedd ficasse no Brasil. Fica aqui, portanto, minha homenagem a este precioso servo de Deus.


 “Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; intruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.” – Colossenses 3.16 ARA (este foi o texto deixado pelo dr. Shedd na minha Bíblia conforme mostra a foto publicada neste artigo)


Em memória do mestre Russell Phillip Shedd,

Fabio Campos
Soli Deo Gloria!

Assista o vídeo da última aparição do dr. Shedd, poucos dias antes de morrer:


Curta nossa página fan page e tenha acesso a vídeos, artigos e reflexões de autores cristãos de todas as épocas: https://www.facebook.com/fabiosolafide/?fref=ts
_______________________________

Notas e citações:

1 CURTIS, Kregness, & FERREIRA, Rosa. 50 anos de ministério Vida Nova no Brasil, p. 4
2 Ibid, p. 4
3 Ibid, p. 5
4 (Texto extraído da página do facebook do pastor Marcos de Almeida, também pastor da IBEC, postado no dia 28.11.2016 às 14h08).

Referências bibliográficas:

CURTIS, Kregness, & FERREIRA, Rosa. 50 anos de ministério Vida Nova no Brasil; Editora Vida Nova.
Site da Editora Vida Nova artigo Um breve relato da vida e da obra de Russell Shedd