quarta-feira, 12 de outubro de 2016

NADA É MAIS DESESPERADOR QUE CONHECER A SI MESMO!



Por Fabio Campos
  

Um das virtudes do sábio é conhecer a si mesmo.  Mas conhecer a si mesmo, por vezes, é desesperador. “Quantas paixões”! Nossos sentimentos e motivações depõem contra nós. Neste mar revolto chamado mundo, somos penas movidas e agitadas pelo vento. Quanta inconstância há em nós; quão vacilantes nossos pés. Conhecer a si mesmo, sem dúvidas, é desesperador! A menos que você ignore quem realmente você seja ou se acovarde de contemplar a própria face do espelho. 
 
Com efeito, há um jeito de fugir disso; ou seja, olhar a face no espelho e logo se esquecer da própria aparência, criando uma personagem para poder atuar. Aí já não é você, se trata de outro. Alguém criado conforme a sua vontade. Uma réplica mal feita e clandestina. Pior é que tem gente que acredita na própria mentira que ele mesmo a criou. Como pode?

Disto nasce a hipocrisia que nada mais é, segundo os gregos, “desempenhar um papel” representando a si mesmo como outra pessoa e melhor do que realmente é. Quem não tem um pouquinho disto, não é verdade!? 

É duro encarar gênesis 3, a saber, a nossa derrota que ateus e filósofos não arrazoam. Caso não houvesse gêneses 3, de fato, os acusadores estariam certos em dizer que Deus é um ser tirano (responsável pelo mal do mundo), ou que Ele não é Todo-Poderoso (por não refrear o mal), e que, portanto, Ele não existe. Mas a Escritura traz uma teodicéia (tentativa de mostrar que Deus não é responsável pelo mal). A culpa é nossa; toda nossa!, como está escrito: “Por que, pois, se queixa o homem vivente? Queixa-se cada um dos seus próprios pecados” (Lm 3.39). 

O pecado afetou tudo, e mesmo os que receberam o Espírito de adoção não sabem orar como convém orar. O que seria da gente se o Espírito não gemesse em nós e por nós. Somos fracos! Você pode ser um pregador poderoso em palavras; um escritor habilidoso; um teólogo articulado – o seu carisma poderá arrastar multidões. Mas a verdade é que somos pó.

Você pode até ter a lei de Deus na sua mente; mas há outra lei em seus membros guerreando contra o que é bom, santo e perfeito. “Ah, Senhor, se não fosse a Sua Misericórdia ofertada em Cristo – para nos livrar do corpo desta morte”. Se não fosse o Teu Espírito interceder por nós e dentro de nós. Poderíamos fazer, no entanto, longas orações, porém, não como convém. Ele está em nós, ora por nós ao Deus que é sobre nós. Tudo porque Ele sabe: “Somos pó”! 

Quem poderia, portanto, surpreender Deus com a sua performance espiritual ou teológica? Quem poderia dar sequer um conselho a Deus? Quem primeiro lhe deu alguma coisa, para que lhe seja recompensado? 

É sábio conhecer a si mesmo, mas também é desesperador. Por essa razão, homens fogem (através dos seus vícios, sejam quais forem: drogas, sexo, poder, trabalho) de quem de fato são. Mas tudo muda quando este conhecimento se estende ao conhecimento de Deus. Com efeito, a sua glória nos amedronta e o seu juízo nos perturba. Mas o Cordeiro de Deus venceu o mundo por nós.

Por meio d’Ele temos livre acesso apelo novo e vivo caminho, a fim de alcançamos graça e misericórdia nas vezes que precisarmos. Mas quem não precisa de graça e misericórdia? Há algum momento no qual não precisamos deste favor? Até mesmo quando realizamos o que deve ser feito precisamos da graça de Deus para não cairmos no orgulho e ser enquadrado na “virtude” no Diabo.

Nosso Sumo Sacerdote conhece as nossas fraquezas. Ele é aquele que tem prazer na misericórdia e a faz triunfar sobre o juízo. É graça! É sua bondade que nos conduz ao arrependimento e o seu amor leal que nos constrange. Ele é a salvação dos fracos e trôpegos, como está escrito: “Eu habito em lugar alto e santo, mas estou junto do humilhado e desamparado, a fim de animar os espíritos desamparados, a fim de animar os corações humilhados” (Is 57.15 BJ). 

Tenha misericórdia de nós, Senhor; ô Eterno! Lança fora os nossos pecados; afasta de nós as nossas transgressões assim como o Oriente está para o Ocidente. Purifique o nosso coração. Fortaleça os nossos joelhos vacilantes. Nos dê animo para seguir a caminhada e acrescente a nossa fé.

Que Deus nos livre de nós mesmos, pois Ele é a Rocha que jamais foi abalada.]

Em Teu Filho, lanço os meus pecados e cuidados. Dê-me tão somente a sua paz para que contigo eu possa vencer o mundo mesmo sendo quem sou. Que assim seja, amém! 


Em Cristo Jesus, considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,


Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com

Curta nossa página fan page e tenha acesso a vídeos, artigos e reflexões de autores cristãos de todas as épocas: https://www.facebook.com/fabiosolafide/?fref=ts