sexta-feira, 9 de setembro de 2016

12 CONSELHOS BÍBLICOS PARA O TEMPO DE CONFLITO ESPIRITUAL PESSOAL



Por Fabio Campos

A Bíblia traz várias exortações sobre a conduta que devemos adotar quando sofremos injustiças. De fato as inquietações são muitas! Por que o justo sofre e o ímpio prospera? É a pergunta que a filosofia faz constantemente à teologia (teodiceia). 

De forma prática quero abordar doze orientações que o salmo 37 traz aos justos (em Cristo Jesus) para o tempo de conflito espiritual pessoal. Este foi um dos últimos escritos (se não o último) de Davi. O rei já era velho (Sl 37.25). Com efeito, estes conselhos foram entregues por alguém que andou com Deus por uma vida toda. Assim como toda a Escritura – este salmo em especial, entretanto, traz lições preciosíssimas que nos fortalecerá em tempos de conflito espiritual pessoal. Vamos a eles:

1. Não se inquiete por causa do êxito do homem mau e nem inveje o seu desempenho. (v.1)

2. Ainda que tudo não faça sentido; ainda que você se prejudique – persista em fazer o bem. Confie em Deus, sossegue o seu coração e não abra mão dos princípios morais pautados na Palavra de Deus. (v.3)

3. Não concentre sua alegria nas circunstâncias; que sua felicidade esteja constantemente em Deus. (v.4)

4. Empreenda todo o esforço necessário nos afares e deixe os resultados nas mãos de Deus. (v.5)

5. Descanse no Senhor; confie as obras de suas mãos a Ele; tenha paciência quando esperares pela Providencia Divina, sem invejar, no entanto, o sucesso dos trapaceiros. (v.7)

6. Não alimente a raiva; rejeite a fúria quando ela vier; não fique irritado quando as coisas não saírem como você planejou. Isso não lhe trará coisas boas. Se contente com o que você possui de momento. (v.8)

7. Seja generoso mesmo em tempos de adversidades e escassez. (v.21)

8. Afaste-se do mal; seja agente do bem. (v.27)

9. Pratique a justiça ainda que você tenha prejuízos financeiros. (v.28)

10. Fale pouco e, quando falar, fale com sabedoria. (v.30)

11. Aguarde o socorro de Deus; ande em conformidade aos seus mandamentos. (v.34)

12. Ame a paz. (v.37)


Essas orientações trazem consigo promessas e bênçãos aos justos que as colocarem em prática. Quem assim vive, anda em segurança (v.3); terá os desejos do seu coração concedidos (v.4); será declarado justo no tempo oportuno quando for injustiçado (v.6); não apenas terá coisas, mas delas desfrutará (v.9, 11); desfrutará muito do pouco que possui, enquanto que, o rico ímpio, nada desfrutará do muito que possui (v.16); terá o sustento perpetuo do Senhor (v. 17, 18); não ficará decepcionado quando passar por adversidades, pois terá mais que o suficiente em dias de fome (v.19); terá a direção de Deus em todas as circunstancias (v.23,24); seus filhos serão abençoados (v.26). 

 Por trás dessa despreocupação com as necessidades e perigos da vida está o fator oculto da bênção, da alegria, do amor protetor e da fidelidade de Deus, que eles [justos em Cristo] experimentam no contexto de seu compromisso com ele no modo como vivem (v. 27), no caráter que cultivam (v. 28) e na qualidade de suas palavras e de seu coração (v. 30,31). 1

Em Cristo Jesus, considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,


Soli Deo Gloria!

Fabio Campos

Curta nossa página fan page e tenha acesso a vídeos, artigos e reflexões de autores cristãos de todas as épocas: https://www.facebook.com/fabiosolafide/?fref=ts
____________________________________________________
Notas e citações:

1 CARSON, D. A. Comentário Bíblico Vida Nova. Vida Nova, 2012. São Paulo, SP. p. 771