quinta-feira, 5 de maio de 2016

“PORQUE CONHEÇO OS SEUS SOFRIMENTOS”




Por Fabio Campos

Texto base: “Disse o Senhor: ‘De fato tenho visto a opressão sobre meu povo no Egito, e também tenho escutado o seu clamor, por causa dos seus feitores, e sei quanto eles estão sofrendo.’” – Êxodo 3.7 (NVI)


É ruim sofrer! Creio que ninguém gosta de ser oprimido, humilhado, rejeitado, injustiçado. Mas o sofrimento, de alguma forma, é parte da vida de todos os seres humanos. C. S. Lewis, em sua obra “O problema do sofrimento”, mostra também como o próprio ser humano é responsável por grande parte do sofrimento que há no mundo: ele afirma que quatro quintos dos sofrimentos que enfrentamos são produzidos ou por nós mesmos ou por nossos semelhantes. 1

O povo de Deus sempre foi perseguido, oprimido e humilhado. Desde o Egito até a era do Império Romano, perseguições e opressões têm acompanhado o povo que fora separado por Deus. Cartas e mais cartas foram escritas para encorajamento de santos em meio ao martírio. Foi dentro de um contexto de escravidão e serviço pesado que Deus interferiu contra o sofrimento imposto sobre os israelitas: “Porque conheço os seus sofrimentos”. 

Os egípcios os sujeitaram a cruel escravidão (Ex 1.13). Com lágrimas e suor, o povo construiu para faraó as cidades-celeiros de Pitom e Ramassés (Ex 1.11). Enquanto o povo gemia, faraó sorria. Desfrutava do império construído sob o sangue dos judeus. Mas o mal não prevaleceria por todo sempre. A justiça tarda mas não falha. Deus levantou um libertador. Moisés saiu das águas e, conduzido por Deus, de forma Soberana, fez o que deveria ser feito: emancipou o povo das garras do rei tirano do Egito.

Deus ouviu o seu o povo, pois disse: “Porque conheço os seus sofrimentos”.

Deus conhece nosso sofrimento. Ele é transcendente, mas também, imanente. Ele sofre conosco, pois é compassivo (compassione; “sofrer junto.) Jesus não deixou de ser Deus porque chorou (Jo 11.35). Por isso é chamado de Emanuel, Deus Conosco! 

O sofrimento, entretanto, tem o seu lado bom. É pedagógico. Aprendemos mais nas derrotas do que nas vitórias. C. S. Lewis de forma brilhante diz que, o sofrimento é o megafone de Deus para despertar um mundo surdo 2. Davi afirmou que “foi-bom ter passado pela aflição, para que aprendesse os decretos de Deus” (Sl 119.71). Paulo disse para nos gloriamos também nas tribulações, pois isso nos acresceria perseverança, caráter aprovado, esperança e plena convicção do amor de Deus que fora derramado em nossos corações (Rm 5.3-5). 

Não estou aqui endossando o masoquismo (os que se agradam da dor); também não fomento o ensino dos estoicos impassivos e sofridos. O cristão tão somente não crê no fortuito dos acontecimentos. Não há coincidência, sorte, azar ou determinismo para o crente em Jesus. Deus fará com que tudo, até o mal que lhe assola, se transforme em bem e corrobore com o propósito pelo qual Ele nos chamou. A fé deixa Deus ser Deus. 

Existe algo, no entanto, que pode nos trazer esperança: Deus não está do lado do opressor. Ele vê as lágrimas dos oprimidos e sabe que o “poder” está do lado de seus opressores. Como não há quem os consoles (Ec 4.1), Deus os garante (Sl 82.3-4): “Eu habita com o contrito e humilde de coração”. O Senhor toma partido dos menos favorecidos (viúva, pobre, órfã, estrangeiro, Tg 1.27). 

Deus conhece o sofrimento do seu povo. O desafio consiste em se sentir amado por Deus quando as coisas não estão em ordem (do modo como planejamos). Precisamos crer no Seu amor quando tudo mais vai mal. 

Caso você esteja sofrendo por consequência da vaidade de alguém, tipo a do Faraó, Deus já possui em sua agenda o dia do término disso, como diz as Escrituras: “... não procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: ‘Minha é a vingança; eu retribuirei’, diz o Senhor” (Rm 12.9). 

Como afirma Lewis, foi o ser humano, e não Deus, que produziu torturas, açoites, prisões, escravidão, armas, baionetas e bombas. É pela avareza e pela estupidez humana, e não pela sovinice da natureza, que temos pobreza e exploração do trabalho. 3

Deus está atento a tudo. Seus olhos estão sobre todos, justos e injustos!

Nossa parte é confiar para que, de alguma forma, possamos transformar nosso dia mau em oportunidades para o heroísmo, pois muitos assim o fizeram e, aproveitando o momento, se surpreenderam colheram os seus frutos de justiça.


Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos

Curta nossa Fan Page e tenha acesso a vídeos, artigos, reflexões de autores cristãos de todas as épocas.
_______________________
Citações:

1 LEWIS, C. S. O problema do sofrimento. Editora Vida, p. 12.
2 Ibid, p. 106.
3 Ibid, p. 101.

Nenhum comentário:

Postar um comentário