domingo, 20 de março de 2016

NOVOS CÉUS E NOVA TERRA


Escola Bíblica Dominical – 20 de Março de 2016 | Lição 12
Texto Áureo: Is 65.17

Verdade prática: Os crentes viverão eternamente com Jesus Cristo na cidade santa, a nova Jerusalém.

Leitura bíblica em classe: Apocalipse 21. 1-5, 24-27.

Explicação do texto:

a. O desenvolvimento do tratamento de Deus com a humanidade, em Apocalipse, atinge o seu clímax no trecho que acabamos de ler (Ap 21.1-5).

b. O capitulo 21 do livro do Apocalipse é o fechamento das cortinas. 1) o juízo final já aconteceu; 2) os inimigos do Cordeiro e da igreja já foram lançados no lago do fogo; 3) os remidos já estão em plena comunhão com Deus na “nova criação”.

REFLEXÃO E OBJETIVO DA AULA: 1) Explicar que todas as coisas na terra serão renovadas; 2) Saber que haverá novos céus e nova terra; 3) Mostrar o que será a Nova Jerusalém.

INTRODUÇÃO:

a. A queda e suas consequências: física, espiritual e moral (A sentença Gn 3.17)

1. Abalo do cosmo (a natureza aguarda sua redenção)

“Todavia, de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça.” – 2 Pedro 3.13 (NVI)

2. O homem se torna inimigo de Deus (Rm 5.10).

3. O homem é moralmente mal (teve o relacionamento afetado com Deus e por passou a ser hostil com o seu próximo e com a natureza).

“Como está escrito: ‘Não há nenhum justo, nem um sequer; não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus. Todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer"."Suas gargantas são um túmulo aberto; com suas línguas enganam". "Veneno de serpentes está em seus lábios". "Suas bocas estão cheias de maldição e amargura". "Seus pés são ágeis para derramar sangue; ruína e desgraça marcam os seus caminhos, e não conhecem o caminho da paz". "Aos seus olhos é inútil temer a Deus".” – Romanos 3. 10-18 (NVI)

I. TODAS AS COISAS SERÃO RENOVADAS

1. Deus criou os céus.

a. Alguém já disse, se você acreditar em Gênesis 1.1, você terá que acreditar em todo resto da Bíblia.

b. A habitação de Deus já existia quando o “espaço sideral foi criado em Gênesis 1.1.

2. A renovação divina dos céus.

a. Controvérsia: A terra será renovada ou substituída por outra terra a ser criada por Deus?

b. Os mestres judeus interpretavam Isaías 65 - 66 de diversas maneiras; alguns sugeriam que Deus iria renovar a criação para o seu reino, enquanto outros achavam que ele a substituiria por uma criação totalmente nova.

c. No meio protestante também há discordâncias. Teólogos luteranos acreditam que haverá uma terra totalmente nova; teólogos reformados, por sua vez, dizem que essa terra será transformada.

d. A posição reformada parece mais coerente com as Escrituras, pois é difícil entender que Deus aniquilaria tudo aquilo que Ele fez qual disse ser “bom” (Gn 1.31). (A ressurreição é um exemplo disso).

d. É certo que o cosmo foi abalado na queda, e que, por isso, toda a natureza aguarda a revelação dos filhos de Deus, pois a criação aguarda a libertação do cativeiro da degeneração (Rm 8.19-21).

e. Mas a ênfase do novo céu e de uma nova terra gira em torno do caráter da habitação dos redimidos: “Que habita justiça”; “as primeiras coisas que foram passadas traziam dor, sofrimento e injustiças”.

f. O mar dito no verso 1 que diz que “não existirá mais” não está relacionado a água, mas a maldade; o Diabo, o anticristo e o império anticristão são todos retratados como monstros do mar; nada dessa ordem sobrevive na nova ordem. O mar aqui é símbolo daquilo que contamina (Is 57.20).

g. A terra, portanto, será transformada (2 Pe 3.7).

SÍNTESE DO TÓPICO I

Deus, o Criador vai renovar todo o universo.

II. NOVOS CÉUS E NOVA TERRA

1. Em Cristo, céus e terra serão congregados.

a. Não vai mais existir separação entre o céu e a terra (Ap 21. 1,3).

b. Se cumprirá a profecia de que “toda terra se encherá do conhecimento do Senhor”, como as águas cobrem o mar.

2. Novos céus e nova terra.

a. A igreja glorificada não permanecerá apenas no céu, mas passará a eternidade também na nova terra.

b. A morada de Deus já não será mais longe da terra, mas na terra: “O Tabernáculo de Deus está entre os homens”.

c. Onde Deus está ali é céu. Não haverá mais perseguições contra a igreja e nem haverá lembranças das coisas passadas.

SÍNTESE DO TÓPICO II

O Todo-Poderoso vai preparar novos céus e nova terra.

III. NOVA JERUSALÉM

1. Foi preparada no céu.

a. Quem poderia construir uma habitação para Deus? Ninguém! Não se constrói de baixo para cima.

b. Davi quis construir uma casa para Deus, mas o Senhor o reprendeu, dizendo:

“Não tenho morado em nenhuma casa, desde o dia em que tirei Israel do Egito, mas fui de uma tenda para outra, e de um tabernáculo para outro.” - 1 Crônicas 17:5 (NVI)

c. Toda construção que partia da terra para o céu levou a Babilônia, nunca à cidade de Deus.

d. O Reverendo Hernandes Dias Lopes diz que “a cidade santa vem do céu, tem sua origem no céu, foi escolhida, chamada, amada, separada, santificada e adornada por Deus para o Seu Filho. Deus é o seu arquiteto e construtor (Hb 11.10, ler)”.1

e. O homem passará a ter acesso novamente à “árvore da vida” e por isso viverá eternamente.

f. Neste mundo tenebroso sofremos de diversas formas: pelos nossos pecados; pelos pecados dos outros; pelos desastres naturais; e com a opressão espiritual. Mas valerá a pena permanecer fiel, como está escrito:

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.” - 2 Coríntios 4: 17,18 (NVI)

2. Os muros e as doze portas.

a. O muro é símbolo de proteção: 1) manter fora os que não têm parte na cidade (21.27; 22.14,15) e de 2) prover segurança eterna para os que estão dentro.

b. Suas doze portas trazem a inscrição dos nomes das doze tribos dos filhos de Israel, assim como os doze fundamentos trazem os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.

c. Nisso se vê a unidade entre o povo da antiga e da nova alianças; juntos formam “o Israel de Deus”, ampliado para abarcar todas as nações em Cristo.

d. Nela não haverá templo, pois o templo é o Senhor (Ap 21.22).

3. Os doze fundamentos da cidade.

a. Esses doze fundamentos trata-se dos nomes dos doze apóstolos do Cordeiro (Ap 21.14) representando a igreja que é coluna e firmeza da verdade (1 Tm 3.15) por meio da doutrinas entregue a eles (At 2.42).

b. Esses doze fundamentos não devem ser entendidos como estando uns sobre os outros, mas como estando formando uma cadeia contínua ao redor da cidade, divididos pelas doze portas.

4. Ali não haverá mais tristeza.

a. Diferente da terra que há muita tristeza, o céu é lugar de festa. Haverá um casamento com música, cântico, comunhão, comida e bebida (o Cordeiro, o Noivo, nos servirá).

b. Será uma eterna lua de mel onde o Noivo se alegrará em sua noiva. Nos deleitaremos em seu amor.

c. O Reverendo Hernandes Dias Lopes, diz:

“O céu é céu porque Deus está presente. Depois que o véu do templo rasgou-se Deus não habita mais no templo, mas na igreja. O Espírito Santo enche não o templo, mas os crentes. Agora somos o santuário em que Deus habita. Agora somos um reino de sacerdotes. Veremos Cristo face a face. Nós o veremos como ele é. Ele vai morar conosco. Não vai haver mais separação entre nós e Deus. A glória do Senhor vai brilhar sobre nós. O Cordeiro será a lâmpada da cidade santa.” 2

5. Não haverá pecado nem pecadores.

a. A pior tragédia que aconteceu na história foi a entrada do pecado.

“Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram.” - Romanos 5:12 (NVI)

b. Alguém já disse: “o diabo é o meu próximo”. Até a igreja tem problemas, pois ela contém pecadores como eu.

c. Quando formos salvos da presença do pecado, pela glorificação seremos santos, sem pecados. Não entrará na nova Jerusalém nada que possa corrompê-la (Ap 21.27).

d. O Diabo, seus anjos e todos os ímpios estarão no lago de fogo. Ficarão de fora (Ap 22.15; 1 Co 6.10).

SÍNTESE DO TÓPICO III

Todos os crentes vão habitar com Jesus Cristo na Nova Jerusalém.

CONCLUSÃO

1.  Precisamos ansiar em morar na Nova Jerusalém.

2. Precisamos trazer a nossa memória constantemente que somos forasteiros e peregrinos neste mundo.

3. O verdadeiro crente pensa todos os dias em sua casa definitiva. Isso nos ajuda a manter no temor do Senhor.

4. Sabemos que será maravilho, entretanto, temos um mínimo de noção de como será, já que está escrito: Todavia, como está escrito: “"Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam"”. - 1 Coríntios 2:9 (NVI).

5. Alguma coisa foi revelada a nós (v. 2.10), porém, em parte, pois naquele dia conheceremos plenamente (1 Co 13.12).

Soli Deo Gloria!
Fabio Campos

Aula ministrada na ICTJ dia 20/03/2016

Curta nossa página no facebook e tenha acesso a vídeos, artigos e reflexões de autores cristãos de todas as épocas: https://www.facebook.com/fabiosolafide/?fref=ts
____________________________________________________
Notas e citações:

1 LOPES, Hernandes Dias. A segunda vinda de Cristo;, p.108.
2 Ibid, p. 110.

Referências bibliográficas:

Escola Bíblica dominical. O final de todas as coisas. 1º trimestre de 2016; CPAD; lição 12.
CARSON, D.A. Comentário Bíblico Vida Nova. Vida Nova, 2012. São Paulo, SP
LOPES, Hernandes Dias. A segunda vinda de Cristo. São Paulo, SP; Hagnos, 2010.
GRUDEM, Wayne. Manual de Doutrinas cristãs. Vida Acadêmica, 1999. São Paulo, SP