domingo, 31 de janeiro de 2016

O ARREBATAMENTO DA IGREJA


Escola Bíblica Dominical – 31 de Janeiro de 2016 | Lição 5

Texto Áureo: 1 Ts 4.17

Verdade prática: O arrebatamento da Igreja será a completude da salvação, quando todos os salvos serão glorificados.

Leitura bíblica em classe: 1 Tessalonicenses 4.13-18

Explicação do texto: 

a. A antiga Tessalônica é hoje a moderna cidade de Salônica. A cidade tinha por nome, antes de Tessalônica, “Thermas” (devido a causa das nascentes de água quente da região)

b. 300 anos antes de Cristo, o rei da Macedônia (capital de Tessalônica), mudou o nome para Tessalônica para homenagear a irmã de Alexandre Magno, sua esposa.

c. A cidade está situada próximo a importante via Egnácia, a principal estrada para Roma.

d. Temas principais da carta:

ü  Encorajar e confirmar os novos crentes nas coisas de Cristo.
ü  Responder a falsas acusações feitas contra Paulo e seu ministério (2. 1-12).
ü  Explicar que cristãos mortos participarão da segunda vinda de Cristo.
ü  Advertir os cristãos das imoralidades pagãs (4.4).
ü  Lembrar os membros da igreja de que deviam seguir e honrar seus líderes.
ü  Alertar os crentes que deixaram o emprego, porque pensavam que Cristo voltaria logo, e estavam inativos (2.9).

REFLEXÃO E OBJETIVO DA AULA: 1) Saber que todos os salvos serão arrebatados 2) Explicar como se dará o arrebatamento e a ressurreição dos mortos 3) Compreender o que acontecerá antes e depois do arrebatamento.

INTRODUÇÃO:

a. Vamos estudar sobre o arrebatamento, tema essencial da fé cristã ortodoxa (que hoje infelizmente tem sido negligenciado dentro das igrejas). Como disse Winston Churchill:

“A decadência moral da Inglaterra era devido ao fato de que os pregadores tinham deixado de pregar sobre o céu e o inferno”.

b. A primeira carta de Paulo aos tessalonicenses trata do arrebatamento, o retorno de Cristo, nas nuvens, para a igreja.

c. A porção que lemos hoje, desta missiva, é mais específica a respeito do “arrebatamento da igreja”.

d. A segunda vinda de Cristo é o assunto mais enfatizado em toda Bíblia. Há mais de 2.400 referencias sobre o assunto em toda a Escritura.

I. TODOS OS SALVOS SERÃO ARREBATADOS

a. Segundo a linha pré-milenista, pré-tribulacionista dispensacionalista, haverá duas fases da vinda de Cristo:

ü  SECRETA - PARA A IGREJA (Arrebatamento; busca da igreja).
ü  VISÍVEL - COM A IGREJA (Retorno de Jesus, mas agora com todos os santos para instaurar o milênio trazendo juízo contra os ímpios; Jd 14-16, 2 Ts 1.7; Ap 19.14).

b. Vamos tratar do assunto segundo a linha da CPAD, ou seja, pré-tribulacionista dispensacionalista.

c. Primeira vinda: nos encontraremos “nos ares” ou “nas nuvens” com o Senhor (1 Ts 4.17).

d. A igreja não passará pelo período da tribulação (1 Ts 1.10; 5.9).

TEORIAS DA DOUTRINA DO ARREBATAMENTO:

ARREBATAMENTO PARCIAL: Não está associada ao período tribulacional, mas sim aos indivíduos que sofrerão a translação. Esta linha argumenta que nem todos os crentes serão levados na translação da igreja, mas apenas os que estiverem “vigiando” e “esperando” por este acontecimento.

ARREBATAMENTO PÓS-TRIBULACIONISTA: Acredita que a igreja continuará na terra até a segunda vinda, no final desta presente era, e será levada às nuvens para encontrar o Senhor que virá pelos ares. A posição nega o dispensacionalismo afirmado pelos pré-tribulacionistas.

ARREBATAMENTO MESOTRIBULACIONISTA: De acordo com essa interpretação, a igreja será arrebatada ao final da primeira metade da grande tribulação.

ARREBATAMENTO PRÉ -TRIBULACIONISTA: Acredita que a igreja não passará pela grande tribulação (possui uma visão literal das Escrituras). Grande parte dos seus adeptos são dispensacionalistas.

1. A reunião dos salvos no encontro com Cristo.

a. Arrebatamento, no grego, é harpazo: “rapto”, “remoção repentina”, “de modo súbito”.

b. O evento reunirá os crentes de todas as épocas - a igreja mística de Cristo.

c. Os verdadeiros cristãos serão levados, enquanto que os falsos, deixados; como disse Hernandes Dias Lopes:

“Haverá apenas dois grupos: os que vão desfrutar das bem-aventuranças eternas e os que ficarão para o juízo. Dois estarão no campo. Um será levado e o outro deixado. Duas estarão trabalhando no moinho. Uma será tomada e a outra deixada. Tomados para Deus, deixados para o juízo eterno. A lição aqui é a mesma. Os anjos tomarão uns para viverem com o Senhor para sempre e os outros serão deixados para o juízo de condenação eterna. (...). Naquele dia a porta da oportunidade estará fechada. Em vão as virgens néscias baterão.”1
 
2. Quem será arrebatado.

a. Todo crente nascido da água e do Espírito (Jo 3.5).

b. O caminho para o cristão é estreito, entretanto, o leva para a vida eterna.

c. No mundo teremos tribulações, mas nada poderá ser comparado com a glória que será revelada em nós (Rm 8.18).

d. Muita gente se esfriou na fé por diversos motivos, mas, talvez, o principal de todos, seja o fato “esperarem em Cristo somente para esta vida” (1 Co 15.19). Comparar as pregações do oriente com as do ocidente.

e. Temos que perseverar e juntar tesouros no céu. Nossa recompensa vem de lá. (Ler a história do missionário e sua esposa contada por Ricardo Agreste em seu livro “Revisão de Vida”, p. 118 – 120)

f. Os ímpios ficarão de fora (Ap 20.15).

g. Os justos estão seguros acerca de sua salvação: “Cristo nos levará seguros para o seu reino” (2 Tm 4.18).

SÍNTESE DO TÓPICO I

Todos os salvos em Jesus Cristo serão arrebatados.

II. O ARREBATAMENTO E A RESSURREIÇÃO DOS MORTOS.

1. A ignorância acerca dos mortos (1 Ts 4.13).

a. Os leitores pensavam que as pessoas que estivessem mortas não ressuscitariam na vinda do Senhor.

b. Os vivos aguardam o arrebatamento, enquanto que os mortos, a ressurreição. Todos, porém, terão seus corpos glorificados:

“Se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, cremos também que Deus trará, mediante Jesus e juntamente com ele, aqueles que nele dormiram.” – 1 Ts 4.14 (NVI)
“Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo as primícias dentre aqueles que dormiram. Visto que a morte veio por meio de um só homem, também a ressurreição dos mortos veio por meio de um só homem. Pois da mesma forma como em Adão todos morrem, em Cristo todos serão vivificados. Mas cada um por sua vez: Cristo, o primeiro; depois, quando ele vier, os que lhe pertencem.” - 1 Co 15.20-23 (NVI)

c. Não precisamos nos preocupar com aqueles que dormiram no Senhor, pois viver é Cristo e morrer é lucro (Fp 1.21).

2. A primeira e a segunda ressurreição.

a. A Bíblia diz que “Jesus é a primícia dos que dormem” porque Ele o foi o primeiro a ressuscitar (1 Co 15.20). Primícia traz a ideia que ainda há mais colheita.

b. Segundo a linha pré-milenista, pré-tribulacionista dispensacionalista, farão parte da primeira ressurreição:

ü  As duas testemunhas do apocalipse (Ap 11. 1-12)
ü  O grupo dos mártires, aqueles que receberão a Cristo na grande tribulação (Ap 7. 9-17)

c. A segunda ressurreição será para os ímpios, após o milênio (Ap 20. 5,6).

“Pois estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou. E deu provas disso a todos, ressuscitando-o dentre os mortos.” - At 17:31 (NVI)

3. A transformação dos crentes que estiverem vivos quando Jesus voltar.

a. Os salvos que estiverem vivos na volta de Cristo serão transformados (1 Ts 4.17).

b. Por que devemos ser transformados para estarmos com o Senhor, pois nem carne e nem sangue herdarão o reino dos céus.

c. Veremos o Senhor somente quando formos semelhantes a Ele: “... transformará o corpo da nossa humilhação, para ser semelhante ao corpo da sua glória” (Fp 3.21).

“Irmãos, eu lhes declaro que carne e sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem o que é perecível pode herdar o imperecível. Eis que eu lhes digo um mistério: nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta. Pois a trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados. Pois é necessário que aquilo que é corruptível se revista de incorruptibilidade, e aquilo que é mortal, se revista de imortalidade.” - 1 Co 15:50-53 (NVI)

SÍNTESE DO TÓPICO II

Os que estiverem vivos na segunda vinda de Cristo serão arrebatados e os que morreram em Cristo ressuscitarão para a vida eterna.

III. ANTES DO ARREBATAMENTO E DEPOIS DELE.

1. Antes, é preciso vigilância.

a. O cristão é alguém que precisa ser sóbrio.

b. Infelizmente, há muitas distrações; grandes acidentes acontecem por pequenas distrações.

c. Os homens estão vivendo desapercebidamente como viveu a geração que foi destruída pelo dilúvio.

d. Precisamos aguardar a segunda vinda de nosso Senhor com grande expectativa, pois ela será inesperada (1 Ts 5.2)

“Certa feita perguntaram para o grande reavivalista metodista João Wesley: ‘O que você gostaria de estar fazendo quando Jesus voltar’? Ele respondeu: ‘Eu gostaria de estar fazendo o que faço todos os dias, pois todos os dias aguardo ansiosamente a vinda do Senhor Jesus.’”

2. Depois, viveremos felizes para sempre.

a. Deus ama sua noiva de modo incondicional. A prova disso é que Jesus voltará para buscar a sua amada igreja (Jo 14.3).

b. Jesus se fez carne, morreu e ressuscitou para garantir a “mão” da noiva e estar com ela para sempre.

c. Ele sempre a sustenta; envia os seus profetas para anunciar “todo o conselho de Deus” afim de que a noiva seja apresentada “sem mancha e sem mácula”.

d. Infelizmente muitos pregadores por não anunciar todo o conselho de Deus, com seus discursos pragmáticos e materialistas, corrompem a noiva. 

e. Mas é importante salientar que, nós, não estamos num projeto que “pode” dar certo, mas que “já” deu certo nos méritos de Cristo (Ilustração do boxeador mexicano).

f. A igreja já sofreu perseguições ferrenhas: os judaizantes, os romanos, a intolerância romana, os governos totalitários, o nazismo, o comunismo, o islamismo, as religiões extremistas, e, por fim, o causador disto tudo – o Diabo:

“... e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. – Mt 16.18 (AFC)

g. Nós, porém, vamos se encontrar com o Nosso Senhor (1 Ts 4.17):

“Regozijemo-nos! Vamos nos alegrar e dar-lhe glória! Pois chegou a hora do casamento do Cordeiro, e a sua noiva já se aprontou”. – Ap 19.7 (NVI)

SÍNTESE DO TÓPICO III

Antes do arrebatamento estamos sujeitos às intempéries da vida, mas depois do arrebatamento viveremos felizes para sempre com Jesus Cristo.

CONCLUSÃO

1. O arrebatamento será a reunião de todos os filhos de Deus desde a fundação do mundo.

2. Os mortos serão ressuscitados e os vivos serão arrebatados.

3. A crença nisto fará toda diferença na espiritualidade qual vivemos:

ü  O céu estimula à santidade (2 Pe 3.14).
ü  O céu nos ajuda a enfrentar o sofrimento (Rm 8.18).
ü  O céu nos ensina a renunciar (Moisés e Abraão).
ü  O céu nos livra do medo da morte (Fp 1.21).

4. Você está pronto para encontrar-se com o Senhor Jesus Cristo?

“... prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus”. – Amós 4.12

5. Que Deus lhe preserve em santidade até aquele maravilhoso dia.

Soli Deo Gloria!
Fabio Campos

Aula ministrada na ICTJ dia 31/01/2016

Curta nossa página no facebook e tenha acesso a vídeos, artigos e reflexões de autores cristãos de todas as épocas: https://www.facebook.com/fabiosolafide/?fref=ts
____________________________________________________
Notas:

1 LOPES, Hernandes Dias. A segunda vinda de Cristo;, p.24-25
2 Ibid, p. 25.

Referências bibliográficas:

Escola Bíblica dominical. O final de todas as coisas. 1º trimestre de 2016; CPAD; lição 5.
CARSON, D.A. Comentário Bíblico Vida Nova. Vida Nova, 2012. São Paulo, SP
LOPES, Hernandes Dias. A segunda vinda de Cristo. São Paulo, SP; Hagnos, 2010.
WARREN W. Wiersbe. Comentário Bíblico NT. Santo André, SP; Central Gospel, 2009.
PENTECOST, J. Dwigth. Manual de Escatologia. Vida Acadêmica, 2013. São Paulo, SP