sexta-feira, 13 de novembro de 2015

AS TREVAS ESTÃO MAIS CLARAS QUE O SOL DO MEIO DIA




Por Fabio Campos

Texto base: “... as trevas e a luz são para ti a mesma coisa”. – Salmos 139. 12b (ACF).


Os salmos foram escritos por diversos autores, em diversas situações, para expressar diversos sentimentos. Alguém já disse que, o livro de provérbios, nos ensina a caminhar diante dos homens, enquanto que, os salmos, nos ajuda a andar com Deus. Encontramos nestes escritos orações, lamentos, confissões, súplicas e agradecimentos.

O salmo 139 escrito por Davi arrazoa a Soberania de Deus de forma profunda e minuciosa. Sua Onisciência, Onipresença e Onipotência tiram suspiros da alma de Davi, e neste contexto ele diz: “tal conhecimento é maravilhoso demais e está além do meu alcance, é tão elevado que não o posso atingir” (v. 6).

Sabe quando a sua oração, num piscar de olhos, se transforma em louvor a Deus por quem Ele é e pelo o que Ele faz!? Aquela oração espontânea, “desprogramada”, mas que, de forma voluntária, passa a ser dirigida por meio de palavras de admiração. O salmo 139, ainda que no meio de uma guerra, foi escrito neste espírito (v. 19).

O salmista esboça o valor que ele atribuí a respeito do que Deus pensa e faz: “Como é grande a soma deles” (v. 16). Deus é Soberano e nada, absolutamente nada, é mais forte do que Ele. Aliás, qualquer comparação carrega em si a ignorância da nossa limitação e do nosso conhecimento.

Posto isto, nada é escondido a Deus. Não existem trevas tão escuras qual Deus não vê sob o sol do meio dia. Para Ele luz e trevas são as mesmas coisas. Nada pode ofuscar sua visão ou embaçar a clareza devida. Imagine você dentro de um quarto escuro e trancado. E que dentro deste quarto se encontra uma cobra venenosa. Contudo, há no quarto, também, uma agulha que contém o veneno para matar a cobra. Nesta escuridão, mediante o desespero, nós, entretanto, buscaríamos imediatamente o interruptor para ascender a luz. 

O salmista, porém, diz que “mesmo que as trevas o encobrisse, e caso a luz tornar-se-á noite ao seu redor, para Deus as trevas não são escuras” (v.11). Deus enxerga da mesma forma – seja no escuro – seja no claro. O desespero é nosso; a confiança provém de Deus, neste quarto que chama vida. 

Em meio à escuridão qual Davi se encontrava, ele demonstrou uma absoluta confiança no caráter de Deus. Muitas vezes queremos que tudo ocorra do jeito que programamos, e no meio da escuridão, sob o perigo de pisar na cobra que está tão próxima de nós, procuramos desesperadamente, do nosso jeito, o interruptor para ascender a luz. Deus, porém, requer que n’Ele confiemos!, pois assim Ele diz: “Entregue teu caminho ao Senhor, confie nele, e tudo Ele fará” (Sl 37.5).

O salmista, por conseguinte, diz que “todos os seus caminhos eram muito bem conhecidos por Deus” (v.3). Inclusive erros e acertos. Deus conhece nossa estrutura, pois sabe que somos pó. Quando nossos erros são oriundos de nossa fraqueza moral, e não da obstinação do nosso coração, assim como foi com Davi, Deus levanta sobre nós a sua justiça, e pela graça, não atribui iniquidade a nós, escondendo-a d’Ele mesmo, em Cristo, nossas transgressões (Sl 32.1-2). 

O futuro do verdadeiro cristão, seguidor de Jesus Cristo, não está em suas mãos, mas nas Mãos de Deus. Fora disto, é pregação humanista com "cara" de evangelho. Este tipo de pregação não é o Evangelho de Cristo, mas dos homens. Muitas vezes vejo cristãos desesperados pensando que por causa de um erro cometido sua vida nunca será o que Deus gostaria que fosse. Imagine se Deus observasse todas nossas iniquidades, quem subsistiria (Sl 130.3)? 

Imagine se Deus dependesse da perfeição moral de Abraão que mentiu; de Davi que adulterou; de Jacó que trapaceou. Imagine se Deus dependesse da nossa fidelidade para ser fiel? Deus zela por Sua Palavra, e na aliança feita no Sangue do Filho, podemos confiar que nada poderá impedir o seu agir; há algo poderia nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, Nosso Senhor?

Deus não é pego de surpresa. Ele não reage, mas age, como está escrito: “Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir” (Sl 139.16). Será que isso não te faz refletir a respeito da sua vida e dos seus caminhos? É isto meus irmãos, tal coisa nos conduz ao arrependimento; certamente este amor nos constrange. 

Portanto, com confiança, ainda que ao nosso redor seja plena a escuridão -, confiemos não em nós mesmos, mas em Deus, pois o que é noite pra gente, pra Ele, é o Sol do meio dia, como está escrito: “... verei que nem as trevas são escuras para ti. A noite brilhará como o dia, pois para ti as trevas são luz” (Sl 139.12).

Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com