segunda-feira, 21 de setembro de 2015

MÃOS QUE PROSPERAM E MÃOS QUE EMPOBRECEM!


Por Fabio Campos


Quem é que não gosta das coisas bem feitas, não é verdade? Ainda que muitos não façam, ao menos desejam receber uma prestação de serviço distinta. Maravilhamos-nos sempre que somos tratados com excelência nos atendimentos. O que deveria ser regra lamentavelmente virou exceção. Infelizmente as pessoas exigem muito e oferecem pouco. Não têm compromisso com o próximo; colocam os seus “benefícios” acima de toda e qualquer ética que se exige dentro de uma sociedade sustentável e saudável.

Talvez você deva estar pensando o que isso tem haver com Deus ou com a Bíblia. Tem tudo haver! A Escritura diz muito a respeito das mãos diligentes! Ela mostra as consequências na vida daqueles que vivem na “preguiça” contrapondo os que possuem “mãos diligentes”. Imagine se todos os homens, ainda que não cristãos, prestassem um serviço de qualidade ao seu próximo através de suas profissões? Como seriam nossos políticos, médicos, professores e advogados, por exemplo? Certamente viveríamos tempos melhores.

Deus planejou para que fosse assim, tudo perfeito, entretanto, com a queda, o homem se tornou astuto (Ec 7.29) e passou a adorar seus prazeres, colocando em tudo a sua necessidade acima de tudo e de todos. Veja ao seu redor e comprove!

A Bíblia, no entanto, ensina a prosperar da forma correta. Quando você prospera dentro da ética cristã, pelo trabalho de suas mãos, o seu próximo é beneficiado. Quando você valoriza a sua vocação mais do que o seu salário, você não somente trabalha e se cansa, mas se alegra no que faz. Quem se alegra no que faz, faz bem feito; quem faz bem feito, “enriquece!”, como está escrito: “as mãos diligentes trazem riquezas” (Pr 10.4).

A Reforma Protestante no século XVIII fomentou este circulo que acabei de traçar. Deus se importa com a sua profissão. Adorar a Deus não é somente estar na igreja ou exercer alguma atividade religiosa. Adorar a Deus é fazer bem feito aquilo que Ele te incumbiu de fazer: “Fazei TUDO para a glória de Deus” (1 Co 10.31).

O homem ocioso não colherá nada, pois por estar no ócio também não planta. Quem fica olhando para as nuvens ao invés de trabalhar, não prosperará (Ec 11.4). Muitos são “sustentáveis” na mão de obra. Fazem algo e pensam que não precisam fazer mais nada. A Escritura diz para plantarmos a semente pela manhã, porém, não podemos ficar esperando de forma a toa o resultado desta colheita, pois você não sabe de onde virá a sega - se da semente que você plantou de manhã ou da que você plantou a tarde (Ec 11.6).

Ociosidade e descanso são coisas diferentes, e há tempo para todas as coisas. Não se permita estar no ócio quando o momento requer trabalho, pois o homem relaxado engana a si mesmo e empobrece; o diligente, no entanto, é realista e trabalha de verdade (Pr 10.4).

Deus manda os preguiçosos refletir no proceder das formigas (Pr. 6.6). O conto muito conhecido da cigarra e da formiga ilustra esta verdade. A cigarra que só pensou em diversão no verão, quando chegou o invernou passou necessidades; já a formiga que priorizou o trabalhou no verão, desfrutou de paz e segurança no inverno. O preguiçoso só deseja mas não alcança. O diligente, no entanto, trabalha e fica satisfeito (Pr. 13.4). Aqueles que se divertem quando deveriam estar trabalhando, é filho da vergonha. O tolo só pensa em festa.

Não se deixe enganar, o mau tempo chega de surpresa (Ec 9.12), como está escrito: Além do mais, ninguém sabe quando virá a sua hora: Assim como os peixes são apanhados numa rede fatal e os pássaros são pegos num laço, também os homens são enredados pelos tempos de desgraça que caem inesperadamente sobre eles” (Pr 22.29 NVI).

O homem de caráter sabe que a obrigação (moral) sobrepuja o seu salário. Não há como esconder uma candeia debaixo da mesa. Todo trabalho bem feito, ainda que não seja de imediato, terá a sua recompensa. Por isso precisamos perseverar em cumprir com zelo tudo o que chegar por demanda à nossas mãos. Certamente o homem diligente será exaltado, como está escrito: “Você já observou um homem habilidoso em seu trabalho? Será promovido ao serviço real; não trabalhará para gente obscura” (Pr 22.29 NVI).

Não ame o sono! A vida não é fácil, pois a própria Bíblia diz que através “suor do nosso rosto é que seríamos providos em nossas necessidades” (Gn 3.19). Contudo, seja desperto e procure se afadigar com as obrigações (Pr 20.13). Não tenha pressa em ajuntar; tão somente trabalhe; é-nos assegurado que aquele que ajuntar aos poucos, de forma honesta, terá a cada dia mais (Pr 13.11).
Não se gabe do dia de amanhã; viva o hoje (Pr 27.1)!

Viver pelo o amanhã é sabotar o hoje. Quem assim vive, na verdade não vive, apenas sonha. É escravo de uma expectativa que nunca chegará, pois em chegando o amanhã, o dia seguinte será sua preocupação, e assim sucessivamente. Não é sábio viver pelo o amanhã já que ele ainda não existe. Quem poderá afirmar com certeza o que acontecerá?

A prudência consiste em andar diligentemente no hoje; viver hoje; se alegrar hoje; havendo o amanhã, certamente ele será melhor. Se não houver, pelo menos você poderá dizer: “Eu andei de forma digna e honesta; certamente, eu vivi”!


Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,


Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com