sexta-feira, 25 de setembro de 2015

NOSSA PÁGINA NO FACE!



Que a graça e que a paz sejam com todos vocês, amados amigos e irmãos.


Agora o nosso blog Devocionais de Fabio Campos possui uma página no facebook. Por meio desta queremos compartilhar daquilo que Deus, por Seu Espírito, tem nos acrescentado. Com temor e tremor queremos abençoar a sua vida com mensagens devocionais, estudos teológicos, estudos apologéticos, vídeos e mensagens dos principais pensadores cristãos de todas as épocas. Que tudo seja para a edificação do povo de Deus e para a glória e louvor do Seu Nome.



“A graça seja com todos os que amam sinceramente a nosso Senhor Jesus Cristo”. ( - Efésios 6.24)

Que assim seja!


Soli Deo Gloria!

Fabio Campos

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

MÃOS QUE PROSPERAM E MÃOS QUE EMPOBRECEM!


Por Fabio Campos


Quem é que não gosta das coisas bem feitas, não é verdade? Ainda que muitos não façam, ao menos desejam receber uma prestação de serviço distinta. Maravilhamos-nos sempre que somos tratados com excelência nos atendimentos. O que deveria ser regra lamentavelmente virou exceção. Infelizmente as pessoas exigem muito e oferecem pouco. Não têm compromisso com o próximo; colocam os seus “benefícios” acima de toda e qualquer ética que se exige dentro de uma sociedade sustentável e saudável.

Talvez você deva estar pensando o que isso tem haver com Deus ou com a Bíblia. Tem tudo haver! A Escritura diz muito a respeito das mãos diligentes! Ela mostra as consequências na vida daqueles que vivem na “preguiça” contrapondo os que possuem “mãos diligentes”. Imagine se todos os homens, ainda que não cristãos, prestassem um serviço de qualidade ao seu próximo através de suas profissões? Como seriam nossos políticos, médicos, professores e advogados, por exemplo? Certamente viveríamos tempos melhores.

Deus planejou para que fosse assim, tudo perfeito, entretanto, com a queda, o homem se tornou astuto (Ec 7.29) e passou a adorar seus prazeres, colocando em tudo a sua necessidade acima de tudo e de todos. Veja ao seu redor e comprove!

A Bíblia, no entanto, ensina a prosperar da forma correta. Quando você prospera dentro da ética cristã, pelo trabalho de suas mãos, o seu próximo é beneficiado. Quando você valoriza a sua vocação mais do que o seu salário, você não somente trabalha e se cansa, mas se alegra no que faz. Quem se alegra no que faz, faz bem feito; quem faz bem feito, “enriquece!”, como está escrito: “as mãos diligentes trazem riquezas” (Pr 10.4).

A Reforma Protestante no século XVIII fomentou este circulo que acabei de traçar. Deus se importa com a sua profissão. Adorar a Deus não é somente estar na igreja ou exercer alguma atividade religiosa. Adorar a Deus é fazer bem feito aquilo que Ele te incumbiu de fazer: “Fazei TUDO para a glória de Deus” (1 Co 10.31).

O homem ocioso não colherá nada, pois por estar no ócio também não planta. Quem fica olhando para as nuvens ao invés de trabalhar, não prosperará (Ec 11.4). Muitos são “sustentáveis” na mão de obra. Fazem algo e pensam que não precisam fazer mais nada. A Escritura diz para plantarmos a semente pela manhã, porém, não podemos ficar esperando de forma a toa o resultado desta colheita, pois você não sabe de onde virá a sega - se da semente que você plantou de manhã ou da que você plantou a tarde (Ec 11.6).

Ociosidade e descanso são coisas diferentes, e há tempo para todas as coisas. Não se permita estar no ócio quando o momento requer trabalho, pois o homem relaxado engana a si mesmo e empobrece; o diligente, no entanto, é realista e trabalha de verdade (Pr 10.4).

Deus manda os preguiçosos refletir no proceder das formigas (Pr. 6.6). O conto muito conhecido da cigarra e da formiga ilustra esta verdade. A cigarra que só pensou em diversão no verão, quando chegou o invernou passou necessidades; já a formiga que priorizou o trabalhou no verão, desfrutou de paz e segurança no inverno. O preguiçoso só deseja mas não alcança. O diligente, no entanto, trabalha e fica satisfeito (Pr. 13.4). Aqueles que se divertem quando deveriam estar trabalhando, é filho da vergonha. O tolo só pensa em festa.

Não se deixe enganar, o mau tempo chega de surpresa (Ec 9.12), como está escrito: Além do mais, ninguém sabe quando virá a sua hora: Assim como os peixes são apanhados numa rede fatal e os pássaros são pegos num laço, também os homens são enredados pelos tempos de desgraça que caem inesperadamente sobre eles” (Pr 22.29 NVI).

O homem de caráter sabe que a obrigação (moral) sobrepuja o seu salário. Não há como esconder uma candeia debaixo da mesa. Todo trabalho bem feito, ainda que não seja de imediato, terá a sua recompensa. Por isso precisamos perseverar em cumprir com zelo tudo o que chegar por demanda à nossas mãos. Certamente o homem diligente será exaltado, como está escrito: “Você já observou um homem habilidoso em seu trabalho? Será promovido ao serviço real; não trabalhará para gente obscura” (Pr 22.29 NVI).

Não ame o sono! A vida não é fácil, pois a própria Bíblia diz que através “suor do nosso rosto é que seríamos providos em nossas necessidades” (Gn 3.19). Contudo, seja desperto e procure se afadigar com as obrigações (Pr 20.13). Não tenha pressa em ajuntar; tão somente trabalhe; é-nos assegurado que aquele que ajuntar aos poucos, de forma honesta, terá a cada dia mais (Pr 13.11).
Não se gabe do dia de amanhã; viva o hoje (Pr 27.1)!

Viver pelo o amanhã é sabotar o hoje. Quem assim vive, na verdade não vive, apenas sonha. É escravo de uma expectativa que nunca chegará, pois em chegando o amanhã, o dia seguinte será sua preocupação, e assim sucessivamente. Não é sábio viver pelo o amanhã já que ele ainda não existe. Quem poderá afirmar com certeza o que acontecerá?

A prudência consiste em andar diligentemente no hoje; viver hoje; se alegrar hoje; havendo o amanhã, certamente ele será melhor. Se não houver, pelo menos você poderá dizer: “Eu andei de forma digna e honesta; certamente, eu vivi”!


Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,


Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com

domingo, 13 de setembro de 2015

EBD - Lição 11 | A ORGANIZAÇÃO DE UMA IGREJA LOCAL


Escola Bíblica Dominical – 13 de Setembro de 2015 | Lição 11
Texto Áureo: Tt 1.5

Explicação do texto:

a. Paulo estava lembrando Tito acerca da incumbência que havia deixado: supervisionar e organizar as igrejas na ilha de Creta.

b. “Colocar em ordem”: termo médico que significa “consertar um osso quebrado ou endireitar um membro torto”. 1

Verdade prática: A igreja local deve subordinar-se à orientação de Deus, através de sua Palavra, que é o “Manual de Administração Eclesiástica” por excelência.

Reflexão e objetivo da aula: Explicar o panorama da epístola escrita a Tito (trazer o contexto); expor as qualificações dos pastores segundo a epístola; trazer a percepção de pureza qual a carta apresenta.

Leitura bíblica em classe: Tt 1. 4-14

Quem era Tito: Um gentio convertido a Cristo pelo ministério de Paulo (Tt 1.4)

INTRODUÇÃO:

a. Finalmente iniciamos o estudo desta preciosa carta de Paulo ao seu filho na fé, Tito.

b. Tanto Tito quanto Timóteo, foram incumbidos por Paulo a se oporem aos falsos mestres; entretanto, Tito, em especial, foi deixado em Creta para constituir os presbíteros nas cidades.

c. John Stott diz que a ênfase dessa carta é a doutrina e o dever nas três esferas que atuamos: 1) a igreja, 2) família e o 3) mundo.2

I. A EPÍSTOLA ENVIADA A TITO.

1. O intento da Epístola.

a. Tudo indica que Paulo não completou a “constituição dos presbíteros”. Por isso, então, Tito foi enviado com a incumbência principal de realizar este trabalho deixado pelo o apóstolo.

b. A respeito de “bispo” e “presbítero”, Jerônimo (autor da Vulgata Latina) disse que, “entre os antigos”, bispos e presbíteros são a mesma coisa, pois a primeira palavra (bispo) é termo de dignidade, a segunda (presbítero) é de idade.3

c. Os termos são intercambiáveis:

“De Mileto, Paulo mandou chamar os PRESBÍTEROS [anciãos, AFC] da igreja de Éfeso. [...]. Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como BISPOS, para PASTOREAREM a igreja de Deus, que ele comprou com o seu próprio sangue”. – Atos 20. 17,28 (NVI)

d. Pedro era presbítero (1 Pe 5.1).

2. Data em que foi escrita.

a. É consenso universal que o autor dessa carta a Tito seja o apóstolo Paulo. As evidencias são tanto internas quanto externas.

b. Os pais da igreja como Clemente de Roma, Inácio de Antioquia e Policarpo; os reformadores e todos os fieis expositores da Palavra deram apoio unanime à autoria paulina.4

c. O único que se opôs nesta questão, na autoria de Paulo, foi Marcion, excomungado como herege em 144 d.C.

d. A maioria dos estudiosos dizem que a carta foi escrita entre 1 e 2 Timóteo; a certeza de fato está em que a carta antecedeu 2 Timóteo, pois Paulo a escreveu em liberdade.

e. É consenso que a carta a Tito foi escrita por volta do ano 64 d.C.

3. Um viver correto.

a. Paulo alerta por intermédio desta carta que o viver cristão, antes de tudo, é prático; teologia e moral; doutrina e ética; não há como fazer uma dicotomia de convicção e atitudes.

b. A reputação de Creta não era nada boa; se tratava de um povo que vivia nas suas paixões de modo desenfreado.

c. A situação em Creta foi agravada pelo Caráter do povo expresso no verso 12; pois um de seus próprios poetas, Epimêdes, do século 6 a.C., acusou-os de “mentirosos, bestas ruins, ventres preguiçosos”, conforme apontou o apóstolo Paulo.

d. Tanto é que a palavra “sincretismo” provém dos cretenses.

e. Em Creta, cada uma das numerosas cidades queria ser a mais autônoma possível em relação às demais. Somente quando estava em jogo a defesa contra um inimigo comum, os cretenses, que preferiam a independência, se uniam, tornando-se assim syn-cretenses (syn-cretismo). Nessa ilha confluía toda sorte de cultos, religiões e linhas de pensamentos. 5

e. Deus, então, nos deu d’Ele mesmo para que pudéssemos fugir da corrupção que há no mundo (2 Pe 1.4); por isso não há desculpas para não resistir ao pecado.

f. A santificação é o estilo de vida daqueles que realmente desejam ver o Senhor, pois, como está escrito, sem ela, a santificação, “ninguém verá a Deus” (Hb 12.14).

SÍNTESE DO TÓPICO I

A epístola objetivava das instruções ao jovem pastor Tito a respeito da responsabilidade que ele havia recebido de Paulo. A carta foi escrita aproximadamente em 64 d.C.

II. O PASTOR PRECISA PROTEGER O REBANHO DE DEUS.

1. Qualificação dos pastores.

a. O presbítero deve orientar a igreja nas questões doutrinárias e éticas (At 15.5-6;16.4).

b. Ele deve viver de tal forma que sua vida seja um exemplo para todo o rebanho (Hb 13.7; 1 Pe 5.3).

c. Suas qualificações:

Ø  Irrepreensível como líder da sua família: (se não cuida da sua própria casa, como cuidará da casa de Deus)
Ø  Irrepreensível como marido: (homem de uma única mulher); Calvino destaca o fato de que a poligamia era tão comum entre os judeus, que o perverso costume quase havia se convertido em lei. 6
Ø  Seus filhos não podem ser dissolutos: (trata-se da pessoa incapaz de guardar dinheiro, alguém que desperdiça seus bens, especialmente com a implicação de fazê-lo em prazeres, arruinando, desse modo, a si mesmo com uma vida luxuriosa e extravagante, como fez o filho pródigo que gastou sua herança com sua vida desenfreada (Lc 15.13). 7

d. Primeiro, o presbítero deve ser conhecido pelo que ele não é. Antes de falar das virtudes dos presbíteros, Paulo fala dos desfeitos que ele não deve ter: cinco são os termos usados quais os presbíteros não devem ceder pela tentação:

Ø  1. Não deve ser arrogante: o termo significa literalmente satisfazer a si mesmo. Gene Getz diz que o homem arrogante é um homem egocentrista. Ele constitui a própria autoridade. William Barclay descreve ainda o arrogante com as seguintes palavras:

“Uma pessoa intolerante, que condena tudo o que não pode compreender; que pensa que não há outra forma de fazer as coisas que não seja a sua, que crê que não existe outro caminho para o céu que não seja o seu, que menospreza os sentimentos e as crenças dos demais”. 8

Ø  2. Não deve ser irascível: genioso, esquentado, de estopim curto; que, além de irar-se com facilidade, também fica remoendo por longo tempo a sua ira. Geralmente este tipo de líder tem apenas seguidores submissos, mas não irmãos corresponsáveis.
Ø  3. Não deve ser dado ao vinho: não somente a abstinência total, mas o termo usado “paroinos” significa literalmente ser indulgente com o vinho. Tal palavra descreve o caráter do homem que, ainda em seus momentos sóbrios, atua com falta de autocontrole como se estivesse bêbedo.
Ø  4. Não deve ser violento: o termo aqui trata de um “golpeador” que trata da violência verbal quanto a física. Portanto, aquele que governa os outros precisa governar primeiro suas emoções, ações e reações.
Ø  5. Não deve ser cobiçoso: que não se preocupa com os meios que utiliza para ganhar dinheiro, conquanto que o faça.

REFLEXÃO: Somente neste quesito, quantos bispos, apóstolos e pastores de hoje seriam descredenciados do ministério episcopal?

e. O presbítero DEVE SER CONHECIDO pelo o que ELE FAZ: virtudes que ele deve ter:

Ø  1. Deve ser hospitaleiro: a igreja primitiva não tinha templos; os cultos eram realizados nas casas. Por isso o dom da hospitalidade era fundamental para a época. Sem contar que, no mundo antigo, havia muitas pessoas que viajavam, e as pousadas e estalagens eram caras, sujas e imorais.
Ø  2. Deve ser amigo do bem: amigo do bem, das coisas boas ou das pessoas boas.
Ø  3. Deve ser moderado (sóbrio): tem domínio completo das suas paixões e desejos. Essa virtude era considerada pelos gregos a pedra fundamental da virtude.
Ø  4. Deve ser justo: conceder a Deus e aos homens o que lhes és devido. O presbítero é um homem que não usa dois pesos e duas medidas.
Ø  5. Santo (piedoso): o homem que reverencia a decência fundamental da vida, as coisas que vão além de qualquer lei ou norma feita pelo homem.
Ø  6. Deve ser temperante: dono de si mesmo:

“Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade”. – Provérbios 16.32 (NVI)

2. Crentes, porém problemáticos.

a. Nossas igrejas sempre terão problemas, já que os cristãos ainda estão no corpo de carne. A solução para esses problemas não é escondê-los, nem os presbíteros renunciarem e encontrarem outra igreja. A resposta é encará-los com honestidade e com devoção para resolvê-los de acordo com a palavra de Deus. 9

b. Por isso o domínio da “sã doutrina” é essencial para um presbítero; somente assim, poderá, com propriedade, tapar a boca dos falsos mestres.

c. Em vista dos caráter difícil desse povo, Paulo aconselha ação severa: “É preciso fazê-los calar...” (v.11); eles precisam ser repreendidos severamente (v.13).

d. Esses falsos mestres eram itinerantes que saiam de casa em casa espalhando o veneno de suas falsas doutrinas (muitas seitas trabalham desta forma).

e. Paulo usou este termo “fazê-los calar!”... cujo sentido refere-se a um tipo de mordaça usada para manter fechada a boca de cães ferozes.

3. Não dar ouvidos a ensinos falsos.

a. A Bíblia nos exorta a evitar os hereges.

b. O melhor jeito de não dar ouvidos, é não deixa-los falar. Concordo com o Rev. Hernandes Dias Lopes:

 “A maneira mais adequada de combater o erro é espalhar a verdade. Você apaga o fogo falso com o fogo verdadeiro. A forma mais eficaz de combater os falsos mestres é multiplicar os verdadeiros mestres”. 10

SÍNTESE DO TÓPICO II

A qualificação dos pastores, segundo a epístola, é fundamental ser observada para que sejam competentes no relacionamento com os crentes complicados.

III. A PERCEPÇÃO DA PUREZA PARA OS PUROS E PARA OS IMPUROS.

1. Tudo é puro para os puros (v.15).

a. Os cretenses eram legalistas quanto à teologia; davam muita importância aos mandamentos, regras e preceitos fabricados por homens em vez de serem fiéis a palavra de Deus.

b. O profeta Isaías havia alertado para esse pecado (Is 29.13).

c. Jesus também denunciou esse mesmo erro nos fariseus, dizendo que “não é o que entra pela boca que contamina o homem, mas o que sai dela” (Mt 15.11; Mc 7.15).

d. Os cretenses transformavam as coisas boas em si mesmas em contaminadas e impuras (forte características das seitas).

e. William Barclay está correto quando diz que, se alguém é puro em seu coração, todas as coisas são puras para ele. Se o coração é impuro, torna impuro tudo o que pensa, fala ou toca. A pessoa que tem a mente suja faz com que todas as coisas sejam sujas.

2. Nada é puro para os impuros (v.15).

a. O cristão é sensível a voz do Espírito Santo e por isso tem “bom gosto” em suas escolhas.

b. Havia na vida dos cretenses separação entre teologia e espiritualidade.

c. Diziam conhecer a Deus, mas O negavam na sua conduta.

3. Conhecem a Deus, mas o negam com atitudes (v.16).

a. Paulo diz que o resultado dessa é inconstância abominação.  A palavra grega “bdeluktos”, “abominável”, é utilizada particularmente para referir-se aos ídolos e as imagens pagãs.

b. Essa palavra denota o que “causa horror e nojo a Deus”.

c. Por isso muitos naquele dia ouvirão de Jesus: “nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade” (Mt 7.23).

d. Que Deus nos livre da hipocrisia para não sermos vomitados pelo Senhor.

SÍNTESE DO TÓPICO III

O apóstolo admoesta que para os puros, tudo é puro; para os impuros, nada é puro. Há quem diga que conhece a Deus, mas o nega com suas atitudes: isso é perfeitamente possível.

CONCLUSÃO

1. Paulo escreveu três cartas (1 e 2 Timóteo e Tito) com instruções acerca da organização da igreja local.

2. Infelizmente elas têm sido ignoradas nos dias de hoje por grande parte dos líderes evangélicos; o resultado disso, o povo está perecendo por falta de conhecimento.

3. Os sacerdotes de hoje, na grande maioria, estão como nos tempos do profeta Oséias; rejeitaram o conhecimento de Deus (Os 4.6); o próprio Deus é quem os acusou (Os 4.4).

4. Deus rejeita o homem quando o homem o rejeita e despreza a sua lei (Os 4.6).

5. Que Deus nos dê do Seu Santo temor que é o princípio da sabedoria, para por Ele não sermos julgados, pois está escrito:

“O Senhor julgará o seu povo. Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo”. – Hebreus 10. 30,31 (AFC)

Soli Deo Gloria!
Fabio Campos

Aula ministrada na ICTJ dia 13/09/2015
____________________________________________________
Notas:
1 LOPES, Hernandes Dias. Tito e Filemom; Doutrina e vida, um binômio inseparável, p.47.
2 Ibid, p.11.
3 RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento, p.482.
 4 LOPES, Hernandes Dias. Tito e Filemom; Doutrina e vida, um binômio inseparável, p.15.
 5 Ibid, p. 23.
 6 Ibid, p. 51.
 7 Ibid, p. 53
 8 Ibid, p. 54.
 9 WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico do Novo Testamento, p.701-702.
 10LOPES, Hernandes Dias. Tito e Filemom; Doutrina e vida, um binômio inseparável, p.48.
 11 Ibid, p. 64. 

______________________________________________
Referências bibliográficas:
Escola Bíblica dominical. A igreja e o seu testemunho. 3º trimestre de 2015; CPAD; lição 11.
RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro, RJ; CPAD, 2014.
LOPES, Hernandes Dias. Tito e Filemom; Doutrina e vida, um binômio inseparável. São Paulo, SP; Hagnos, 2009.