domingo, 2 de agosto de 2015

EBD - Lição 5 | "APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO"


Escola Bíblica Dominical – 2 de agosto de 2015 | Lição 5
Texto Áureo: 1 Tm 4.1


Verdade prática: A apostasia e a infidelidade a Deus são características marcantes dos tempos do fim.

Reflexão e objetivo da aula: Ajudar-nos a nos guardar dos apostatas, das heresias e entender o que é ser um ministro diligente e fiel.

Leitura bíblica em classe: 1 Tm 4. 1-2, 5-8; 12,16

INTRODUÇÃO:

a. Lamentavelmente, hoje, em nome de um “falso amor”, muitas igrejas não orientam com afinco os seus membros acercas dos perigos das heresias e a respeito dos apostatas.

b. A igreja sempre foi vítimas dos infiéis e dos apostatas:

“Eles saíram do nosso meio, mas na realidade não eram dos nossos, pois, se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco; o fato de terem saído mostra que nenhum deles era dos nossos – 1 Jo 2.19 (NVI)

c. A Bíblia não nos ensina a orar por apostatas (1 Jo 5.16); o que precisamos entender é que, todo apostata, deliberadamente rompeu com a fé cristão sendo “impossível renová-los para o arrependimento” (Hb 6.6).

d. Geralmente aquele que se apostatou da fé é sempre alguém muito instruído, inteligente, entretanto, sem temor. Por isso, por persuasão, fazem discípulos para si mesmos e não para Cristo (At 20.30).

e. É importante alertar aqueles que não gostam de apologética e nem de teologia que, as cartas são uma resposta a falsas doutrinas e uma denúncia dos falsos profetas.

“Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina, perseverando nesses deveres, pois, fazendo isso, você salvará tanto a si mesmo quanto aos que o ouvem”. – 1 Tm 4.16 (NVI)


I. A APOSTASIA DOS HOMENS

1. A apostasia.

a. Paulo nunca se acovardou perante as heresias; por amar o Senhor e o seu povo, com todo emprenho ele se esmerava em preservar a sã doutrina.

b. Paulo sabia que o seu ministério não lhe traria popularidade o que era algo tão almejada pelos falsos profetas; ele acabou abandonado devido ao seu zelo pela verdade:

“Na minha primeira defesa, ninguém apareceu para me apoiar; todos me abandonaram”. – 2 Tm 4.16 (NVI)

c. Paulo sempre buscou os aplausos de Deus, e por falar a verdade juntou para si inimigos:

“Tornei-me inimigo de vocês por lhes dizer a verdade?” – Gálatas 4.16 (NVI)

d. O sentido de apostasia é o “abandono premeditado e consciente da fé cristã”. O povo de Israel se apostatou: “eles me abandonaram, a mim” (Jr 2.13).

e. O termo “Apostasia” é o mesmo usado para divórcio.

2. Doutrinas de demônios (v.1).

a. O falso profeta José Luis de Jesús Miranda.

José Luis de Jesús Miranda (Ponce, 22 de abril de 1946 - Miami, 8 de agosto de 2013) foi um líder religioso porto-riquenho, fundador da Creciendo en Gracia (Growing In Grace International Ministry, Inc.), um movimento que afirma ensinar a "doutrina da Graça". Ele afirmava ser Jesus Cristo e também o Anticristo, e possuir uma tatuagem do número "666" em seu antebraço.1 Ele se autodenominava como "Jesucristo Hombre" (que significa "Jesus Cristo Homem"). [1]

b. Charles Spurgeon dizia que um pastor infiel é o melhor agente de satanás dentro da igreja.

3. Espíritos enganadores.

a. O principal agente das heresias é o diabo: “espíritos enganadores com doutrinas de demônios”.

b. Toda heresia, a princípio, se mostra atraente; por isso, Paulo, exortar a não ignorarmos os ardis (astúcia) de satanás.

c. A Bíblia diz que satanás tem os seus ministros (2 Co 11.14).

“O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie da sua sincera e pura devoção”. – 2 Coríntios 11.3 (NVI).

“Amados, não creiam em qualquer espírito, mas examinem os espíritos para ver se eles procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo”. – 1 João 4.1 (NVI)

d. Precisamos tomar cuidado a onde colocamos os nossos olhos; a internet está cheia de heresias; na internet a heresia, em quantidade, ganha da ortodoxia.

e. Um erro muito difundido nestes últimos anos é legitimidade, por meio de doutrinas, acerca da prática homossexual; o erro neste aspecto, no caso doutrinário, é muito mais nocivo do que o moral.

f. Quem quiser acreditar no erro, certamente o erro terá:

“Ele [agente de satanás] fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar. POR ESSA RAZÃO Deus lhes envia um poder sedutor, a fim de que creiam na mentira”. – 2 Ts 2. 10-11 (NVI)

SÍNTESE DO TÓPICO I

Paulo advertiu a Timóteo para que ele combatesse os falsos mestres e seus ensinos que levavam as ovelhas à apostasia.

II. A FIDELIDADE DOS MINISTROS

1. O bom ministro.

a. Nem todo diácono será um pastor, mas todo pastor deve ser um diácono.

b. A palavra “ministro” usada por Paulo é “diakonos”; é aquele que serve os convidados à mesa como um garçom.

c. Somos mordomos de Deus, e o alimento que servimos ao seu povo é a Palavra.

d. Um ministro servirá a igreja muito mais do que será servido; amará muito, porém será amado por poucos. Nisto consiste a maturidade cristã; amar primeiro para que, quem sabe um dia possa ser amado.

“Assim, de BOA VONTADE, por AMOR de VOCÊS, gastarei tudo o que tenho e também me desgastarei pessoalmente. Visto que os amo tanto, devo ser menos amado?” – 2 Co 12.15 (NVI).

e. Só vamos conseguir combater as heresias se estivermos calçados com a sã doutrina, mas infelizmente os “filhos das trevas são mais habilidosos do que os filhos da luz”.

2. Rejeitando as fábulas profanas.

a. A palavra grega “modos” traduzida aqui por “fábulas”, provavelmente corresponde a histórias míticas que foram forjadas sobre fatos do Antigo Testamento, mormente as genealogias, mais tarde transformadas em intricados sistemas filosóficos gnósticos.

b. Precisamos orientar o rebanho a meditar e estudar as Escrituras (Sl 119.130). 

c. Um homem com a Bíblia na mão pode dizer, sem medo de errar, que o mundo todo está errado.

d. Um homem com o temor de Deus em seu coração é infinitamente mais sábio do que o mundo com todos os seus livros.

e. “Perca o debate, mas não perca o temor” (tema de um artigo que vou escrever).

f. Geralmente os meninos na fé, aqueles que possui pouco conhecimento bíblico, é quem são levados pelos ventos de doutrina (Ef 4.14).

3. O exercício físico e a piedade.

a. Piedade (greg. Eusebes) tem o sentido de “reverencia” e “respeito”.

b. Paulo não proíbe o exercício físico. Ele apenas usa essa ilustração (pelas as olimpíadas da época) para trazer um ensinamento.

c. Por isso, assim como o atleta se prepara para conseguir ganhar o troféu, nós, porém, nos exercitamos na piedade para ganharmos o tesouro que jamais perecerá.

d. Nós precisamos “combater o bom combate” e “correr” o caminho proposto para nos apropriarmos da “coroa” eterna.

SÍNTESE DO TÓPICO II

A fidelidade do ministro no ensino da Palavra de Deus e no combate as heresias.

III. A DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO

1. O ensino prescritivo.

a. O líder deve ter um profundo amor pela verdade da palavra.

b. Infelizmente, no famoso texto fora do seu contexto de que “a letra mata e o Espírito vivifica”, muitos têm desprezado o estudo da Palavra de Deus.

“Se você vai caminhar com Jesus Cristo, você vai estar contra todo o mundo e contra a grande maioria dos evangélicos também”. – Paul Washer

c. Quem rejeita a Palavra, rejeita o Deus da Palavra.

2. O exemplo dos fiéis (v.12).

a. Timóteo era um jovem pastor com os seus 30 a 35 anos (não sabemos exatamente).

b. A igreja de Éfeso era constituída na sua maioria por pessoas mais velhas; havia presbíteros e anciãos (podemos dizer que as duas palavras se refere ao mesmo cargo).

c. Isso muito provavelmente inibia Timóteo de disciplinar alguém; por isso ele se mostrava tímido.

“Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio”. – 2 Tm 1.7 (AFC)

d. Na época só considerava sábios (maduros) homens acima de 40 anos; pela idade e experiência somente estes tinha o discernimento.

e. Por isso disse Paulo “ninguém despreze a sua mocidade”.

f. Algumas pessoas estavam inclinadas a desprezar a sua liderança; por isso, Paulo, então, encoraja-o a se erguer como modelo de maturidade espiritual para todos os fieis.

g. Timóteo deveria ser exemplo:

Ø  Na Palavra
Ø  No procedimento
Ø  No amor
Ø  Na fé
Ø  Na Pureza

“Seu sermão mais eloquente não é o sermão pregado do púlpito, mas aquele vivido no lar, na igreja e na sociedade. Ele não prega apenas aos ouvidos, mas também aos olhos. Não prega apenas com palavras, mas, sobretudo com vida e com exemplo. O exemplo não é apenas uma forma de ensinar, mas a única forma eficaz”. – Hernandes Dias Lopes

3. O cuidado que o ministro deve ter com o aprendizado.

a. Um ministro da Palavra é ávido por conhecimento bíblico e teológico.

b. É possível ter graça no coração sem luz na cabeça (fanatismo, superstição).

c. O Rev. Hernandes Dias Lopes diz que um pregador não pode viver se alimentando de leite magro durante a semana e querer pregar “leite tipo A” no domingo.

d. Charles Koller afirma que “um pregador jamais manterá o interesse do seu povo se pregar somente da plenitude do seu coração e do vazio da sua cabeça.

e. Precisamos estudar e manusear bem a Palavra da verdade; primeiro nos alimentamos para depois alimentarmos.

f. Primeiro nos debruçamos sobre os livros, depois nos levantamos diante da congregação para ensinar.

SÍNTESE DO TÓPICO III

O ministro de Deus deve ser diligente quanto ao aprendizado da Palavra de Deus.

CONCLUSÃO

1. Que Deus nos livre da apostasia; que possamos ser um referencial na vida de alguém a respeito de firmeza doutrinária através da nossa convicção daquilo que cremos.

2. No que concerne ao aumento dos falsos profetas e da apostasia que vem se instalando no meio evangélico, é simplesmente cumprimento da Bíblia a respeito dos “espíritos enganadores” e das “doutrinas de demônios”.

3. Por isso tais coisas não deverão nos deixar perplexos, mas apenas vigilantes.

4. Ainda que não sejamos um ministro de púlpito, certamente seremos sobre a vida de alguém. Paulo diz que tudo isso começar dentro de casa (1 Tm 5.8).

5. Por isso, então, nos armemos da espada do Espírito, que é a Palavra de Deus.

6. Leia bons livros (sugestão: “Paixão e Piedade”; Hernandes Dias Lopes).

7. Certamente o Senhor confirmará as obras de nossas mãos.


Soli Deo Gloria!
Fabio Campos

Aula ministrada na ICTJ dia 02/08/2015
______________________________________________
Referências bibliográficas:

Escola Bíblica dominical. A igreja e o seu testemunho. 3º trimestre de 2015; CPAD; lição 05.
LOPES, Hernandes Dias. 1 Timóteo; o pastor, sua vida e sua obra. Hagnos, 2014. São Paulo, SP
LOPES, Hernandes Dias. Piedade e Paixão. Candeia, 2002. São Paulo, SP