terça-feira, 7 de outubro de 2014

É ISSO, SOU BRASIL!


Por Fabio Campos


Essa eleição tem sido uma das mais sujas dos últimos tempos. Os candidatos estão angariando votos não pelas propostas, mas através de ataques difamando o seu adversário. As discussões nas redes sociais são grotescas. Tudo bem que sempre foi desta forma, todavia, a tecnologia deu o poder de evidencia daquilo que está no coração das pessoas (pois a boca fala do que está cheio o coração); a notícia chega muito mais rápida e os escândalos dos corruptos são trazidos à luz num click.

O que me incomoda é o partidarismo das pessoas em detrimento do patriotismo. Fazem do seu candidato um “deus” soberano e “santo” - que achou a resolução de todos os problemas socioeconômicos. Nesta hora até “ateu” acredita em algum “deus”.

Entenda, tenho o meu candidato e por ele está minha torcida. Entretanto, minha esperança jamais se apoiará em tal pessoa (até porque o santo é de barro). Você acha mesmo, sendo sincero, que os candidatos estão atacando um ao outro, para que, entrando na política, possa te favorecer? Não meus amigos e irmãos! Eles estão interessados numa boa fatia que tem por pacote uma grande mordomia. O homem é corrupto por natureza. Não é o exterior que contamina, mas o interior, pois a corrupção e prática de todos os males são evidências do que está no secreto do coração. Não há um justo; não há quem faço o bem; todos se extraviaram da verdade.

Lamentável como muitos têm passado a mão na cabeça dos corruptos. Puxa a ficha e você vai ver que todos têm culpa no cartório. Se o candidato de minha preferência, “meter a mão” ou “não cumprir” o que por ele foi prometido, não é porque votei nele que vou acobertar o seu “pecado” a vista da oposição. O Brasil está infinitamente acima do PSDB e do PT, e por isso ser “partidário” confiando no homem, é uma visão limitada, medíocre e egocêntrica, de quem de fato quer brigar por uma causa a constituir um povo e uma nação.

Precisávamos estar unidos pelo bem comum. Os governantes tinham que tremer diante do povo e não “tirar sarro da nossa cara” nos horários políticos. Estamos advogando, sem conhecer de perto, pessoas que não estão nem aí para o desenvolvimento da sociedade. Roubam nossa família e ainda contam com a nossa defesa. Quanta falta de respeito na exposição de adjetivos para com aqueles que discordam do outro. Quanta ofensa pessoal. Estamos carentes de maturidade pela qual nos leva a um debate equilibrado, respeitoso, até o campo das ideias. O que nos une precisa ser maior do que aquilo que nos separa. O Brasil é maior do que qualquer partido.

Feita a ressalva, é importante salientar que a Soberania de Deus não anula a responsabilidade do homem. O juízo e a misericórdia são alguns dos Atributos dAquele que “destrona os reis e os estabelece” (Dn 2.21). Um dos maiores juízos sobre um povo foi sentenciado na seguinte frase: “Atende à voz do povo” (1 Sm 8.7). Vejo o futuro do nosso país por duas óticas: “juízo ou misericórdia”. Como está escrito: “Continue o injusto a praticar injustiça; continue o imundo na imundícia; continue o justo a praticar justiça; e continue o santo a santificar-se". (Ap 22.11).

Se o povo quer corrupção; terás a corrupção. Se o povo quiser honestidade, em parte, terás a honestidade. Porco não gosta de pérola, ele prefere lavagem. Ainda bem que Deus é bom, justo, puro e santo – assim sendo eu posso descansar o meu coração de que o mal não irá prevalecer mesmo estando na Babilônia.

Lembremos, então, de pessoas que amam nossa nação e que abominam a corrupção. Existe os sete mil que não se dobraram a Baal. Muitos estão nos becos desconhecidos; os quais decidiram firmemente em seu coração “a não se contaminar com as iguarias de um governo corrupto”. Muito obrigado, Joaquim Barbosa, pela sua coragem, dedicação e ousadia.


É isso, sou Brasil.

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com