quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A MÃO É PARA TODOS! A FACE DE DEUS É PARA POUCOS!


Por Fabio Campos

Texto base: Quando tu disseste: Buscai o meu rosto; o meu coração disse a ti: O teu rosto, Senhor, buscarei”. – Salmos 27.8 (AFC)


Qual o homem vivente que não precisa do favor de Deus? Quem poderia subsistir sem a graça do Eterno? Até o pior dos incrédulos desfruta do sol que nasce todas as manhãs e das chuvas que rega a terra, trazendo a provisão do seu sustento (Mt 5.43-48). Quem pode cobrar pelo “oxigênio” dado e desfrutado por todos? Como está escrito: “Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela contém” (Sl 24.1).

Não há ninguém que possa viver sem a provisão divina. Como está escrito: “Todos os seres vivos olham para ele com esperança, e ele dá alimento a todos no tempo certo. Quando os alimenta, o Senhor Deus é generoso; ele satisfaz a todos os seres vivos” (Sl 145.15-16 NTLH). Veja o que Paulo diz em Listra. Após curar um coxo, a multidão queria adorá-lo. Paulo diz aquele povo ímpio que, mesmo sem conhecer o Senhor, eles desfrutavam da sua provisão física e emocional:

"Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós também somos humanos como vocês. Estamos trazendo boas novas para vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há. No passado ele permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios caminhos. Contudo, não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e enchendo de alegria os seus corações". – Atos 14. 15-17 (NVI)

Este é o nosso Deus Criador de todas as coisas. Ele fez tudo e assumiu a responsabilidade de sustentar tudo e a todos com a sua provisão. Até os animais disto desfrutam, pois “não semeiam,  não colhem e nem ajuntam em celeiros”, e mesmo assim, se beneficiam da provisão de Deus (Mt 6.26-30). A mão do Senhor é para todos, entretanto, sua face é para poucos.

O salmista, no salmo lido nesta noite, escutou do Senhor Deus: “Buscai o meu rosto”. Mesmo no tempo de angústia e ansiedade, contexto este no qual o salmista estava quando escreveu o salmo - de pronto, ele responde: “O teu rosto, Senhor, buscarei”. Aqui está à diferença daquele que busca somente a mão de Deus daquele que busca, em intimidade, a face do Senhor. A multidão do capítulo 6 do Evangelho de João seguia o Senhor Jesus. Todavia, por discípulo, Ele contava apenas com doze. Dos doze, três eram os mais íntimos; e dentre os três, um era chamado “discípulo amado”.

Esta multidão o seguia apenas para obter do favor do Senhor. Pelo “pão que perece eles procuravam”; mas severamente foram reprendidos, e o Senhor os expôs dizendo: “Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem lhes dará” (Jo 6.27 NVI).

Como é estranho ouvir a alguém falar de Deus quando com Ele possui apenas um relacionamento formal. Pessoas que procuram na religião, métodos, para conhecer o Senhor. Deus não é o Pai dessa gente, mas mordomo. Fazem de Deus um meio / amuleto / talismã para angariar do seu favor. Em troca de cura e prosperidade, fazem votos, e os cumprem a risca seguindo o exemplo do irmão do filho pródigo. Seguia todas as ordenanças estabelecidas, no entanto, sem conhecer o Pai.

Outros estão preocupados somente com sua vida ministerial. Frustrados na atividade secular fazem do ministério um escape para preencher o vazio e se sentir útil, a fim de ser estimado pela sociedade. Assim como Marta, faz muito para Deus, todavia, diferente de Maria, perdem a melhor parte, aquela que nunca lhe seria tirada, a saber, a FACE do Senhor.

Percebemos à distancia aqueles que conhecem a Deus não somente de ouvir falar, mas de com Ele andar. Aqueles que estão constantemente sob a Face do Senhor tem leveza no espírito; são gratos; sua boca transborda de graça e misericórdia. Quão bonito é ver a alegria de alguém que conhece o Senhor na intimidade. Há muito mais alegria para estes, do que para aqueles que possuem apenas as bênçãos do Senhor, pois eles têm o próprio Senhor, como está escrito: “Encheste o meu coração de alegria, alegria maior do que a daqueles que têm fartura de trigo e de vinho” (Sl 4.7 NVI).

Temos um grande esconderijo, pois estamos debaixo da sombra do Onipotente. A presença de Deus não nos traz somente das suas bênçãos, mas nos dá Ele próprio, por isso que o salmista diz: “Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente” (Sl 105.4 AFC). Como é feliz o homem que busca o Senhor de “todo o seu coração” (Sl 119.10). Daniel era um destas. Ele buscava o rosto de Deus em oração (Dn 9.3). Provou da Sua companhia e por isso rejeitou as iguarias do rei.

Não há outro método de se buscar a face de Deus a não ser pela oração. Daniel sabia do valor disto, e mesmo emitido um decreto pelo rei, de “não fazer nenhuma petição a outro deus” (Dn 6.7), Daniel não obedeceu à ordem pelo rei estabelecida. Ele colocou tudo em jogo para não perder a face de Deus que ele tanto conhecia através da oração. Ele não temeu perder o prestígio da parte do rei e nem os benefícios que desfrutava. Muito além foi Daniel em sua ousadia. Ele considerou a “face” de Deus, o estar na sua presença, muito mais valioso do que a sua própria vida, e por isso preferiu ser lançado na cova dos leões.

Daniel sabia que não tinha bem nenhum que não fosse o Senhor. Ele rejeitou as bênçãos do rei para permanecer com a presença de Deus.

Quanta diferença há entre Saul e Davi. Saul na consequência do seu pecado se preocupou em perder o seu reinado; enquanto que Davi temia ser lançado fora da presença de Deus devido a sua iniquidade. Assim ele disse: “Não me expulses da tua presença” (Sl 51.11). Quanta gente hoje se porta como Saul e teme somente a perda da bênção por consequência do seu pecado. Precisamos lamentar pelo fato de termos, ao praticar a iniquidade, entristecido o Espírito Santo. Quem experimentou verdadeiramente a presença de Deus, temerá não em perder as mãos do Senhor (pois isso, como abordamos, até os ímpios têm), mas a sua face.

O Senhor ainda procura por aqueles que o adoram em espírito e em verdade, como está escrito: “E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração” (Jr 29.13 AFC). Todo aquele que o Pai encaminhar até Jesus de maneira alguma será rejeitado por Ele.

Está em nossas mãos, amados. Buscar a Deus de todo o nosso coração e desejar pela sua presença mais do que qualquer outra coisa no mundo. Ao contrário disto teremos somente as bênçãos como também tem aqueles que não conhecem ao Senhor e nem fazem questão de procura-lo. De que lado você está? Como está escrito:

“Assim diz o Senhor: "Não se glorie o sábio em sua sabedoria nem o forte em sua força nem o rico em sua riqueza, mas quem se gloriar, glorie-se nisto: em compreender-me e conhecer-me, pois eu sou o Senhor”. – Jeremias 9. 23-24 (NVI).

Que possamos desejar a presença de Deus muito mais do que os seus presentes, pois tudo o mais será acrescentado (Mt 6.33). Aqueles que se alegram em Deus terão os desejos do seu coração satisfeitos (Sl 37.4).

Deus é o nosso maior presente!

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos

____________
Sermão ministrado na Igreja Cristã da Trindade – Jabaquara – em 22.10.2014