segunda-feira, 27 de outubro de 2014

ESPERANDO CONTRA A ESPERANÇA


Por Fabio Campos

Texto base: Então a soberania, o poder e a grandeza dos reinos debaixo de todo o céu serão entregues nas mãos dos santos, o povo do Altíssimo. O reino dele será um reino eterno, e todos os governantes o adorarão e lhe obedecerão”. – Daniel 7.27 (NVI)


O homem sábio vive um paradoxo consigo mesmo. Esperar contra a esperança é trazer a memória, em meio à ruína, aquilo que pode dar esperança. Mas onde há esperança? Ela se encontra nas palavras do profeta, quando contemplava o seu próprio povo sendo levado cativo por uma nação estranha. Por boca de Jeremias Deus disse onde nossa alma deve esperar: “nas misericórdias do Senhor, elas se renovam a cada manhã; elas não têm fim” (Lm 3.22).

Quando a iniquidade dos homens se torna manifesta, a ira de todos é suscitada. A alegria dos maus está na tristeza do seu adversário e não na sua própria vitória. Com falatórios inúteis e profanos reduzem o futuro de uma nação a equivalência de uma partida de futebol. Disto Deus trará juízo, como foi dito por Aquele que julgará o mundo com justiça: “Mas eu lhes digo que, no dia do juízo, os homens haverão de dar conta de toda palavra inútil que tiverem falado. Pois por suas palavras você será absolvido, e por suas palavras será condenado" (Mt 12. 36-37 NVI).

A questão disto tudo é o fomento da porfia e a exposição do ódio reprimido de um coração jaz na amargura e na revolta (pois a boca fala do que tem o coração). Esta sublevação ignora a razão, e na maioria das vezes atingem inocentes e não os culpados.  Minha preocupação não é com a postura do "povão", mas com a hipocrisia intelectual. Desde o princípio foi assim: "coma do fruto e sereis conhecedores do bem e do mal".

Sendo satanás astuto e mais entendido na ciência do que qualquer homem - Deus é o Senhor e Todo Poderoso, e faz dele (Diabo) um rato em suas mãos para cumprir seus propósitos. Como disse o apóstolo: “aos impuros e aos que se deixaram levar pela mentira, e não ama a verdade ancorando sua alma nela, Deus manda a operação do erro, para darem crédito à mentira a fim de serem julgados com todos quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça”.

Eles não são de paz; pelo contrário, como disse o salmista: “tramam enganos contra os pacíficos da terra”. E pelo o diabo afastam o homem da simplicidade devida a Cristo. É o mal travestido de bem - cegados foram pelo deus deste século – tornam-se pedra de tropeço aos pequeninos. Todavia, vão de mal para pior, ENGANANDO e sendo ENGANADOS”.

Com estes, a discussão é inútil, como bem disse Nosso Senhor: “Não joguem aos cães o que é santo e não atirem pérolas aos porcos de medo que as pisoteiem e, voltando-se, os dilacerem”. Eles mesmos não compreendem o que dizem ou o que ensinam. Mas vale a pena confronta-los para que, de algum modo, alguns, possam “ser trazidos à sensatez - livrando-os dos laços do leão que ruge a fim de traga-los”. Nossa espada é mais forte do que este leão.

Esta é espada de dois gumes; “ela penetra até o ponto de dividir a alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração”. Essa palavra liberta e destrona principados e potestades. Sem nenhum golpe, homens pela Palavra, venceram os piores impérios. Esta Palavra prevaleceu contra a cavalaria da Babilônia; contra a “sabedoria sofista” da Grécia; e contra a espada de Roma. Qualquer um que tem esta Palavra em seus lábios, é a boca Daquele que em breve matará nosso inimigo apenas com um sopro, ou seja, com a Sua Palavra.

Como disse Martinho Lutero: “O demônio deve ser aniquilado sem a ajuda de uma só mão, mas somente com a Palavra. Contra isso, não há recurso”. Reinos foram destruídos sem a ajuda de mão alguma, como escreveu o profeta Daniel.

Triste coisa é ver um homem qual um dia foi um defensor das Escrituras e que agora, pela vaidade do saber, entrega seus caminhos a filosofias e doutrinas abertamente contrárias àquilo que decretou o Eterno. O Senhor conhece os que são seus, e quem não perseverou na doutrina, evidencia publicamente que, nunca foi amante dessa Palavra com o coração, mas somente de língua. Como bem disse Lutero: "E o que na Escritura é considerado como pior flagelo de Deus e como o maior sinal de sua ira é que Ele retire sua palavra dos homens".

Por que, então, crer contra esperança? O cenário não é bom e o mal tem prevalecido. Entretanto, não há império que dure para sempre. Quem ousaria dizer que Roma deixaria de existir? Mas quando “a medida de iniquidade” transborda do cálice da ira, “o mal foge sem ser perseguido”. O “rumor de uma folha os deixará aterrorizados”. Deus dará a eles “um coração temeroso, de modo que a sua existência ficará como que em suspenso diante dEle. Pela manhã, dirás: ‘Deus queira que eu viva até a tarde’! E pela tarde, dirás: ‘Deus queira que eu viva até amanhã’”.

Todo reino que existiu com grande força, constituídos pelos homens, um dia acabou. A grande maioria não findou pelas mãos de seus inimigos, mas pelas suas próprias. Simplesmente um estanhou o seu companheiro, e assim foram entregues a suas paixões.

Mas há um Reino que não terá fim. O Rei deste Reino dirigirá as nações com justiça. Nele não há treva alguma, e todo língua confessará, mesmo não querendo, que Ele é Senhor dos senhores e Rei dos reis. Como diz o hino: “porque Ele vive, posso crer no amanhã” [...] ““... mas eu bem sei, eu sei que a minha vida está nas mãos do meu Jesus, que Vivo estás. Nisto ponho o meu coração e descanso na sua paz:

““... o firme fundamento de Deus permanece inabalável e selado com esta inscrição: "O Senhor conhece quem lhe pertence" e "afaste-se da iniquidade todo aquele que confessa o nome do Senhor". – 2 Timóteo 2.19 (NVI)

Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
___________
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


LUTERO, Martinho. A liberdade do Cristão. São Paulo-SP: Ed. Escala; Coleção. Grandes Obras do Pensamento Universal – 83.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A MÃO É PARA TODOS! A FACE DE DEUS É PARA POUCOS!


Por Fabio Campos

Texto base: Quando tu disseste: Buscai o meu rosto; o meu coração disse a ti: O teu rosto, Senhor, buscarei”. – Salmos 27.8 (AFC)


Qual o homem vivente que não precisa do favor de Deus? Quem poderia subsistir sem a graça do Eterno? Até o pior dos incrédulos desfruta do sol que nasce todas as manhãs e das chuvas que rega a terra, trazendo a provisão do seu sustento (Mt 5.43-48). Quem pode cobrar pelo “oxigênio” dado e desfrutado por todos? Como está escrito: “Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela contém” (Sl 24.1).

Não há ninguém que possa viver sem a provisão divina. Como está escrito: “Todos os seres vivos olham para ele com esperança, e ele dá alimento a todos no tempo certo. Quando os alimenta, o Senhor Deus é generoso; ele satisfaz a todos os seres vivos” (Sl 145.15-16 NTLH). Veja o que Paulo diz em Listra. Após curar um coxo, a multidão queria adorá-lo. Paulo diz aquele povo ímpio que, mesmo sem conhecer o Senhor, eles desfrutavam da sua provisão física e emocional:

"Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós também somos humanos como vocês. Estamos trazendo boas novas para vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há. No passado ele permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios caminhos. Contudo, não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e enchendo de alegria os seus corações". – Atos 14. 15-17 (NVI)

Este é o nosso Deus Criador de todas as coisas. Ele fez tudo e assumiu a responsabilidade de sustentar tudo e a todos com a sua provisão. Até os animais disto desfrutam, pois “não semeiam,  não colhem e nem ajuntam em celeiros”, e mesmo assim, se beneficiam da provisão de Deus (Mt 6.26-30). A mão do Senhor é para todos, entretanto, sua face é para poucos.

O salmista, no salmo lido nesta noite, escutou do Senhor Deus: “Buscai o meu rosto”. Mesmo no tempo de angústia e ansiedade, contexto este no qual o salmista estava quando escreveu o salmo - de pronto, ele responde: “O teu rosto, Senhor, buscarei”. Aqui está à diferença daquele que busca somente a mão de Deus daquele que busca, em intimidade, a face do Senhor. A multidão do capítulo 6 do Evangelho de João seguia o Senhor Jesus. Todavia, por discípulo, Ele contava apenas com doze. Dos doze, três eram os mais íntimos; e dentre os três, um era chamado “discípulo amado”.

Esta multidão o seguia apenas para obter do favor do Senhor. Pelo “pão que perece eles procuravam”; mas severamente foram reprendidos, e o Senhor os expôs dizendo: “Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem lhes dará” (Jo 6.27 NVI).

Como é estranho ouvir a alguém falar de Deus quando com Ele possui apenas um relacionamento formal. Pessoas que procuram na religião, métodos, para conhecer o Senhor. Deus não é o Pai dessa gente, mas mordomo. Fazem de Deus um meio / amuleto / talismã para angariar do seu favor. Em troca de cura e prosperidade, fazem votos, e os cumprem a risca seguindo o exemplo do irmão do filho pródigo. Seguia todas as ordenanças estabelecidas, no entanto, sem conhecer o Pai.

Outros estão preocupados somente com sua vida ministerial. Frustrados na atividade secular fazem do ministério um escape para preencher o vazio e se sentir útil, a fim de ser estimado pela sociedade. Assim como Marta, faz muito para Deus, todavia, diferente de Maria, perdem a melhor parte, aquela que nunca lhe seria tirada, a saber, a FACE do Senhor.

Percebemos à distancia aqueles que conhecem a Deus não somente de ouvir falar, mas de com Ele andar. Aqueles que estão constantemente sob a Face do Senhor tem leveza no espírito; são gratos; sua boca transborda de graça e misericórdia. Quão bonito é ver a alegria de alguém que conhece o Senhor na intimidade. Há muito mais alegria para estes, do que para aqueles que possuem apenas as bênçãos do Senhor, pois eles têm o próprio Senhor, como está escrito: “Encheste o meu coração de alegria, alegria maior do que a daqueles que têm fartura de trigo e de vinho” (Sl 4.7 NVI).

Temos um grande esconderijo, pois estamos debaixo da sombra do Onipotente. A presença de Deus não nos traz somente das suas bênçãos, mas nos dá Ele próprio, por isso que o salmista diz: “Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente” (Sl 105.4 AFC). Como é feliz o homem que busca o Senhor de “todo o seu coração” (Sl 119.10). Daniel era um destas. Ele buscava o rosto de Deus em oração (Dn 9.3). Provou da Sua companhia e por isso rejeitou as iguarias do rei.

Não há outro método de se buscar a face de Deus a não ser pela oração. Daniel sabia do valor disto, e mesmo emitido um decreto pelo rei, de “não fazer nenhuma petição a outro deus” (Dn 6.7), Daniel não obedeceu à ordem pelo rei estabelecida. Ele colocou tudo em jogo para não perder a face de Deus que ele tanto conhecia através da oração. Ele não temeu perder o prestígio da parte do rei e nem os benefícios que desfrutava. Muito além foi Daniel em sua ousadia. Ele considerou a “face” de Deus, o estar na sua presença, muito mais valioso do que a sua própria vida, e por isso preferiu ser lançado na cova dos leões.

Daniel sabia que não tinha bem nenhum que não fosse o Senhor. Ele rejeitou as bênçãos do rei para permanecer com a presença de Deus.

Quanta diferença há entre Saul e Davi. Saul na consequência do seu pecado se preocupou em perder o seu reinado; enquanto que Davi temia ser lançado fora da presença de Deus devido a sua iniquidade. Assim ele disse: “Não me expulses da tua presença” (Sl 51.11). Quanta gente hoje se porta como Saul e teme somente a perda da bênção por consequência do seu pecado. Precisamos lamentar pelo fato de termos, ao praticar a iniquidade, entristecido o Espírito Santo. Quem experimentou verdadeiramente a presença de Deus, temerá não em perder as mãos do Senhor (pois isso, como abordamos, até os ímpios têm), mas a sua face.

O Senhor ainda procura por aqueles que o adoram em espírito e em verdade, como está escrito: “E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração” (Jr 29.13 AFC). Todo aquele que o Pai encaminhar até Jesus de maneira alguma será rejeitado por Ele.

Está em nossas mãos, amados. Buscar a Deus de todo o nosso coração e desejar pela sua presença mais do que qualquer outra coisa no mundo. Ao contrário disto teremos somente as bênçãos como também tem aqueles que não conhecem ao Senhor e nem fazem questão de procura-lo. De que lado você está? Como está escrito:

“Assim diz o Senhor: "Não se glorie o sábio em sua sabedoria nem o forte em sua força nem o rico em sua riqueza, mas quem se gloriar, glorie-se nisto: em compreender-me e conhecer-me, pois eu sou o Senhor”. – Jeremias 9. 23-24 (NVI).

Que possamos desejar a presença de Deus muito mais do que os seus presentes, pois tudo o mais será acrescentado (Mt 6.33). Aqueles que se alegram em Deus terão os desejos do seu coração satisfeitos (Sl 37.4).

Deus é o nosso maior presente!

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos

____________
Sermão ministrado na Igreja Cristã da Trindade – Jabaquara – em 22.10.2014



domingo, 12 de outubro de 2014

O CONTEXTO E O NOSSO PAPEL NESTE CONTEXTO


Por Fabio Campos

Texto base: Quem poderá subir o monte do Senhor? Quem poderá entrar no seu Santo Lugar? – Salmos 24.3 (NVI)


“Quem poderá subir o monte do Senhor” é uma pergunta que traz uma preocupação na resposta por todo aquele que quer agradar o Senhor e que deseja com Ele viver para todo sempre. Esta pergunta que o salmista fez, inspirado pelo Espírito Santo, traz uma colheita escatológica, entretanto, sua semeadura é tratada nesta terra. Creio irmãos, que esta meditação poderá ajudar-nos a preservar o nosso coração e a nossa mente face as proposta apresentadas “por este mundo” no seu atual contexto.

O amor de muito têm se esfriado devido ao consumo da iniquidade. Não há mais respeito com o próximo. A guerra está aí. Pessoas injuriando umas as outras sem ao menos entender que o seu “adversário” pode ser uma pai, mãe ou um filho. Não há exortação no amor, mas acusações difamatórias para derrubar o outro somente para tomar o seu lugar.

Mas nós, sal e luz deste mundo tenebroso, temos algo a meditar que é de suma importância: “O que Deus pensa disso e o que Ele quer que façamos”? O Senhor partilhou conosco do Seu Santo Espírito e por meio dEle fez morada em nós. Justamente por isso é que Paulo nos diz que “o homem espiritual discerne todas as coisas, e ele mesmo por ninguém é discernido” (1 Co 2.15). Nós temos a mente de Cristo. Um cristão jamais perderá a sua paz, todavia, ele é alguém aflito consigo mesmo por causa do seu pecado – é alguém inconformado com este mundo – e por ter a mente de Cristo, é alguém que, até certo modo, pensa o que Deus pensa.

O Salmo 24 trata da Soberania de Deus sobre a terra e os seus habitantes (v. 1-2); trata também da responsabilidade do homem dada pelo seu Criador (v. 3-6); tudo porque, no fim, um Rei virá e entrará no templo; não o de Jerusalém, mas é um onde as “entradas são eternas” (v. 7-10).

Tudo é do Senhor, “a terra e os seus habitantes”. Isso deve nos colocar em nosso devido lugar quando estivermos labutando na força de nosso próprio braço, tentando tomar para si a soberania que a Deus pertence. Alguém pode mais do que Aquele que “fundou a terra sobre os mares e a firmou sobre os rios”? Todos os dias é perguntado ao espírito dos que nisso não acredita: Quem fez tudo isso? Será mesmo que a vida termina no cemitério?

Como disse Blaise Pascal, Filósofo francês: “há um abismo dentro da alma humana tão grande que só Deus pode preencher". A intranquilidade na alma de todo homem – a sede por justiça – o desejo pela eternidade – traz o “senso do divino” e a busca por isso. Complementando, Blaise Pascal diz: "Há uma cadeira na alma humana, esperando um hóspede ainda por chegar. Se a natureza não faz nada em vão, Aquele que pode sentar-se nessa cadeira deve existir".

Isso nos leva a busca de algo a mais. Encontramos a nós mesmos quando encontramos a Deus e por Ele somos encontrados. Este mundo é como água salgada; não mata a sede, e quanto mais se bebe, mais sede teremos. Como disse C. S. Lewis: "Se eu descubro em mim mesmo um desejo que nenhuma experiência deste mundo consegue satisfazer, a explicação mais provável é que eu fui criado para outro mundo".

Mas com o Senhor estaremos!, e com Ele andaremos dignamente desta vocação; “subir no Seu Santo Monte”. Os “limpos de mãos” cujo sua ficha secreta pode ser lida em público sem constrangimentos, este subirá o monte do Senhor. Subirá também os “puros de coração”; aqueles que muitas vezes são taxados de “bobos” por uma sociedade corrompida e perversa. Os que não entregaram sua “alma a vaidades”, ou seja, não se entregaram por aquilo que é efêmero; sua vida não está pautada numa causa vazia; sua motivação é unicamente de agradar Aquele que o arregimentou. Subirá também ao monte do Senhor aquele que “não jura enganosamente”; gente que sustenta de pé o que disse sentado. Pessoas que não voltam atrás em suas promessas ainda que isso lhe custe prejuízos financeiros.

Nossa luta não é contra carne nem sangue. As armas da nossa milícia não são carnais. Elas são poderosas em Cristo Jesus para desfazer todo sofisma (aparente sabedoria com meias verdades). O Senhor virá para vingar toda injustiça. O Dia do Senhor será algo terrível, pois horrenda coisa é cair nas mãos do Deus Vivo. O manso e humildade de coração – o que fora carregado num jumento – aquele foi crucificado e teve uma coroa de espinho – este virá em seu Cavalo Branco com poder e Grande Glória.

O Rei da Glória virá! Mas quem é este Rei da glória? Este é o Senhor dos Exércitos; Ele é o Rei da Glória. Não na figura do Cordeiro, mas do Leão, pois no Céu não haverá pecado para se expiar. Haverá sim um Reino do Seu Rei, qual dirigirá as nações com uma alegria eterna.

Que Deus nos ajude neste contexto e nos guarde na Sua Palavra para fazermos a Sua vontade.

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
 ___________________

Sermão ministrado na Igreja Cristã da Trindade – Jabaquara – em 08.10.2014


terça-feira, 7 de outubro de 2014

É ISSO, SOU BRASIL!


Por Fabio Campos


Essa eleição tem sido uma das mais sujas dos últimos tempos. Os candidatos estão angariando votos não pelas propostas, mas através de ataques difamando o seu adversário. As discussões nas redes sociais são grotescas. Tudo bem que sempre foi desta forma, todavia, a tecnologia deu o poder de evidencia daquilo que está no coração das pessoas (pois a boca fala do que está cheio o coração); a notícia chega muito mais rápida e os escândalos dos corruptos são trazidos à luz num click.

O que me incomoda é o partidarismo das pessoas em detrimento do patriotismo. Fazem do seu candidato um “deus” soberano e “santo” - que achou a resolução de todos os problemas socioeconômicos. Nesta hora até “ateu” acredita em algum “deus”.

Entenda, tenho o meu candidato e por ele está minha torcida. Entretanto, minha esperança jamais se apoiará em tal pessoa (até porque o santo é de barro). Você acha mesmo, sendo sincero, que os candidatos estão atacando um ao outro, para que, entrando na política, possa te favorecer? Não meus amigos e irmãos! Eles estão interessados numa boa fatia que tem por pacote uma grande mordomia. O homem é corrupto por natureza. Não é o exterior que contamina, mas o interior, pois a corrupção e prática de todos os males são evidências do que está no secreto do coração. Não há um justo; não há quem faço o bem; todos se extraviaram da verdade.

Lamentável como muitos têm passado a mão na cabeça dos corruptos. Puxa a ficha e você vai ver que todos têm culpa no cartório. Se o candidato de minha preferência, “meter a mão” ou “não cumprir” o que por ele foi prometido, não é porque votei nele que vou acobertar o seu “pecado” a vista da oposição. O Brasil está infinitamente acima do PSDB e do PT, e por isso ser “partidário” confiando no homem, é uma visão limitada, medíocre e egocêntrica, de quem de fato quer brigar por uma causa a constituir um povo e uma nação.

Precisávamos estar unidos pelo bem comum. Os governantes tinham que tremer diante do povo e não “tirar sarro da nossa cara” nos horários políticos. Estamos advogando, sem conhecer de perto, pessoas que não estão nem aí para o desenvolvimento da sociedade. Roubam nossa família e ainda contam com a nossa defesa. Quanta falta de respeito na exposição de adjetivos para com aqueles que discordam do outro. Quanta ofensa pessoal. Estamos carentes de maturidade pela qual nos leva a um debate equilibrado, respeitoso, até o campo das ideias. O que nos une precisa ser maior do que aquilo que nos separa. O Brasil é maior do que qualquer partido.

Feita a ressalva, é importante salientar que a Soberania de Deus não anula a responsabilidade do homem. O juízo e a misericórdia são alguns dos Atributos dAquele que “destrona os reis e os estabelece” (Dn 2.21). Um dos maiores juízos sobre um povo foi sentenciado na seguinte frase: “Atende à voz do povo” (1 Sm 8.7). Vejo o futuro do nosso país por duas óticas: “juízo ou misericórdia”. Como está escrito: “Continue o injusto a praticar injustiça; continue o imundo na imundícia; continue o justo a praticar justiça; e continue o santo a santificar-se". (Ap 22.11).

Se o povo quer corrupção; terás a corrupção. Se o povo quiser honestidade, em parte, terás a honestidade. Porco não gosta de pérola, ele prefere lavagem. Ainda bem que Deus é bom, justo, puro e santo – assim sendo eu posso descansar o meu coração de que o mal não irá prevalecer mesmo estando na Babilônia.

Lembremos, então, de pessoas que amam nossa nação e que abominam a corrupção. Existe os sete mil que não se dobraram a Baal. Muitos estão nos becos desconhecidos; os quais decidiram firmemente em seu coração “a não se contaminar com as iguarias de um governo corrupto”. Muito obrigado, Joaquim Barbosa, pela sua coragem, dedicação e ousadia.


É isso, sou Brasil.

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com