domingo, 28 de setembro de 2014

PIOR QUE O ORGULHO DO ÍMPIO, É A FALSA PIEDADE DO SANTO!


Por Fabio Campos

Texto: Guardai-vos de fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles”. – Mateus 6.1a (AFC)


Creio que uma das coisas qual Deus trabalha no coração do homem é a carência por “afirmação” pela parte das pessoas. Como somos tentados a agir de tal maneira para que as pessoas venham a gostar da gente e a nos aprovar. Somos sedentos de natureza por aplausos. Com advento das redes sociais muitos estão realizando o “sonho” de ser famoso. Não estão na globo, mas são um sucesso no facebook (risos...). Grande parte deles são polêmicos. O que Deus pensa disso?, creio que deve ser o cerne do nosso “autoexame” para este tipo de situação.

O texto base (Mt 6.1) responde a questão!: “guardei-vos de toda boa ação diante dos homens, simplesmente para ser visto por eles”. A Bíblia “A Mensagem”, de Eugene Peterson, traz um contexto “dinâmico” muito interessante neste verso: “Quando fizerem o bem, tenham o cuidado para que seu gesto não vire peça de teatro. Pode até ser um bom espetáculo, mas Deus não vai aplaudir” (Mt 6.1 A mensagem).

Querer ser visto pelos homens é estar escondido de Deus. Fazer do momento uma exposição de si mesmo e da oração um espetáculo, como o ator, é se contentar com os aplausos dos homens e a vaia de Deus. Muito cuidado quando conseguir impressionar alguém; se não for por amor, com a simplicidade e discrição nos bastidores, você poderá ter conseguido o objetivo para com os homens; mas Deus que o recompensaria no secreto, lhe “dará” apenas os aplausos do diabo.

Quantos irmãos pecam nisso quando estão testemunhando. Contam as bênçãos de Deus como se fosse pelo o seu “bom comportamento” e por isso conseguiram o favor Divino. Alguns também pecam quando vão ministrar a Palavra. Aliás, ministrar a palavra não é falar de si e nem acusar os outros - tão menos ser “um santo” apontando o dedo para o pecador num sermão de caráter moralista - pregação é expor a Escritura em Sua Fidelidade, ministrando a todos o conselho de Deus; crendo que o Espírito Santo trabalhará no coração dos ouvintes. Lembre-se que não é a persuasão humana que leva o pecador ao arrependimento, a justiça e ao juízo, mas o poder de Deus através do Espírito Santo.

Jesus nos ensinou a “não tocarmos trombetas” chamando a atenção para as nossas boas-obras como fazem os hipócritas. Quem faz isso ama mais a glória dos homens do que a Glória de Deus. Toda e qualquer esmola, depois de dada, se for anunciada pelo "caridoso", diante de Deus, perderá o seu valor. Esmola aprovada por Deus é aquela que será conhecida aos homens apenas na eternidade na entrega dos galardões.

Você está disposto a receber sua recompensa somente na eternidade? Essa é uma pergunta que me faço todos os dias. A fé não é crer que tudo dará certo, mas obedecer a Deus e aos seus mandamentos (Rm 1.5). Por isso que “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hb 11.6). Se não tivermos fé, também não acreditaremos que Deus existe. Logo, então, Deus é um meio para que “eu possa ser  louvado” por aqueles que nisto acreditam.

Desta forma minhas orações passarão a ser feitas em pé, nos templos e nas praças, somente para que eu possa ser visto pelos homens. Isso difere daquilo que Jesus disse: “... quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, oraras ao Pai que está em secreto” (Mt 6.6). Oração não é uma peça teatral, mas um coversa familiar com Deus; ou seja, de Pai para filho. O centro precisa ser Deus, e não nós, pois só assim experimentaremos de Sua graça.

Se não houver a fé que Deus demanda de nós, quando fizermos a prática do jejum, disto faremos uma vanglória para parecermos “mais espirituais” que os demais. Vamos mostrar a todos nossa tristeza e fraqueza física simplesmente para que percebam que estamos jejuando. O ensino é que lavemos a cabeça, passemos um gel (rs) e limpemos o rosto para não parecer aos homens que estamos jejuando. A recompensa virá no secreto da Pessoa Certa; vale a pena esta recompensa, já que a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável, e também suas bênçãos não acrescentam dores.

Amados, guardemo-nos diante dos homens para que possamos ser aprovados por Deus. Pior que o orgulho do ímpio é a falsa piedade do "santo". Foge destes (2 Tm 3.5). Os verdadeiros hipócritas acusam os outros, sem saber, de “não fazerem” nada, tendo por parâmetro suas boas-obras. Muitos são acusados enganosamente de “não fazerem”. Será que eles não fazem, ou será que fazem, mas não alardeiam como procedem aos hipócritas? É algo para se refletir quando quisermos se exaltar de nossas práticas espirituais em detrimento do “silencio com obras” dos outros.

“Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva”. – 2 Co 10.18 (AFC)

Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com