terça-feira, 19 de agosto de 2014

FONTE INESGOTÁVEL DE ALEGRIA


Por Fabio Campos

Texto base: “... a Deus, fonte da minha plena alegria”. – Salmo 43.4 (NVI)


O ser humano foi criado com a necessidade de se alegrar. O vazio que há em todas as pessoas testifica esta verdade, e o vácuo na alma do homem, demanda por algo que possa preenchê-lo. Toda ação gira em torno de satisfazer a necessidade de se alegrar. O caminho para esta busca pode tornar-se uma armadilha mortal, visto os vícios que proporcionam o prazer pecaminoso na tentativa de ocupar este vazio trazendo por um instante uma pseudo-alegria.

Alegrar-se não é pecado; pelo contrário, foi uma necessidade criada por Deus. A questão é “no que se alegrar”. Gosto muito da primeira questão tratada no “Breve Catecismo de Westminster, que diz: Qual é o fim principal do homem”? Resposta: “O fim principal do homem é glorificar a Deus, e gozá-lo para sempre”. Deus nos deu Ele mesmo pra gente se alegrar. Ou seja, Ele nos dá desta graça, a de poder dEle desfrutar com todo nosso ser para nos alegrarmos no que Ele é.

O mundo têm várias propostas atraentes a nossa carne. Por meio delas quando concebidas através pecado, gera a morte. Quem peca, escravo do que pecado se torna. Todos pecaram e do pecado se tornaram servos, obedecendo a suas paixões. Todavia, Jesus disse que se Ele nos libertar verdadeiramente seremos livres. Esta liberdade é uma troca “no que nos alegramos”, como bem disse Davi: “Daí me a alegria da tua salvação” (Sl 51.12). John Piper diz que o único poder capaz de derrotar as concupiscências é a busca pelo prazer em Deus na alegria de Jesus [1].

Outro fator pelo qual Deus nos dá de Sua alegria, está no fato que no mundo teríamos tribulações. As coisas por aqui não são fáceis. Por isto o Senhor nos deu Ele mesmo para que, quando não houvesse motivo algum em se alegrar, seja nas coisas ou nas pessoas, Ele mesmo seria a suprema razão desta alegria. Paulo usou deste benefício quando estava preso e exortou os irmãos dizendo: “Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se” (Fp 4.4 NVI)! É importante salientar que Paulo disse isto quando estava preso.

Há muitas testemunhas nas Escrituras, que lhe fora concedida da alegria de Deus em situações adversas. Habacuque em tempo de fome se alegrou no Deus da sua salvação (Hb 3. 17-18); os apóstolos se alegraram em Deus quando estavam sendo perseguidos (At 5.41);  Paulo e Silas cantavam quando estavam presos (At 16.25); Paulo também se alegrou em Deus na hora da pobreza (2 Co 6.10).

Não estou fomentado e endossando o sofrimento. Creio que ninguém gosta de sofrer. A questão é que na vida passamos por estas situações que demandam um antídoto para o restabelecimento da saúde da alma. Hoje você pode se afligir ao pensar que tais coisas lhe venham acontecer. Contanto, devemos entender que amanhã haverá graça para os problemas de amanhã. Essa graça não será concedida hoje [2]. John Piper diz que a alegria é algo muito sério na vida do Cristão, pois é a forma de conviver com o sofrimento e sobreviver e esse sofrimento [3].

Muita das coisas que nos traz ansiedade está na percepção daquilo que venhamos um dia a sofrer. Precisamos entender que o amanhã não chegou e que muitas delas não nos alcançarão. Por isso precisamos viver o dia e como bem disse Nosso Senhor: “basta a cada dia o seu próprio mal”. Não há motivo no presente para ficarmos atemorizados e pesados no espírito pelo dia de amanhã; antes, então, devemos nos alegrar hoje, pois foi o dia que o Senhor fez.

Muitos pensam que nós, crentes, por não desfrutarmos dos “prazeres” carnais, somos infelizes. Eu posso falar que já fui um consumidor da “comida do mundo”. Todavia, experimentei uma alegria maior. Esta alegria me dominou dentro da minha realidade; está em saber que pertenço a Deus, e que ainda que venha a passar por todo tipo de dificuldades, não por isso, Ele deixará de me amar, pois nada poderá me separar deste amor que se encontra em Cristo Jesus, o Senhor. Estar em Jesus é ter a alegria completa. Contrapondo os religiosos de dura cerviz, que não conseguem dar um sozinho, Nosso Senhor é totalmente alegre (Jo 15.11). Não pense você que Jesus é o “senhorzinho” ranzinza e rabugento. Ele é o Deus que se alegrou em tudo que fez e que faz. No céu não há tristeza! A festa é ainda maior quando um pecador se arrepende.

Para você ter uma ideia da alegria de Deus, no ato da criação, estrelas e anjos juntamente se alegravam enquanto Deus coloca os fundamentos da terra (Jó 38.7). Infelizmente grande parte da igreja têm se alegrado nas bênçãos de Deus e não no Deus das bênçãos. Visto as igrejas midiáticas com suas campanhas de prosperidade e saúde. Sempre oferecendo as bênçãos e não apresentando o abençoador. Este é o tipo de pessoa que não ama a Deus, mas sim a si mesma. Por isso que muitos não têm alicerce na sua fé, e na primeira luta, abandonam a Deus. John Piper diz que “toda alegria que não têm Deus no centro é irreal e, com o passar do tempo, irá estourar como uma bolha” [4]

Quem de fato encontrou a alegria em Deus não depende dos acontecimentos para ser feliz; ainda que Deus diga “não” aos nossos pedidos, nEle nos alegramos por saber que somos amados, e assim o fez para o nosso bem. Quem teve um encontro com Deus através de Jesus Cristo, é semelhante ao homem que achou o tesouro escondido no campo. Sem pensar duas vezes no que já possuía, vendeu tudo, e “cheio de alegria, comprou o campo por saber que ali havia um tesouro infinitamente mais valioso; a saber, o próprio Deus (Mt 13.44). Esta é a alegria em Deus no Seu Filho Jesus.

A alegria fora de Deus é passageira e dura apenas por um instante (Jó 20.5). Ainda que se tenha o sorriso no rosto, o coração é triste, e a sua alegria sempre termina em tristeza (Pr 14.13). A ressaca pós-embriaguez ilustra isto muito bem. A alegria em Deus só aumenta a cada dia; experimentamos hoje apenas um pouquinho daquilo que vamos ter na eternidade (Is 35.10). Não é na comida ou bebida que o crente se alegra, mas no Espírito Santo (Rm 14.17). Ainda que venhamos a sofrer e nos entristecer, certamente, a alegria virá pela manhã (Sl 30.5). Se você ainda não tem esta alegria, ore a Deus e peça para Jesus entrar no seu coração. Busque por mais você que já se alegrou em Deus, pois a fonte é inesgotável.

O meu desejo sincero é que as pessoas vejam esta alegria em nossa vida, pois assim responderemos com propriedade a razão da nossa esperança. Que Cristo nos abunde de si mesmo em nossa vida. Portanto, sem limites, desfrutemos de Deus - de tudo que Ele fez e faz - e principalmente, de tudo o que Ele é!

Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
______________________________
Notas: 

[1] PIPER, John. O que Jesus espera de seus seguidores. São Paulo: Editora Vida, p. 92.
[2] Ibid, p.130.
[3] Ibid, p. 95.
[4] Ibid, p. 90.