sexta-feira, 30 de maio de 2014

NÃO PRECISAMOS DO SEU ANEL!


Por Fabio Campos

Texto base: Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas”. – 1 Timóteo 6.11a


Existem coisas no meio evangélico que nos deixam pasmo; já outras nos deixam aflitos; muitas das aberrações ditas “proféticas” já não me surpreendem mais. Todavia, outras me entristecem! A última foi à postura do pastor Silas Malafaia em uma de suas ministrações exibida no seu programa de Tv “Vitória em Cristo”.

Não é de hoje que Malafaia faz fortes “apelos financeiros” ao seu público. Desde que ele se juntou ao falso profeta “Mike Murdock'Silas descambou seu ministério para a linha da “teologia da prosperidade”. Disto nos alertou Paulo: Não se deixem enganar: "’as más companhias corrompem os bons costumes’" (1 Co 15.33). O pouquinho de fermento de Murdock levedou toda a massa de Malafaia, e além de fazer apelos por meio das “sementes’ ($), Silas passou a ostentar [tipo gospel ostentação] aquilo que ele denominou por “bênção de Deus”.

O Pr. Renato Vargens escreveu na íntegra a ostentação de Silas. Quero aqui compartilhar com o amado leitor. Assim disse Silas Malafaia:

“Hoje eu levo minha família toda (a hotéis quatro estrelas) e não tô nem aí. Não tô roubando. Não tô nem aí pra você, ô mané, que tá me assistindo (…) Eu não vou deixar de usufruir do lugar vitória porque eu sei o preço que eu paguei e que eu tenho pago”. “Aqui tem três mil pessoas que o hotel e a pensão completa é bancada pelo meu ministério. Quer falar, fale”.

 “Você quer saber o valor do meu anel? Quatro mil dólares. Com meu dinheiro”. “Tá vendo o Mercedes e500, blindado na Alemanha? Foi um parceiro meu que me deu de presente de aniversário”.

As informações ditas por Silas se encontra no vídeo abaixo a partir do minuto 28.

Escrevo este artigo com o coração apertado e triste. Muitos que andam comigo sabem do quanto aprendi ouvindo os sermões de Silas. Já comprei livros, ofertei no seu ministério e assisti por diversas vezes, ao vivo, suas ministrações. Tenho mais de 150 pregações em áudio e por boa parte delas fui abençoado.

Todavia, faço coro com milhares de cristãos sérios taxados de “crítico” por aqueles que não têm critério algum em discernir bem de mal. Hoje o Silas não é exemplo para mim que estou começando meu ministério. Ele sempre enfatiza seus vários anos de cristianismo com aquele jeito debochado em expor aqueles que dele discordam, dizendo que “nem saíram das fraudas”.

 Pois é, Silas, saiba que meu exemplo vem de pastores com muito mais tempo de caminhada do que você e que não se desviram da verdade por “amar ao dinheiro”. Homens tementes a Deus que escolheram a vida simples e humildade, seguindo a ordem do próprio Senhor que você diz que prega: “... não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes...” (Rm 12.16). Será que o Apóstolo Paulo é um “Mané”, expressão que é costumeira em seus lábios conotando aqueles que se “acomodam nas coisas humildes”?

Meu exemplo vem do Dr. Russel Shedd, Paulo Romeiro, Hernandes Dias Lopes, entre outros que pela inteligência que Deus lhes deu, poderiam estar mais alto do que você. Mas que escolheram abrir mão de uma possibilidade de “sucesso” e seguir a voz do Supremo Pastor, Jesus de Nazaré, “contendo-os com que possuem e nada além disso,” (Fp 4.11).

Caro leitor, o Apóstolo Paulo advertiu seu amado filho na fé Timóteo a “fugir destas coisas”. De pessoas que fazem do evangelho sua “fonte de lucro” (1 Tm 6.5); de gente que não se contenta com “aquilo que possuem” (v.6). O homem de Deus sabe que nada trouxe para este mundo e dele nada poderá levar, e que por isso, tendo o básico, já estão satisfeitos e se alegram na provisão de Deus. Muitos assim são fiéis no pouco e são colocados no muito pelo Deus da Provisão [Jireh].

Ele alerta a Timóteo a fugir destas coisas, contextualizando, do que o Malafaia tem ensinado: “porque os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males” (1 Tm 6.10).

Quando Silas Malafaia continua sua fala dizendo que toda sua família, hoje, se hospeda em hotéis cinco estrelas - que seu anel vale 4 mil dólares – e que seu ministério possui avião - com aquele “ar de deboche” - logo me veio as Palavras do Senhor Jesus, ditas a uma das igrejas do apocalipse, Laodiceia, que assim como o Silas, também pensava: "Você diz: Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego e que está nu". (Apocalipse 3:17)

Sinceramente, “torço” para que o Silas não tenha caído em apostasia, que é um “caminho sem volta” (Hb 6.6). Meu desejo sincero é que ele tenha tido apenas um “surto teológico” e que logo se arrependa e volte a ser o Silas Malafaia que tanto nos abençoou com suas ministrações.

Por enquanto, pode vir com o “poder de persuasão”; com a “inteligência que de fato ele tem; com os gritos e trejeitos; se não se arrepender e voltar para a luz do Evangelho de Jesus Cristo – fico com a minha consciência que é regida pela Palavra de Deus: “... sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso” (Rm 3.4). Até lá vou fugir da sua teologia, a qual Paulo refuta e segue com os conselhos do que de fato um homem de Deus deve buscar:

“Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas [grifo nosso: da teologia do Malafaia], e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão”. – 1 Timoteo 6.11 AFC


Que Deus tenha misericórdia!

Assista ao vídeo:



Fabio Campos
_______________________________


sábado, 24 de maio de 2014

GRATIDÃO! UMA VIRTUDE DE POUCOS!


Por Fabio Campos

Texto base: Certa ocasião Davi perguntou: “Resta ainda alguém da família de Saul, a quem eu possa mostrar lealdade por causa de minha amizade com Jônatas”?". – 2 Samuel 9.1 (NVI).


Por que “gratidão” é para poucos? Podemos definir “gratidão” sendo um sentimento ou emoção em consequência do reconhecimento de uma boa ação praticada em auxilio ou favor de alguém. Trata do senso de “dívida” e assim querer agradecer alguém de alguma forma por ter feito algo muito benéfico. Uma breve reflexão: o número de pessoas é maioria ou minoria a qual você se lembra de que foram gratos por terem recebido o seu favor? Vide o tema de nossa reflexão: “Gratidão! Uma virtude de poucos”!

Lembro-me agora de várias pessoas que foram instrumentos de Deus para abençoar minha vida. Muitas mesmo! Cada uma tem o seu valor e a sua importância no seu devido contexto. Sem desmerecer a ninguém e devido ao tempo, não vou poder citar todas. Por isso quero inserir neste artigo apenas uma para trazer luz a nossa reflexão. Um irmão que foi fundamental nos meus primeiros passos na caminhada e vida cristã, Roberto Figueredo, o qual chamo afetuosamente por Betão. Sua esposa Sabrina também incluo neste reconhecimento.

Hoje não congregamos mais no mesmo ministério, mas nosso vinculo é fruto da oração de Nosso Senhor Jesus [em João 17] “... guarda-os para que sejam um”. Está além da placa denominacional! Vez e outra afirmo sua importância na minha vida. O rei Davi é uma das personagens bíblicas que me inspiram a ter este gesto. Não a menos ele foi chamado pelo próprio Deus de um “homem segundo o Seu coração”.

Uma das passagens bíblicas que me emocionam é a narrativa da amizade entre “Jônatas e Davi”. Jônatas foi filho do rei Saul; o rei tinha muita inveja de Davi por ter Deus o escolhido para ser rei de Israel ainda reinando no trono Saul. Por isso Saul planejou sua morte e Davi desconfiado disso pediu ao filho de Saul, Jônatas, para ajuda-lo a escapar de suas mãos. Isto aconteceu e Davi fugiu de Saul dentro de um pacto feito entre ele e seu amigo mais chegado que um irmão, Jônatas. Ambos amavam um ao outro como a si mesmo. E Jônatas pediu a Davi: “... trate sempre a minha família com bondade” (1 Sm 20). Passado alguns anos Davi se lembrou de seu juramento feito a Jônatas e do seu amor para com o seu amigo, e assim perguntou: "Resta ainda alguém da família de Saul, a quem eu possa mostrar lealdade por causa de minha amizade com Jônatas?" (2 Sm 9.1). 

Nisto lembraram o rei Davi de que existia um sobrevivente. Seu nome era Mefibosete, filho de Jônatas, aleijado dos dois pés. Davi então mandou busca-lo e a ele disse: “Eu serei bondoso com você por causa de Jônatas, o seu pai”. E sucedeu que Davi deu de volta todas as terras que pertenciam ao seu avô Saul, dizendo que ele, Mefibosete, sempre seria bem-vindo à sua mesa. Dali em diante Mefibosete passou a ser tratado como filho do rei Davi, não por direito jurídico, simples e unicamente pela gratidão de Davi ao seu amigo Jônatas (2 Sm 9).

Temos muitos homens entre nós inteligentes, intrépidos na pregação e na evangelização, diligentes no ministério – mas poucos com gratidão no coração para com aqueles que fizeram parte da construção a qual hoje está construída. Partindo deste pressuposto podemos entender um pouquinho da ira de Deus para com aqueles que não “honram a seus pais”. A quem mais poderíamos ser gratos nesta terra? O ápice desta abominação a Deus Pai é dita pelo próprio Senhor Jesus, quando os religiosos dedicavam algo a Deus em detrimento das necessidades de seus pais (Mc 7.1-13). Isso é ingratidão e Deus não se agrada de tal coisa e nem a recebe como “boa-obra”.

É necessário trazermos constantemente a nossa memória de onde saímos e aqueles que nos ajudaram. Quando fazemos tal coisa ratificamos a “lealdade do próprio Deus” na vida destes, conforme disse Davi. Qual foi a última vez que você mandou uma mensagem a alguém reconhecendo aquilo que tal pessoa fez por você? Isso é importante para você e talvez o que a outra pessoa está esperando há tanto tempo com o coração triste. Não deixe de afirmar sua gratidão para com aqueles que te ajudaram. Isso é agradável a Deus e O glorifica.

Caro amigo, termino esta breve reflexão dizendo que a gratidão é para poucos. Ela não anda visando o futuro e nem observando o presente naquilo que outrem possa ainda lhe trazer por beneficio. Ela é grata pelo que já recebeu no passado, e por isso, não cobra e nem acusa falta, do que o outro, ainda possa lhe dar. Antes, só agradece sem a motivação de “ganhar mais ajuda”. Com a minha mente transformada pela Palavra de Deus e discernindo pela mente de Cristo (1 Co 2.15-16), posso dizer, ainda que em nosso meio, poucos têm esta virtude, a saber, “gratidão”!

Considere este artigo e arrazoe isto em seu coração,

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com


quarta-feira, 21 de maio de 2014

VÍDEO: "Teologia de Missão Integral”! e suas repercussões!




NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A MINHA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA "ACADEMIA EM DEBATE", EDIÇÃO n° 37
Jonas Madureira

1. Primeiro esclarecimento. Não foi da noite para o dia que eu comecei a ler sobre a TMI e, por conseguinte, a falar sobre as minhas impressões da TMI. Para efeitos formais, em 2010, tivemos a oportunidade de receber em nossa 7a. edição do Congresso Vida Nova de Teologia, em Águas de Lindóia, a presença do Dr. C. René Padilla, como carro-chefe da conferência (http://www.vidanova.com.br/congressoanterioressobre.asp?codigo=7). Naquela ocasião, tive a incrível oportunidade de apresentar, pela primeira vez, as minhas impressões da TMI para o próprio Dr. Padilla. A propósito, elas foram ditas e respectivamente ouvidas tanto por Dr. Padilla, que, como já foi dito, era um dos nossos palestrantes, como por Ariovaldo Ramos, que estava participando do congresso. O que é interessante é que tudo o que eu disse no programa “Academia em Debate” foi dito na palestra de 2010 (É claro que, na conferência de 2010, tive mais tempo para expor os meus argumentos com mais clareza!). Após a palestra, o Dr. Padilla me procurou e fez as suas ponderações e reações. Inclusive, disse para mim que o livro que eu usei para fundamentar a minha palestra (“Missão Integral: ensaios sobre o Reino e a igreja”) já não mais representava a sua atual perspectiva sobre a missão integral. Lembro-me, também, de ter recebido a crítica do Ariovaldo, que me disse: “Jonas, concordei com a primeira parte da sua palestra, mas a segunda parte revelou uma falta de leitura da bibliografia elementar da TMI! Também não concordei com a justaposição que você estabeleceu entre a TdL e a TMI”. Recordo-me bem que recebi essas críticas numa boa. Falamos de nos encontrar em algum dia para conversarmos sobre o assunto, mas esse dia ainda não chegou. Portanto, o que eu disse no programa “Academia em Debate” não é nenhuma novidade, antes é o que venho dizendo ao longo de cinco anos! O cômico de tudo isso é que a primeira vez que tornei pública as minhas impressões da TMI foi curiosamente na frente do Dr. Padilla e do Ariovaldo Ramos.

2. Segundo esclarecimento. Dr. Augustus Nicodemus, a quem muito admiro, fez-me um convite para falar sobre as minhas impressões sobre a TMI no programa “Academia em Debate”, um programa que ele vem fazendo ao longo de seis anos. O programa já tem um formato reconhecido tanto por aqueles que gostam como por aqueles que não gostam. O que fiz, e não me arrependo de forma alguma, foi aceitar ao convite que vinha, sobretudo, de um amigo. Até hoje nunca recebi um convite do Ariovaldo Ramos ou de qualquer outro teólogo ou instituição vinculada aos ideais da TMI para uma conversa ou até mesmo para um debate. Quero dizer, publicamente, que não me nego a aceitar ao convite para conversar ou debater sobre a TMI com quem quer que seja. Estou completamente aberto ao diálogo e ao debate, plenamente aberto para corrigir e rever, se preciso, as minhas possíveis imprecisões, contanto que seja em um ambiente irênico, de respeito, de cordialidade, de educação, de elegância, de honestidade intelectual e de tolerância. Sinceramente, não vejo problema nenhum em um programa midiático convidar apenas as pessoas que a produção do programa deseja trazer! Afinal, em nosso país, pelo menos por enquanto, ainda vivenciamos a prática da liberdade de expressão!

3. Terceiro esclarecimento. Apenas lamento a reação beligerante e intolerante de alguns defensores da TMI, inclusive alguns que me conhecem. É incrível, mas a beligerância, a rudeza e a falta de educação que mais tenho criticado em alguns reformados e evangélicos conservadores, eu pude ver também do lado dos evangélicos progressistas e defensores da TMI. Realmente, ainda não aprendemos a conversar… Foi enorme a quantidade de mensagens virulentas, indelicadas, grosseiras, que questionaram a minha dignidade como homem, marido, pastor e professor. É muito triste viver em um contexto que se diz cristão, mas cujo vínculo do amor é só um mero discurso que se desfaz como uma fumaça ao vento. Nessas horas, louvo a Deus pela bênção que ele me deu de ter vivido, pensado e estudado nos departamentos de filosofia da PUC-SP e da USP. Com pensadores ateus, agnósticos e católicos consegui travar inúmeros debates sem esse coitadismo, personalismo e pessoalismo tão presente entre os “intelectuais evangélicos”. Assim, me recuso veementemente a responder interações que sejam baixas e pequenas. Em contrapartida, terei um enorme prazer em interagir com as críticas que chegarem seguindo o padrão da decência. Em nenhum momento a minha intenção foi ofender ou ser desrespeitoso com os integrantes da TMI. Apenas critiquei ideias, pois acredito que ideias influenciam, sim, a Práxis. Se alguém se sentiu ofendido, peço perdão. De forma alguma desejei tirar a paz de seu coração.
“acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição” (Efésios 3.14)
Fonte: https://www.facebook.com/jonas.madureira?fref=ts
_________________________________________________________________________________
Carta aberta ao programa "Academia em Debate", do Centro Presbiteriano Andrew Jumper, de Pós-graduação, na Tv Mackenzie (digital experimental) apresentado pelo Rev. Doutor Augustus Nicodemus Gomes Lopes, na sua edição n° 37.

Por Ariovaldo Ramos

Raramente me presto a tecer considerações sobre as tentativas de análise à chamada Teologia da Missão Integral, feitas em território nacional, porque, na maioria das vezes, tais intentos são pautados pela ignorância, pela má fé, pela desonestidade intelectual, pela ausência de rigor acadêmico e pelo mero preconceito. 

Desta feita, entretanto, por se tratar de interlocutor que merece audição, posto uma carta aberta ao programa "Academia em Debate", do Centro Presbiteriano de Pós-graduação Andrew Jumper, apresentado pelo Rev. Doutor Augustus Nicodemus, que priva do respeito de todos os seus pares, entre os quais me incluo.

O programa convidou dois pastores e filósofos: Rev. Jonas Madureira e Rev. Filipe Fontes para tecerem comentários à TMI. Apesar de entender que os comentadores foram, possivelmente, traídos pela tempo escasso que lhes foi concedido, por força do limite natural ao veículo da comunicação; gostaria de tecer algumas impressões sobre o conteúdo das exposições. .

Celebro a intenção do programa, porém, os comentários não manifestaram análise técnica, uma vez que as afirmações não foram sustentadas por referencial teórico, não deixando aos espectadores outra opção, senão, a de crerem na veracidade das falas, pela suposição de estarem diante de autoridades competentes, embora não tenha sido apresentada nenhuma credencial dos mesmos como estudiosos do tema em questão, o que não tolda a qualidade dos mesmos nas áreas em que tenham se especializado.         

As colocações dos convidados não elucidaram o tema, suas críticas, de fato, por falta de rigor, mais pareceram meros ataques, e soaram como opiniões pessoais, acabando por correr o risco de ter prestado um desserviço ao debate teológico, sempre tão necessário, principalmente, neste momento da Igreja brasileira, tão vilipendiada por causa de maus exemplos, principalmente, midiáticos, e acossada por tantos ventos doutrinários.

À guisa de contribuição, como simpático ao conteúdo veiculado pelos teólogos proponentes dessa reflexão teológica, a TMI, dos quais destaco, por antigüidade, Renê Padilla, Pedro Arana e Samuel Escobar, faço as seguintes e próprias menções sobre as ênfases da TMI: 

1- A TMI nasce das reflexões, principalmente, dos teólogos citados, nas décadas de 50 e de 60, e que foram apresentadas nos CLADEs, Congressos Latino-Americanos de Evangelização, realizados  em Bogotá - Colômbia  (1969), Huampani - Peru (1979), Quito - Equador (1992 e 2000), Tais reflexões foram iniciadas e propostas antes do que veio a ser conhecido como Teologia da Libertação (Gustavo Gutierrez, 1971), também latino-americana.

2- O que há de coincidente entre ambas teológicas latino-americanas é o fato de serem teologias da Práxis, isto é, reflexões teológicas sobre a ação da igreja, como propagadora do Evangelho, no cotidiano da sociedade em que está incrustada.

3- A ênfase da reflexão da TMI, sobre a prática da Igreja, voltada para o cotidiano, parte da proposição do Prof Padilla, de que a evangelização não desconsidera o contexto do evangelizando.

4- A proposição de Padilla se sustenta no declaração do Senhor Jesus, de que o Evangelho é do Reino (Mt 24.14; Lc 4.43), portanto, tendo como conteúdo as boas notícias da chegada de uma nova ordem mundial (Dn 2.44), manifesta pela Igreja, porém, só implantada na volta visível e triunfal do Cristo. Daí há pecado pessoal e pecado estrutural. E para ambos pecadores a Igreja propõe arrependimento.

5- Só será possível participar dessa nova ordem pelo novo nascimento, que é sempre pessoal, porém, graças às boas obras, que são a luminosidade da Igreja, a sociedade, em geral, será beneficiada, e levada a dar graças a Deus (Mt 5.16).

6- O chamado Pacto de Lausanne é fruto do Congresso Mundial de Evangelização realizado, em 1974, na cidade de Lausanne, na Suíça; graças ao trabalho de John Stott, reconhecido teólogo Anglicano, já falecido, que promoveu o encontro entre a teologia dos irmãos do Norte, com a contribuição missiológica da reflexão teológica latino-americana, denominada de TMI, e com as contribuições africanas e asiáticas, cujo resultado foi sintetizado na frase: "O Evangelho todo, para o homem todo, para todos os homens".

Onde "o Evangelho todo" é compreendido como o poder de Deus para a Salvação de todo o que crê, assim como o poder de Deus para interferir na estrutura da sociedade, para dar sobrevida à humanidade, pela promoção da justiça. Como se pode verificar na irrupção da chamada modernidade, a era dos direitos humanos, iniludível fruto do cristianismo.

Onde "o homem todo" é a compreensão do ser humano como ser complexo, com potencial cognoscente, religioso, fabril, econômico, social, político, comunitário, lúdico, artístico - que a tudo afeta e por tudo é afetado - portanto, alcançado pelas boas notícias do Reino, quando os sinais da presença do Reino se manifestam nele, e em tudo o que o afeta e por ele é afetado.

Onde a proposição "todos os homens" compreende a totalidade das nações humanas, que devem ser alcançadas pelo anúncio do evangelho do Reino de Deus, tanto no âmbito pessoal-familiar, como no âmbito da organização sócio-política, e que serão julgadas por suas práticas no trato do ser humano, frente a forma como se organizaram, e construíram os relacionamentos internacionais e intersociais (Mt 25.31-46). 

7- A TMI é Ortdoxa, sustentando os paradigmas histórico-bíblicos da fé protestante, porém, ampliando a compreensão missiológica da Igreja como agência da "Missio Dei", uma vez que toda a iniciativa é do Altíssimo Deus Trino. Talvez, nessa compreensão, seja melhor intitular a reflexão de "A Teologia Com Missão Integral".

8- A TCMI faz exegese histórico-gramatical; e sua hermenêutica parte da sacralidade, inerrância e infalibilidade da Bíblia, na busca pelo mais próximo possível do sentido original, porém, no afã de aplica-lo da forma mais compreensível, relevante e provocadora de transformação ao contemporâneo; sua abordagem fática serve-se da interdisciplinariedade, uma vez que, o que chamamos de realidade demanda muitos e distintos observadores para poder ser proposta como tal. E procuramos discerni-la para entender as perguntas a que devemos responder, nunca para nortear ou compor com o kerigma, a proclamação. 

9- O referencial teórico da TCMI é a doutrina da presença (Lc 17.21) e da iminência do 
Reino de Deus, onde o Reino é compreendido como o Governo do Ungido pela implantação da sua Justificação e Justiça. A Igreja, então, se vê, no cotidiano, como anunciadora da justificação, e sinalizadora da presença e do princípio do Governo do Ungido, pela busca por fazer manifesto e aplicado o conceito judaico-cristão de justiça.

10- A priorização do pobre não é vista como uma opção, mas, como demanda do Cristo, que apresentou a pregação do evangelho aos pobres como uma de suas credenciais messiânicas (Mt 11.5).

Sem mais, no anseio de colaborar com o debate teológico, que desejo, um dia, se instaure, 

Ariovaldo Ramos

Fonte: http://ariovaldoramosblog.blogspot.com.br/2014/05/carta-aberta-ao-programa-em-debate-do.html

_________________________________________________________________________________

RESPOSTA AO PR. ARIOVALDO RAMOS
Por Rev. Doutor Augustus Nicodemus Gomes Lopes,

Caro Pr. Ariovaldo Ramos,
Muito obrigado por sua resposta irênica, tranquila e respeitosa. Saiba que o respeito e a consideração são mútuos. Permita-me uma ou duas palavras à guisa de interação com sua “Carta Aberta”.
Primeira, com relação ao programa “Academia em Debate”, seu nome e seu formato. Já por mais de cinco anos apresento este programa, que durante este tempo tem tratado de diversos assuntos que considerei relevantes para a academia secular e cristã, como você poderá facilmente verificar por uma pesquisa no YouTube.
O nome “Academia em Debate” significa simplesmente que vamos conversar sobre temas que estão sendo debatidos na academia. O formato do programa sempre foi o de apresentar pontos de vista mediante o sistema de perguntas e respostas a pessoas convidadas, e não promover um programa com dois debatedores de posições opostas. O debate que queremos gerar é este que está acontecendo agora. Você publicou uma resposta pensada, respeitosa e estudada, o que dificilmente aconteceria num confronto de 30 minutos. Agora, os que estão clamando por “debate,” podem ler sua resposta e tirar suas próprias conclusões.
É assim que o debate acadêmico se processa, e não pela “briga de galos” em público, que acaba gerando mais calor do que luz e serve para satisfazer ao desejo de muitos que estão mais interessados na competição dos intelectos do que na consecução da verdade.
Dito isto, passo ao conteúdo de sua “Carta Aberta”. Qualquer pessoa que assistiu ao programa e leu sua carta com atenção verificará a concordância em muitos pontos: a sustentação das Escrituras como a Palavra de Deus, o desejo de obedecer ao Evangelho, a consciência de que cuidar dos pobres e promover a justiça faz parte do Evangelho, entre outros. Os pontos de controvérsia são relacionados ao referencial teórico da TMI e sua relação com a Teologia da Libertação – por sinal, você não tocou na “Carta Aberta” na questão do uso do marxismo, sim ou não, pela TMI, que é uma das críticas mais feitas ao movimento. Eu sei que numa “Carta Aberta” que visa responder rapidamente a uma situação, não houve tempo para dar uma resposta a estas indagações, especialmente àquela da relação da TMI com o marxismo. Quem sabe você escreverá sobre isto mais adiante.
O debate continua, de forma educada e acadêmica. Veja, por exemplo, o que escreveu Filipe Fontes e o Jonas Madureira em atenção à sua respeitosa "Carta Aberta":
Filipe Fontes: http://goo.gl/D6mOrd
Jonas Madureira: http://goo.gl/cBntGs [já postado acima]
Numa nota final, para mim “o Evangelho todo para o homem todo” encontra uma de suas melhores expressões na cosmovisão reformada, refletida nas conhecidas palavras de Abraham Kuyper, primeiro ministro da Holanda e pastor reformado, “Não há um único centímetro quadrado, em todos os domínios de nossa existência, sobre os quais Cristo, que é soberano sobre tudo, não clame: ‘É meu!’” Os seguidores desta linha abriram universidades, hospitais, escolas, abrigos e orfanatos, e se engajaram nas artes, ciência e academia – o “homem todo”, muito antes do surgimento da TMI.
Termino. Mais uma vez, obrigado pela resposta tranquila e que atendeu ao objetivo do programa, que é gerar debate acadêmico de bom nível.
Desejo-lhe um dia abençoado.
Em Cristo,
Augustus Nicodemus

Fonte: https://www.facebook.com/AugustusNicodemusLopes/posts/722080334511047

SOBRE A “BÍBLIA FREESTYLE”


Por Ageu Magalhães

No dia 16/05/14 eu participei do Programa Vejam Só, da RIT-TV, tratando do tema "Igrejas underground e Bíblia Freestyle: Até que ponto estamos adaptando o Evangelho ao nosso gosto?". Ao meu lado estavam o Pr. Eber Cocareli, mediando o debate, e o criador da "bíblia Freestyle", o Pr. Ariovaldo Jr.

Tive uma boa impressão do Pr. Ariovaldo Jr. Percebi que estava diante de um homem crente e bem intencionado. Todavia, nossas posições foram opostas quanto ao assunto. Infelizmente, com um filho no hospital, eu não estava 100% no debate e, por isso, deixei de usar muita argumentação que poderia ter lançado para esclarecer melhor o tema.

Portanto, posto abaixo as razões pelas quais eu acho que a "bíblia Freestyle" é totalmente inapropriada para a leitura dos crentes e para qualquer tipo de evangelização.

1. Usa palavrões

Sempre foi ponto pacífico que crentes não falam palavrões. O povo de Deus sempre foi reconhecido por sua linguagem sadia e isso nunca precisou de defesa. Mas agora eis que surge uma geração dizendo que palavrão não tem importância, pois é algo "cultural e relativo". Vejamos o que a Bíblia nos diz: 

Mateus 5.22 “Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo estará sujeito ao inferno de fogo.”

Mateus 12.36,37 “Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo; porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado"

1 Coríntios 15.33 "Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes".

Efésios 4.29 "Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem".

Efésios 5.3,4 “Mas a impudicícia [falta de pudor – no grego pornéia] e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos; nem conversação torpe[aischrotes – conversa imoral, baixa, obscena], nem palavras vãs [morologia – conversação boba] ou chocarrices [eutrapelia – linguagem baixa, libertinagem], coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças.”

Filipenses 4.8 "Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento".

Colossenses 3.5-8 “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas. Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena [aischrologia – conversa imoral, baixa, obscena]do vosso falar".

Colossenses 4.6 "A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um".

Tito 2.7,8 “Torna-te, pessoalmente, padrão de boas obras. No ensino, mostra integridade, reverência, linguagem sadia e irrepreensível [akatagnostos – que não cabe censura, nem reprovação], para que o adversário seja envergonhado, não tendo indignidade nenhuma que dizer a nosso respeito.”

Tiago 1.26,27 “Se alguém supõe ser religioso deixando de refrear a sua língua, antes enganando o próprio coração, a sua religião é vã. A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.”

E onde estão os palavrões da "bíblia Freestyle"? Perdoem-me os irmãos que, como eu, não falam palavras torpes, mas é necessário, neste caso, mostrar o absurdo:

·                     "E Jesus terminou a explicação: "Pois o Reino de Deus é desse naipe! Vai ter gente safada, ladrões, cobradores de impostos, putas e traficantes que vão entrar no céu na frente de vocês." Mateus 21
·                     Porra! Pra que zoar a desprezar a Igreja de Deus e envergonha os que nem comida tem? Vamo parar com essa palhaçada! 1 Coríntios 11
·                     "Ahhh maluco! Teu jeito de falar dá a entender que você é um deles sim!". E pra escapar de ser pego, Pedro começou a xingar e a jurar: "Puta que o pariu, viu! Quantas vezes vou ter que falar que eu juro que não conheço esse homem?". Mateus 26 
·                     Tá foda a coisa por aqui, e chorando muitão eu escrevi pra que vocês conhecessem o amor que sinto por cada um aí. 2 Coríntios 2

·                     E Jesus respondeu: “Vocês tão forçando a amizade pra ver se eu concordo com a putaria né? Pois o erro de vocês é não conhecer nem a Bíblia e nem o poder de Deus. Marcos 12
·                     Vivam honestamente! Não vivam comendo ou bebendo além do que convém. Não fiquem procurando negócios desonestos, nem se metam com putarias, nem invejem ou briguem. Romanos 13
·                     Tão falando por aqui que entre vocês andou rolando uma putaria dum tamanho que nem entre os pagãos se ouviu falar. 1 Coríntios 5
·                     Os nossos corpos são membros de Cristo! Então pelamordeDeus, não façam do corpo de Cristo membros de uma puta. Não! Nããããão! Não sabem vocês que quem transa com uma puta, torna-se um corpo só com ela? 1 Coríntios 6
·                     E como é justo entre os santos, que as putarias de todo tipo e o apego ao dinheiro nem exista entre vocês. Efésios 5
·                     Uns ficam contando vantagem que preencheram a ficha de inscrição pra organizada comigo, outros com Apolo, uns com Pedro e outros com Cristo. Porra, gente! Por acaso faz diferença? 1 Coríntios 1
·                     Mas mesmo eu sendo o mais foda nesse dom, ainda sim prefiro falar cinco palavras da minha própria inteligência pra que outros possam aprender algo, do que dez mil em idiomas desconhecidos. 1 Coríntios 14
·                     E junto foi aquele brother que teve em todas as Igrejas conhecido o quanto o cara é foda no evangelho. 2 Coríntios 8
·                     Ao ver esta cena, o religioso começou a falar baixinho: "Se Jesus fosse mesmo tão foderoso quando dizem, saberia que essa vagabunda aí não vale nada". Lucas 7

2. Usa palavras chulas

Palavras chulas são palavras baixas, grosseiras, inapropriadas. Na história da tradução da Bíblia os linguistas sempre se preocuparam em escolher termos dignos da santidade da Palavra de Deus. Esse cuidado não aconteceu na "bíblia freestyle". Alguns exemplos:

·                     Se o seu computador é impecilho pra te deixar ser perfeito, quebra essa merda e joga no lixo. Mateus 5
·                     Jesus sacou que os caras tavam falando merda e comentou: "Quem precisa de médico é quem tá doente. Mateus 9
·                     "Se algum dos seus amigos fizer alguma merda, puxe ele no canto e quebre o pau. Se ele cair na real e pedir desculpas, você salvou seu amigo. Mas se o mané teimar, leva mais uns dois ou três pra por pressão. Se nem assim o safado reconhecer a cagada, leva a gangue inteira pra lhe dar uma surra moral! E se ainda sim o desgraçado não assumir o que fez, então nem considerem ele como amigo." Mateus 18
·                     Prepararam o jegue colocando uns panos pra Jesus sentar sem machucar a bunda. Mateus 21
·                     "As coisas que eu ensino vão ser repetidas no mundo inteiro, pra que nenhum bunda mole possa dizer que nunca ouviu falar do caminho que salva o homem, aí em seguida o mundo vai acabar." Mateus 24
·                     Judas, percebendo a merda que havia feito, procurou os religiosos pra devolver o dinheiro que havia recebido. E lamentava dizendo: "Putz gente! Ferrei com Jesus! Mateus 27
·                     Quando passou o cagaço, os guardas correram e avisaram os religiosos tudo que havia acontecido. Ao perceberem a merda que aquilo tudo ia virar, subornaram os guardas com muito dinheiro pra eles ficarem na miúda e fingirem que não sabiam de nada. Se cagaram de medo de Pilatos ficar sabendo de tudo. Mateus 28
·                     “Pra entrar ladrão no banco, primeiro tem que ver se a segurança tá rendida. Senão mano, o ladrão se ferra. E já vou avisando vocês que falam essas asneiras todas que quem falar merda sobre o Espírito Santo não vai ser perdoado. Posso perdoar todo tipo de coisa, mas isso aí já é apelação!” Marcos 3
·                     Jesus então tirou grandão seus discípulos: "Até agora vocês tão nessa bundamolice de não crer?". E a negada toda meio que sujou a cueca só de pensar nas coisas que Jesus era capaz de fazer. Afinal, quem era ele? Marcos 4
·                     Precisamos é de tudo novo daqui pra frente. Se tentarmos remendar as coisas velhas, vai virar merda." Lucas 5
·                     Mas uma viúva que era bem pobre, colocou duas moedas de 1 centavo na caixa. Tá ligado que com 2 centavos você não compra merda nenhuma, né? Marcos 12
·                     Mas Deus não errou com ninguém! Quem faz um vaso tem poder pra escolher se ele será pra colocar flores ou pra ficar no banheiro recebendo merda de todos que ali moram. Tá achando ruim saber que Deus com muita paciência permitiu que viesse à existência um monte de vaso sanitário cheio de merda, que servem exatamente pra que Ele mostrasse sua raiva e poder? Romanos 9
·                     O profeta Elias falou com Deus sobre a merda que tava virando o povo escolhido e a resposta que recebeu é que o próprio Deus havia separado pra si sete mil homens que não haviam mijado no barranco. Romanos 11
·                     Tem gente que vive de datas especiais, mas outros acham que todos os dias são a mesma merda. Romanos 14
·                     Tô falando de nego abusando da mulher do próprio pai! Vocês tão se achando os bonzões e nem se afetam a ponto de desejar afastar de perto de vocês quem faz essas merdas. 1 Coríntios 5.
·                     O guarda que vigiava Jesus, junto com os religiosos, vendo tudo que aconteceu, se mijaram. Mateus 27
·                     Zacarias se cagou todo e gaguejava como uma criança pega fazendo arte em flagrante. O anjo o acalmou, dizendo: "Calma aí Zaca, eu não vim pra te sacanear não! Lucas 1
·                     Aí Paulo respondeu: "Ô otoridade! Fique sabendo que eu sou judeu da cidade de Tarso, que não é pouca bosta na Cilícia não!". Atos 21
·                     Se a rejeição do povo de Deus é salvação pro mundo, com certeza a aceitação deles será vida até pros mortos! Se o ovo tá podre, a gemada inteira vai ficar uma bosta. Romanos 11

3. Faz piada com o texto bíblico

A Bíblia sempre foi chamada de "sagrada" porque nela caminhos de vida e de morte são definidos. Ela não é um livro comum, mas um livro santo, inspirado por Deus. Davi o louva porque Ele magnificou acima de tudo o Seu nome e a Sua Palavra (Sl 138.2). Mesmo traduções e até paráfrases levam isso em consideração. Não a versão "freestyle", pois faz piada com o texto bíblico. Veja apenas alguns exemplos:

·                     No meio dessa tentativa ridícula de "ajudar", uma nuvem os rodeou rapidamente e deu pra ouvir uma voz mais sinistra que do Cid Moreira: "Esse meu Filho é o cara! Só traz alegria ao meu coração. Fiquem quietos e escutem o que ele diz.". E os três seguidores de Jesus quase se mijaram de medo. Mateus 17
·                     Aí os discípulos perguntaram: “Aí Jesus! Quer que a gente ore pra Deus mandar uma Genki Dama do céu pra destruir essa merda dessa cidade?”. E Jesus, dando bronca geral, explicou: “Putz, vocês realmente não sabem de que lado estão. Manés, eu não vim pra matar as pessoas, eu vim pra salvar!”. Lucas 9
·                     Enquanto elas pensavam se ligavam pra polícia ou se iam no setor de achados e perdidos, apareceram duas pessoas que brilhavam muito. Não, não eram os vampirinhos emo da série Crepúsculo. Eram dois anjos. Elas obviamente se mijaram de medo. E os anjos disseram: "Pra que tão procurando gente viva em túmulo? Tão ficando loucas é? Jesus tá vivo. Ele avisou lá na Galiléia o que ia rolar." Lucas 24
·                     Esse tal de José era especial por que quando a dona Maria (sua noiva) apareceu dizendo que tava grávida do Espírito Santo, ele obviamente sentiu que isso cheirava a chifre. Mas sendo um cara legal pra caramba, resolveu terminar o noivado discretamente. Mas naquela noite um anjo apareceu no meio de um sonho e de maneira bem convincente o persuadiu a aceitar a missão de ser pai do filho de Deus, que se chamaria Jesus. Eita homem santo esse tal de José! O moleque que se chamaria Jesus, além de nascer de uma virgem (pra não desmentir a profecia), também viria pra salvar o povo das cagadas deles. José, cabra macho e obediente, não transou com a dona Maria até que nascesse o menino que o ultrassom celestial havia prometido. Mateus 1
·                     Tendo nascido Jesus em Belém, enquanto Herodes era governador, vieram a Jerusalém uns mágicos do oriente. Seus nomes eram David Copperfield, David Blaine e Criss Angel. Tá, não sabemos o nome deles. Mas que foi legal a piada, foi! Mateus 2
·                     Aí o Espírito Santo levou Jesus pra um rolê, no deserto. E lá ficou cheio de propostas indecorosas por parte do diabo. Jesus acabou 40 dias e noites sem comer nada, mesmo havendo muitos Habbibs por perto. Mateus 4
·                     Insatisfeito com a resposta de Jesus, o diabo o levou pra cima do World Trade Center (na época as duas torres ainda existiam), propondo que ele fizesse base jump dali. Jesus retrucou suave como uma voadora no peito: Não tente fazer Deus de otário. Mateus 4
·                     Por fim o diabo levou Jesus pra frente da TV e mostrou tudo que tem de bom nesse mundo (incluindo Bacon, a Megan Fox e cerveja), prometendo dar todas aquelas coisas em troca de Jesus adorar o capiroto. Como Jesus não era besta nem nada, respondeu que só a Deus devemos adorar, até por que ele é o criador do bacon, Megan Fox e cervejas. Só restou então ao diabo vazar com o rabinho entre as pernas. Imediatamente após o capiroto vazar, os anjos trouxeram uma caixa de esfirras do Habbibs e uma Coca Cola bem gelada. Mateus 4
·                     Sorte de quem for xingado, cuspido, e denunciado como abusivo no Facebook por causa de defender as minhas coisas. Pulem de alegria, por que fizeram o mesmo com os meus trutas antes de vocês, homens que tinham o poder do Espírito Santo de soltar Hadouken. Mateus 5
·                     Deus faz gente boa e gente ruim ganhar na Mega Sena. Ele é igualmente justo para com todos. Mateus 5
·                     "Quem me aceita é como se estivesse aceitando o Pai. Também quem receber vocês como profetas, serão recompensados de maneira justa. Quem der ainda que um copo de Coca-Cola e uma bolacha de água e sal pra alguém que está encarregado da minha missão, pode ficar tranquilo que não vai faltar bolacha recheada no céu". Mateus 10
·                     Terminando de contar todas estas histórias, Jesus foi lááááá pro final da Judéia, pra lá do rio Jordão (acho que Judas perdeu suas botas aí, surgindo a expressão "onde o Judas perdeu as botas"). Um monte de gente ia junto, tipo quando o Forest Gump resolveu correr. Jesus resolvia todos os problemas de saúde da galera, na maior facilidade. Mateus 19
·                     E Jesus soltou o hadouken final: "Se você quer ser 'o cara', então vende tudo o que tem e dá pra quem não tem nada. Faz a diversão dos pobres, mano! Aí vem viver comigo, nessa nossa vida loka". Então o cara abaixou a cabeça e saiu de fininho, por que era rico pra caramba e sentiu pena de se livrar dos carros, videogames, da empresa e do apartamento no Guarujá. Mateus 19
·                     E Jesus explicou: "Vocês que largaram tudo pra serem meus seguidores, vou garantir umas cadeiras estilosas no céu, pra julgarem as doze tribos de Israel. Quem deixou as coisas materiais ou a família por minha causa, vai receber cem vezes mais no céu (menos sogra, claro), além da vida eterna." Mateus 19
·                     Saindo Jesus do prédio do templo, os seus seguidores começaram a pagar pau pro tamanho da construção. Era igual ao que a Universal tá construindo em Sampa, só que mais bonito. Aí Jesus disse: "Tão vendo isso tudo? Não vai sobrar nada!". Mateus 24
·                     "Aí vocês verão o meu Bat-Sinal no céu. Todo mundo vai ver e se lamentar. Vão me ver chegando em cima das nuvens, soltando hadoukens (com todos os especiais possíveis) e lasers pelos olhos. Vai ser o maior espetáculo da Terra!" Mateus 24
·                     Se você soubesse quando o ladrão ia entrar na sua casa, ficaria esperto e faria umas armadilhas (tipo Esqueceram de Mim). Mateus 24
·                     E ele pirou o cabeção. E gritava: "JESUS, FILHO DE DAVI! DÁ MORAL PRA MIM!". Ele então mandou chamar o cego e perguntou o que queria. O cego respondeu: "Eu queria uma moto Dafra... PEGADINHA DO MALANDRO! Ô Jesus! Eu quero enxergar!". E Jesus disse: "Enxerga então manolo! A sua plena convicção a respeito de quem sou te salvou." Lucas 18
·                     Por isso é sabido que obter o favor de Deus não depende do que queremos ou do que fazemos. Mas depende somente de Deus (onde está seu livre-arbítrio agora, heim? HÁÁÁÁÁÁÁÁÁ). Romanos 9
·                     Mas vocês FIEL, são de Jesus Cristo. 1 Corinthians 1

4. Distorce o sentido do texto

Como já deve ter ficado claro, a versão "freestyle" não é a Palavra de Deus apenas com linguagem diferente. É uma versão feita em cima do texto bíblico, mas sem exatidão alguma quanto ao escrito inspirado por Deus. O próprio autor insiste em dizer que não é uma tradução. E não é mesmo porque o sentido dos textos, em sua maioria, não é o original. Veja apenas três exemplos disso:

MATEUS 1.1-17

Na Tradução Almeida Revista e Atualizada:
Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. Abraão gerou a Isaque; Isaque, a Jacó; Jacó, a Judá e a seus irmãos; Judá gerou de Tamar a Perez e a Zera; Perez gerou a Esrom; Esrom, a Arão; Arão gerou a Aminadabe; Aminadabe, a Naassom; Naassom, a Salmom; Salmom gerou de Raabe a Boaz; este, de Rute, gerou a Obede; e Obede, a Jessé; Jessé gerou ao rei Davi; e o rei Davi, a Salomão, da que fora mulher de Urias; Salomão gerou a Roboão; Roboão, a Abias; Abias, a Asa; Asa gerou a Josafá; Josafá, a Jorão; Jorão, a Uzias; Uzias gerou a Jotão; Jotão, a Acaz; Acaz, a Ezequias; Ezequias gerou a Manassés; Manassés, a Amom; Amom, a Josias; Josias gerou a Jeconias e a seus irmãos, no tempo do exílio na Babilônia. Depois do exílio na Babilônia, Jeconias gerou a Salatiel; e Salatiel, a Zorobabel; Zorobabel gerou a Abiúde; Abiúde, a Eliaquim; Eliaquim, a Azor; Azor gerou a Sadoque; Sadoque, a Aquim; Aquim, a Eliúde; Eliúde gerou a Eleazar; Eleazar, a Matã; Matã, a Jacó. E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que se chama o Cristo. De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze; desde Davi até ao exílio na Babilônia, catorze; e desde o exílio na Babilônia até Cristo, catorze.

Na "bíblia Freestyle"

Livro da geração de Jesus, o cara. Da descendência de Davi e também de Abraão. Depois de Abraão, muito sexo foi feito e muitas crianças nasceram por conta disso. Essas crianças cresceram, tornaram-se adultos e também fizeram mais sexo ainda. Até que quarenta e uma gerações se passaram e nasceu um cara muito jóia chamado José.

Onde está a distorção? No texto original o Espírito Santo escolheu cuidadosamente os personagens marcantes da genealogia de Cristo para nos ensinar algumas lições como, por exemplo, que o Messias descende de Abraão e Davi (v. 1-6), descende de uma linhagem de reis (v. 6-12) e de pessoas que não mereciam estar em uma genealogia messiânica, mas Deus as inseriu para mostrar sua graça e misericórdia. Estas pessoas são Tamar, Raabe, Rute, Bate-Seba e Judá.


A versão "freestyle" subtrai todo este ensino. Deus não colocou textos sem propósito nas Escrituras. Retirá-los é adulterar a Palavra de Deus.

MATEUS 5.13-16

Na Tradução Almeida Revista e Atualizada:
Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.

Na "bíblia Freestyle"

Vocês são a vodka da caipirinha, mas se a vodka for vagabunda, como que alguém vai beber essa porcaria? Não serve pra mais nada, senão pra acender a churrasqueira. Vocês trazem capacidade de enxergar a verdade nesse mundo. Não dá pra esconder um gordo atrás da cortina. Seja referência! A luz de dentro da geladeira é legal, mas não tem muita serventia quando a porta tá fechada. Brilhem do lado de fora, pra ninguém trupicar no pé da cama.

Na época de Jesus o sal tinha muita importância na preservação dos alimentos. Quando se matava um animal para alimentação, a forma de não deixar a carne apodrecer era salgando-a toda. Não foi sem sentido, então, que Jesus chamou os discípulos de sal da terra, pois em um mundo de apodrecimento, eles são o diferencial da preservação. A outra figura usada por Jesus, a da luz, aponta para o testemunho do cristão por meio das suas obras que devem ser vistas por todos, para que glorifiquem a Deus. A paráfrase da versão "freestyle" perdeu totalmente o sentido desta mensagem ao usar outros símbolos.

JOÃO 2.1-11

Na Tradução Almeida Revista e Atualizada:

Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, achando-se ali a mãe de Jesus. Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento. Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho. Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Então, ela falou aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser. Estavam ali seis talhas de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas. Jesus lhes disse: Enchei de água as talhas. E eles as encheram totalmente. Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram. Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora. Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galiléia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele.

Na "bíblia Freestyle"

Depois que passaram dois dias, Jesus e a sua mãe foram chamados para uma festa de casamento. Que diferente do tal “os noivos receberão os cumprimentos na igreja” resolveram dar uma big de uma festa com direito a poder levar os penetras. Pois é, igual aquela festa de igreja, acabou o vinho. A mãe de Jesus reclamou que o vinho acabou e pediu para Ele dar um jeito. Sabe como é, um milagre aqui outro ali que tal fazer o vinho brotar da água? Nessa Jesus responde pra mãe dele que não era hora dele sair do mocó. Mas sabe como é mãe, ela sempre tá disposta a mostrar foto feia, contar seus defeitos e mandar você fazer o negócio de qualquer jeito. A boa senhora manda o garçom cumprir exatamente o que o filho dela iria manda fazer. Rapaz, os caras juntaram um monte de barril de 120 litros, 120 litros malandro! Encheram de água e záz-tráz, virou vinho do porto. Aí o noivo que só tava pagando a conta, foi chamado pelo MC e ganhou um parabéns pela qualidade do vinho. Afinal, em festa com cunhando se serve primeiro patinho, picanha só no final, né não zezão?!

A versão "freestyle" joga fora o mais importante do texto: a presença dos discípulos. Jesus nunca fez um milagre sem propósito. Ele sempre tinha algo a ensinar. Por isso, os milagres são chamados de "sinais", porque apontam para um ensino. No caso do primeiro milagre, transformação da água em vinho, o objetivo era gerar fé no coração dos discípulos. Por isso o versículo 11 conclui o evento: "
Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galileia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele." Aquele foi um milagre para os discípulos, por isso a multidão nem tomou conhecimento do ocorrido. Ao omitir isso, a versão "freestyle" corta o principal da mensagem, distorcendo o objetivo do ensino.

Conclusão

Concluo este texto dizendo que a "bíblia freestyle" é um equívoco. A linguagem é pecaminosa e blasfema. Por mais que o autor tenha tido boas intenções, deveria parar este trabalho e excluir o site. Não é linguagem apropriada para as coisas de Deus. Paulo instruiu a Tito dizendo: "No ensino, mostra integridade, reverência, linguagem sadia e irrepreensível, para que o adversário seja envergonhado, não tendo indignidade nenhuma que dizer a nosso respeito.” (Tt 2.7,8) Não há reverência e linguagem irrepreensível na "freestyle".

Quanto ao argumento de que as pessoas estão gostando, ora, nestes dias confusos há pessoas para todos os gostos e crenças. Até figuras folclóricas como "Inri Cristo" têm seguidores. O critério não é aprovação popular, é aprovação divina. E, geralmente, o que é aprovado por Deus não é popular entre homens. Paulo mostra isso claramente: "Pois a nossa exortação não procede de engano, nem de impureza, nem se baseia em dolo; pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e, sim, a Deus, que prova o nosso coração." (1Ts 2.3,4)

Quanto ao argumento de que não é uma bíblia para crentes, mas para os não-crentes marginalizados, ele não se sustenta. As igrejas evangélicas têm nos seus bancos ex-bandidos, ex-drogados, ex-homossexuais, ex-bêbados, ex-punks, analfabetos e semi-analfabetos e todos foram alcançados pela Graça divina, por meio da pregação e explicação da Bíblia. Deus nunca precisou de uma versão com palavrões para atingir a estas pessoas. Pensar que Deus precisa deste tipo de "ajuda" é limitar o seu poder, é não confiar no poderoso Evangelho descrito em Romanos 1.16.

Nós precisamos pregar o Evangelho sim, a toda a criatura, mas sem nos esquecermos que "asarmas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus" (2Co 10.4). Confiemos nisso.

______________________

Fonte: http://resistenciaprotestante.blogspot.com.br/2014/05/sobre-biblia-freestyle.html
______________________

Nota emitida pelo Rev. Ageu Magalhães em um de seus comentários na sua pagina do seu facebook.

Irmãos, agradeço as orações pelo debate. Creio que os posicionamentos de ambos os lados ficaram bem definidos. Aos que esperavam que eu usasse textos mais incisivos, meu sincero pedido de desculpas. Eu os tinha na mão, mas não administrei bem o tempo. Eu não estava 100% no debate. Minutos antes da gravação minha esposa me ligou dizendo que meu filho de 1 ano estava sendo sedado para passar por uma tomografia, às pressas, por conta de um tombo e grande hematoma na cabeça. Minha mente ficou dividida. Sai do programa e fui direto ao hospital. Graças a Deus foi só o susto. Aos que esperavam agressividade de minha parte, quem me conhece sabe que esta não é a minha linha. Entre vencer o debate ou ganhar o irmão, eu sempre ficarei com a segunda opção. No programa eu percebi que estava diante de um irmão em Cristo, mesmo que com posições gigantescamente opostas quanto ao tema. Creio que o tempo trará a ele a percepção de que o poderoso evangelho de Jesus não precisa deste tipo de "ajuda" na evangelização. Quanto às críticas feitas às igrejas históricas, algumas de fato procedem. Precisamos assimila-las e alcançar os grupos marginalizados da sociedade, sem, todavia, pecar na forma. Que Ele nos ajude neste sentido. Abraços a todos”.

Link: https://www.facebook.com/ageu.magalhaes?fref=ts