quarta-feira, 9 de abril de 2014

A MINA DOS TESOUROS OCULTOS


Por Fabio Campos

Texto base: Mateus 13.44

INTRODUÇÃO.

A. Amados, para entendermos melhor este texto – especificamente a disposição deste homem em vender tudo o que tinha e isto com alegria, em troca deste “tesouro oculto” - precisamos voltar para o princípio e analisar o relacionamento do homem com Deus. Não havia igreja. O que havia era um jardim regido pelo Criador com toda sorte de provisões para a sobrevivência do homem (Gn 2.8-9).

B. O relato de Genesis [3.8-10] nos informa que o “Senhor tinha um relacionamento íntimo com sua criatura”. Com a queda em decorrência da desobediência, o homem foi separado de Deus tendo agora que cultivar o solo com “dores”, “fadigas”, em uma terra “maldita” (Gn 3.16-19).

“Por isso o Senhor Deus o mandou embora do jardim do Éden para cultivar o solo do qual fora tirado. Depois de expulsar o homem, colocou a leste do jardim do Éden querubins e uma espada flamejante que se movia, guardando o caminho para a árvore da vida”. – Gn 3.23-24 (NVI)

C. Voltando ao nosso texto de meditação, esta preciosidade que foi perdida, agora foi possibilitada em Jesus Cristo.
“... ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação”. – 2 Co 5.19 (NVI).

Partiremos para a exposição do versículo:

1. “O Reino dos céus é semelhante...”.

A. O Reino de Deus trata da comunhão do Criador com a criatura [lembra-se de como era no princípio]

B. Nossa comunhão com Deus na carne ainda não é perfeita, mas um dirá será (1 Jo 3.2).
“Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos; quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá”. – 1 Co 13. 9-10 (NVI).

2. “... um tesouro oculto no campo”.

A. “Enterrar tesouros era comum antes de existir rede bancária. Às vezes o primitivo dono morria e o tesouro ficava perdido, até que alguém o achasse por acaso”. (Nota de rodapé Bíblia Shedd).

B. O reino dos céus é muito proclamado, mas pouco entendido. “Muitos são chamados, mas poucos são os escolhidos”. “Muitos entram pelo caminho largo que leva a perdição, poucos são os que entram pelo caminho estreito que leva a vida”.

“Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos”. – Mt 11.25 (AFC)

C. Não fazemos ideia do privilégio que temos em participarmos deste reino. Um pouquinho apenas de entendimento e perceberíamos que fazemos parte do maior projeto e que todos os outros, são importantes, mas diante deste se tornam secundários.

“... o mistério que esteve oculto durante épocas e gerações, mas que agora foi manifestado a seus santos”. – Cl 1.26 (NVI)

3. “... certo homem, tendo-o achado, escondeu”.

A. Deus nos achou em Cristo. O homem achou o tesouro, contudo, viu que não tinha o suficiente para compra-lo. Isso nos mostra da preciosidade elevada que dinheiro nenhum pode comprar.

B. Repare que o homem achou e o escondeu novamente. Isso nos ensina que devemos guardar a nossa fé, nossa comunhão com Deus e o nosso coração. O Senhor nos ensina isso através da parábola do semeador (Mt. 13.1-23). 1) Quando a palavra não é compreendida o maligno rouba o que foi semeado. 2) Quando a palavra é recebida com alegria, mas chegando as angústias e as perseguições, logo é perdida. 3) Quando os “cuidados deste mundo” e a “fascinação das riquezas” sufoca a palavra, ela não produz seus frutos. 4) POR ISSO PRECISAMOS ECONDER NOSSA FÉ.

C. Quando o homem acha o tesouro e o enterra novamente, isso ele faz com convicção das riquezas que tinha neste terreno. Ele entendeu que há um preço a pagar. Mas como já estava dentro, pôde perceber que a “vida já não era mais sua”.

D. Infelizmente muitos desistem nessa hora. Colocam na balança os “ganhos” e as “perdas” e por amarem mais os seus prazeres, desistem e segue o seu curso. Contemplaram o Reino do lado de fora e tiveram a falsa percepção que não teriam alegria na santidade. É PRECISO ESTAR DISPOSTO A PAGAR O PREÇO. “Quem amar sua vida mais do que a mim, não é digno de mim” (Mt 10.39), disse Jesus.

4. “E transbordando de alegria, vai, vende tudo o que tem...”.

A. Repare com quão “grande alegria” ele vendeu tudo. Podemos aqui constratar com o jovem rico que se entristeceu com a proposta de Jesus.

B. Aquele que pensa possuir algo a perder não está apto para o Reino de Deus. O que é mais importante que sua vida? Se você ama-la mais do que a Cristo, também digno não será dEle.

C. Quem dessa fonte bebeu, jamais teve sede novamente.  Encontraram paz e alegria; descanso e sossego para sua alma. O brilho do pecado foi ofuscado pela luz de Jesus. Jamais terão saudades daquilo que chamavam de felicidade. Esbaldam-se na alegria - comem e bebem do que nunca comeram e nem beberam antes. Um verdadeiro banquete que jamais foi degustado pelo homem mais rico deste mundo.

“Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo”. – Rm 14.17 (NVI)

5. “... e compra aquele campo”.

A. Este é o momento que nada mais faz sentido comparada a comunhão com Deus. A “mina dos tesouros” onde a fonte não seca, fora encontrada.

B. Temos a percepção real de que agora somos embaixadores do reino e que uma autoridade dos céus nos reveste de poder para testemunhar. Falamos com propriedade do que recebemos. Nas palavras do Dr. Martyn Lloyd-jones, “embaixador é alguém enviado para falar em lugar de outrem. Ele é o porta-voz de seu governo, de seu presidente, de seu rei ou imperador ou de qualquer outra forma de governo que, porventura, exista em seu país”.

REFLEXÃO:

1. Existe função mais nobre do que ser um arauto e escolhido pelo Criador para anunciar aquilo que estava oculto por muitos?

2. O que ainda lhe falta para você vender e comprar este campo, desfrutando então integralmente de todos os tesouros que ainda lá estão escondidos?

3. Não há privilégio maior do que estar aqui nesta noite escutando os mistérios de Deus, pois tudo vai passar - o mundo e os seus desejos - mas aquele faz a vontade de Deus permanecerá para sempre.


CONCLUSÃO:

1. Você tem este terreno. O mundo é triste e pelo orgulho precisa ostentar que é feliz, mas não é. O Senhor nos chamou para algo eterno.

2. Nunca inveje os arrogantes e nem a prosperidade dos perversos; sabemos que muitos deles não têm preocupações; são fortes e cheios de saúde e nem sofrem as aflições que outros sofrem. Gostam de falar mal de Deus e do seu povo.

3. Ainda que nos venha à indagação do salmista: “... eles têm muito e ficam cada vez mais ricos. Parece que não adiantou nada eu me conservar puro e ter as mãos limpas de pecado” (Sl 73. 13-14 NTLH).

4. Quando entramos na casa do Senhor e contemplamos sua face, a paz que o mundo não pode receber e a alegria que excede todo o entendimento nos são dadas e o nosso coração e mente é guardada em Cristo Jesus, o Senhor.

Vale a pena vender tudo e comprar este campo!

Que Deus nos abençoe e nos guarde nesta palavra para o louvor da sua glória.

Soli Deo Gloria!
Fabio Campos
______________________________________________

Sermão pregado na ICT dia 09/04/2014