terça-feira, 11 de março de 2014

GANHANDO OS DE FORA E PERDENDO OS DE DENTRO!


Por Fabio Campos


Recentemente, eu e minha esposa, passamos por uma transição de ministérios. Frequentávamos o ministério A e fomos [pela direção de Deus] para o ministério B. No respeito que é devido e pela gratidão por tudo o que o ministério B fez por nós, fomos comunicar nossa saída e agradecer aqueles que Deus confiou nossa vida para o cuidado. Tratando com prioridade, buscamos primeiro aqueles que nos conhecia de perto para depois comunicar aos líderes em geral.

A todos disse, mesmo com a nossa saída, o vínculo irá permanecer, porém, somente aos que estavam ligados a nós em Cristo [ainda não sabíamos quem eram de fato, soubemos pelas atitudes depois de alguns meses].  Aos que estavam ligados apenas pela instituição, com estes, perdemos o contato. Por fim, em toda denominação, tem o “joio e tem o trigo” e não devemos esperar outra cousa, pois disto a Escritura diz: “E até importa que haja partido entre vós, para que os que são sinceros se manifestem entre vós” (1 Co 11.19). A “panelinha gospel” sempre terá em nosso meio.

Minha indignação [e isso me refiro a todas as denominações] é com o “comportamento sectário” de alguns irmãos. Como é ruim saber que as pessoas só querem estar ao seu lado quando precisam receber. A partir do momento que não convêm demandar sua ajuda, talvez porque se esteja em outro ministério, também não convêm que participemos das celebrações e vitórias. Você pode estar congregando em uma igreja séria, que tenha o ensino alinhado com a Bíblia, contudo, este comportamento, é característico de seita.

Infelizmente testemunhei irmãos dizendo a outros que não conversasse mais com pessoas que não faziam mais parte do ministério, pois tal irmão poderia contaminar-se com o “desviado”. O “exclusivismo” segundo os apologista é uma das fortes características de seita. Irmão, não é porque “fulano” saiu da sua igreja que ele se desviou. Sobre este comportamento, o de jogar uma pessoa contra a outra, Deus diz: “Estas seis coisas o SENHOR odeia, e a sétima a sua alma abomina” (Pr. 6.16). Sabe qual é a sétima? ““... o que semeia contendas entre irmãos” (Pr. 6.19).

O que adianta ganhar o mundo inteiro e perder os de sua própria casa? O que adianta organizar grandes evangelismos [o que louvável], dizer ao ímpio sobre Jesus, mas não ensinar aos de dentro sobre o Filho de Deus? Uma denominação fraca no ensino pode até encher seus templos, mas não nunca terá vínculos duradouros, pois seus membros estão sujeitos a ser levados por qualquer vento de doutrina. Repare na “rotatividade” destas igrejas. Parte destes “fiéis”, quando saem, nem sequer procuram uma igreja evangélica - voltam a sua religação de origem.

Antes de querer ganhar o mundo lá fora, precisamos cuidar dos dentro. É o que nos ensina Paulo: “Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé (Gl .6.10 AFC). Cuidado com a forma em que você trata certa pessoa pelo simples fato de ela não pertencer a membresia de sua igreja. “Uma única alma, para Deus, é mais importante que o mundo inteiro”.

Tudo isso será pesado na balança do Supremo Pastor quando Ele se manifestar: “Ele nunca esteve preocupado em ajuntar multidões; sua maior preocupação era com o aprisco. Dentre cem ovelhas, se ao menos uma tiver se extraviado - ele assim deixa as noventa e nove em busca daquela [‘umazinha’] que se extraviou”. Na perspectiva de Deus a denominação nunca será mais importante do que o homem. O sábado foi criado por causa do homem e não o homem por causa do sábado. Portanto, rejeitar a qualquer um dos pequeninos de Cristo, é rejeitar o próprio Cristo.

Que Deus nos ajude e não permita que caiamos na tentação da “quantidade” sem a “qualidade”-, para que, deixando de fazer algo a quem o Senhor estava cuidando [mesmo que não estivesse em nossa denominação], dEle escutemos:

“Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim”. – Mateus 25. 45 AFC

No temor, pensemos nisso!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com