segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

POBRE HOMEM, VITORIOSO À VISTA DOS HOMENS, DERROTADO DIANTE DE DEUS!


Por Fabio Campos

Texto base: “Melhor é o homem paciente do que o guerreiro, mais vale controlar o seu espírito do que conquistar uma cidade”. (Pr. 16.32 NVI).


O que faz grandes homens naufragarem na fé? Quantos de nós vimos este tipo de situação? um guerreiro, o qual não só colocávamos a mão, mas o corpo inteiro no fogo em confiança na integridade e caráter daquele que se apresentava diante de nós. O que fez Davi cair com Bete-Seba? O que dizer de Salomão que até ídolos adorou? O que dizer de Sansão, um guerreiro de força incomparável, tornou-se um “cachorrinho” inofensivo acariciado por Dalila?

Nem tudo que vemos de fato é! A Escritura ilustra esta verdade dizendo que, “como joia de ouro em focinho de porco, assim é a mulher formosa” (Pr 11.22 RA). O homem que não controla o seu espírito nem sua paixão, nunca verá o “porco” [considerado impuro para os judeus], apenas a “formosura da mulher”. Quantos e quantos impérios foram destruídos por conta de um segundo de prazer! Seus olhos estavam na “formosura” e não na “impureza” do porco.

Quando vejo algum irmão (a) expondo seu dom naquilo que faz para o Senhor, de forma ostensiva, confesso que fico preocupado. Na qualidade de alguém virtuoso, ouve-se mais e fala-se menos (Tg 1.19). Pessoas que acabam de se converter e já querem ganhar o mundo. Pela impetuosidade não criam raízes; piores somos nós [velhos de casa] que fomentamos esta síndrome messiânica na vida destes. Muitos são os estragos, e como não têm raiz, também não frutifica. Crescem! Secam! E em pouco tempo, morrem! Paulo se preparou oito anos para iniciar seu ministério; Jesus, trinta! Hoje, jovens são ordenados a pastor sem nenhum preparo teológico e maturidade espiritual.

A Bíblia é clara, não podemos ser “precipitados a ordenar alguém a liderança” (1 Tm 5.22), para que, ensoberbecendo-se, incorra na condenação do diabo (1 Tm 3.6). Antes de qualquer cargo eclesiástico, é preciso conhecer o Senhor (Jr 9. 23.24). Muitos estão aí dizendo, “Senhor, Senhor”! Profetizando, expulsando demônios e fazendo muitos sinais e maravilhas. Contudo, Jesus “nunca os conheceu” (Mt 7. 21-23). Não é que Ele já os conheceu um dia! Não! A Bíblia é clara: “Nunca vos conheci”.

O longânimo é sábio! Diferente do que é “estourado”. Este “exalta a loucura” (Pr 14.29). Melhor é o paciente do que o arrogante (Ec 7.8). A despeito de “longanimidade”, trata de alguém paciente, tardio em irar-se - sua sabedoria não o leva “precipitadamente” a ira. O resultado disto tudo é a paciência, que faz qualquer ser humano inteligente. Sensato se torna porque controla o seu gênio (Pr. 19.11).

O domínio próprio é a maior segurança de um homem: “Quem não sabe se controlar é tão sem defesa como uma cidade sem muralhas” (Pr 25.28 NTLH). Na nota de rodapé da Bíblia Shedd, “domínio próprio”, é “conservar o espírito dentro dos limites”. Por isso desconfio daqueles que são espalhafatosos ao expor sua fé e os seus “dons espirituais”. Não considero isso como ousadia, mas alguém que pode, assim como Pedro, falar a Cristo que nunca o negará, até que chegue a primeira luta e a pressão dos homens com suas ameaças.

É do agrado de Deus e a Ele de grande valia, “o homem de espírito manso e tranquilo” (1 Pe 3.4). As pessoas mais bonitas espiritualmente falando são as mais discretas. Elas têm discernimento! São sensatas, modestas -, sabem entrar e sair glorificando a Deus apenas com suas obras. Sua preocupação não é em “chamar a atenção para si”. Sua beleza não está no exterior onde o mundo percebe, mas sim no coração, o qual só Deus pode ver e revelar pelo Espírito aos de sua volta.

Não veja seu “ímpeto espalhafato” como virtude! Mas que antes sua palavra seja temperada com sal, agradável, para saber como responder a cada um (Cl 4.6). Não é você quem vai iniciar para depois afirmar; as pessoas é quem vão perguntar primeiro, pois enxergarão algo em você e encontrarão graça em suas palavras.  Assim, então, tenha vitória diante de Deus, pelo domínio do seu espírito, antes de pensar nas vitorias diante dos homens, pela conquista de uma guerra. Ninguém vai impressionar a Deus com os seus dons e com os seus talentos. Encha-se do Espírito Santo! Só assim você poderá agradá-lo.

Portanto, antes de gloriar-se em ter ganhado 100 almas para Cristo – de ter profetizado aquilo que aconteceu – ou de ter expulsado demônios – e ter plantado muitas igrejas -, examine a si mesmo e veja se há os frutos do verso abaixo na sua espiritualidade. Se não houver, o que foi dito acima, mesmo tratando de virtudes, de nada valerá:

“Mas o Espírito de Deus produz o amor, a alegria, a paz, a paciência, a bondade, a fidelidade, a humildade e o domínio próprio. (...) ““... [somente] as pessoas que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a natureza delas, junto com todas as paixões e desejos dessa natureza”. – Gálatas 5. 22-24 NTLH


Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com