sábado, 11 de janeiro de 2014

OH! E AGORA, QUEM PODERÁ ME SALVAR?


Por Fabio Campos

Texto base: Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie”. – Efésios 2.8-9


Esta é uma missão impossível para o Chapolin Colorado! O homem é um ser totalmente perdido! O pecado já não bate a porta; mas sempre foi [depois da queda] convidado a entrar e recebido com honra e alegria no coração do pecador. Não há quem faça o bem! Não há um justo sequer! A situação se torna pior quando se busca a redenção pela força do próprio braço.

A lei da evolução é contraposta pelos fatos estampados nos jornais. O coração do homem está cada vez mais perverso; os “bons” não agem inescrupulosamente a vista de todos, mas conhecem suas mazelas e lutam contra elas; a consciência os acusa trazendo a intranquilidade ao coração. Muitos são caridosos por medo da ira divina que os assolam. Grande trapo de imundície esta prática torna-se aos olhos do Senhor. Medo e não amor; orgulho pela própria justiça e não humildade pelo dom gratuito de Deus em Jesus Cristo. 

Nisto foi manifesto um Salvador; um povo que jazia em trevas viu a grande luz, e as ternas misericórdias de Deus nos visitou pelo Sol Nascente. Cumpriu na carne o que é requerida pela lei. Sabendo da estrutura do homem [que é pó], Ele se faz carne; o Eterno Deus-Filho por alguns instantes deixou a eternidade e entrou no tempo, invadiu fisicamente o espaço dos homens; seu objetivo foi esclarecer ao homem o seu anseio pela eternidade. Isto foi falado pelos profetas, mas agora o Filho que é a imagem do Deus invisível, falou claramente na sua própria pessoa. Levou-nos para a casa do Pai; transportou-nos para o seu Reino, e de Eternidade a Eternidade és Deus. Abandonamos o lar em Adão, mas fomos reconduzidos em Cristo, pois seus Céus há muitas moradas.

O cansaço espiritual provém de uma alma orgulhosa que se preocupa com o seu desempenho. Na tentativa de se emancipar do seu Criador, cria-se métodos para salvar-se a si mesmo; logo mais se constata: nada evoluiu! Quando não é uma coisa, lá está o pecado em outra. Só piorou! A culpa aumentou; o que deveria tornar-se arrependimento gerou apenas um leve e momentâneo remorso. Não há temor, mas um medo do quê tal ato pode trazer de malefício.

Ascende-se a luz da esperança; “eis aí alguém que recebe pecadores e come com eles”. Não pelas obras, mas pela fé. Tudo para que o homem não se glorie em nada daquilo que só Deus deve receber a Glória: O Senhor salvou o homem através de Jesus Cristo - todos os salvos de fato, não vivem mais, mas Cristo vive neles. Presente de Deus, gratuito no Filho e que, em nada, precisa de acréscimos para ser recebido e desfrutado. Agora segue as boas-obras pela gratidão e pelo amor a Deus, e não para ganhar o seu perdão devido ao medo, pois o verdadeiro amor lança fora todo o medo.

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com