sexta-feira, 18 de outubro de 2013

NOTA DE REPÚDIO


Por Fabio Campos


Uma rivalidade! Sim, parece uma briga de “torcidas organizadas”. Esse é o cenário nos corredores teológicos. Muitos em prol da sua posição doutrinária estão "jogando" no mínimo 50% dos cristãos no inferno. Que pena, como lamento por este desequilíbrio! É calvinista x arminiano – tricotomistas x dicotomistas – pré-milenaristas x pós-milenaristas – tradicionais x pentecostais – cessacionistas x continualistas. Foi batizado por aspersão ou por imersão? É de Pedro ou de Paulo? Gaviões da fiel ou Independente?

A discussão no campo das ideias é muito bem-vinda. Não esqueçamos que foi por meio dos debates que a teologia cristã e o pensamento sobre Deus foram alinhados formando aquilo que temos de precioso, a ortodoxa, pautada na Doutrina dos profetas e dos apóstolos. Não quero “injuriar” os irmãos que têm suas convicções e as defende. Minha briga é quando o secundário se torna fundamental, atrapalhando a comunhão do corpo místico de Cristo.

Alguns comentários e artigos a meu ver são um desfavor ao Evangelho. Usam a “glória de Deus” para trazer “glória” para si mesmo. O trato para com o outro é hostil, sem misericórdia, destituída de ética e do temor a Deus. Quantos homens de paz são hostilizados com o famoso “mi mi mi” em nome daqueles que gostam da guerra (Sl 120.7). Não conseguem postar ou ensinar outra coisa que não seja de caráter faccioso (Sl 140.2). Pois é,o homem iracundo suscita contendas, mas o longânimo apaziguará a luta” (Pr 15.18).

Parem de fomentar debates contenciosos. Nossa luta não é contra carne nem sangue, mas contra o inferno e seus anjos: “Quem ama a discussão ama o pecado; quem constrói portas altas está procurando a sua ruína(Pr 17.19). Os lábios do tolo entram em contenda, e “o que o carvão é para as brasas e a lenha para a fogueira, o amigo de brigas é para atiçar discórdias” (Pr 26.21).

Que Deus nos livre de um “evangelho gnóstico”, contencioso, que se ocupa com fábulas e genealogias, e discussões acirradas sem fim, atrapalhando o serviço de Deus na fé. Que o nosso foco seja o amor que procede de coração puro, e de consciência boa, e de fé sem hipocrisia (1 Tm 1.5). Quantas pessoas já se desviaram por causa desse tipo de discussão (1 Tm 1.6)? Isso será cobrado de nós! Dizem serem doutores; do quê? “Eles querem ser mestres da lei de Deus, mas não entendem nem o que eles mesmos dizem, nem aquilo que falam com tanta certeza” (1 Tm 1.7 NTLH).

Fica minha nota de repúdio a estas discussões que se tornam tola quando acaloradas pela jactância do saber e pelo desdém irônico naquilo que é postado. Lembremos-nos da velha frase do velho Agostinho: “No essencial: unidade! No não essencial: Liberdade! Em tudo o Amor”! De fato, “o conhecimento traz orgulho, mas o amor edifica. Quem pensa conhecer alguma coisa, ainda não conhece como deveria. Mas quem ama a Deus, este é conhecido por Deus”. (1 Coríntios 8.1-3 NVI).

Que Deus me ajude a não ser conivente a este tipo de “sabedoria mundana”, mas que antes fuja desse mal terrível que há em nosso meio. Que Deus tenha misericórdia do seu povo para que não destruirmos a nós mesmos sendo “um, o Corpo de Cristo”.


“Quem é sábio e tem entendimento entre vocês? Que o demonstre por seu bom procedimento, mediante obras praticadas com a humildade que provém da sabedoria. Contudo, se vocês abrigam no coração inveja amarga e ambição egoísta, não se gloriem disso, nem neguem a verdade. Esse tipo de "sabedoria" não vem do céu, mas é terrena, não é espiritual e é demoníaca. Pois onde há inveja e ambição egoísta, aí há confusão e toda espécie de males”. - Tiago 3.13-16 (NVI)


Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com