quarta-feira, 2 de outubro de 2013

A SALVAÇÃO PERTENCE A DEUS


Por Fabio Campos

Texto base: "A salvação pertence ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro". (Ap 7.10 NVI)

A salvação do perdido hoje é um assunto muito negligenciado em alguns púlpitos evangélicos. A crise de conversão no meio cristão tem andado a passos largos. Um fato que comprova isso é os membros que ainda não se converteram, apenas se convenceram.

A Palavra nos ensina que devemos cultuar a Deus por meio do raciocínio (Rm 12.1). Adorar o Pai em espírito e em verdade é saber o que está fazendo e a quem está se adorando. Muitos não conseguem responder biblicamente “do que foram salvos”, ou do real motivo da morte expiatória e vicária do Senhor Jesus na cruz. Não quero me estender neste assunto - até mesmo porque existem centenas de tratados teológicos abordando este tema. Um breve resumo: Jesus Cristo nos resgatou da Lei - o que estava enferma pela carne [cumprir a lei], assim Deus o fez, enviando seu único Filho debaixo da lei, para cumprir os seus preceitos, condenando assim o pecado na carne, Ele morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para a nossa justificação.

A salvação é um presente gratuito de Deus! Gratuito porque não tem dinheiro e obra de caridade que possa compra-la (Is 64.6). Muitos irmãos carregam a salvação com suas próprias mãos. Logo vem o desânimo, pois sua segurança está no seu desempenho e não na graça. É impossível ser feliz conhecendo a Lei, mas sem ter a certeza da salvação. A maioria dos que não conhecem a Cristo acham que estão salvos. De fato ainda não conhecem a lei. Mas quando nos aproximamos da Palavra de Deus e do Deus da Palavra, o Espírito torna nossa leitura eficaz. Nisto nos é dado o discernimento a respeito das intenções do coração [que quando analisadas sem hipocrisia não são nada boas]. Neste momento só há uma frase a dizer: “Miserável homem eu que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte”.

Nossa confiança tem que ser plena em Deus. Essa certeza vem quando olhamos para si e contemplamos nossa ineficiência de fazer a vontade do Senhor. Quando nos bate o desespero e não ouvimos mais nada além do que “condenação”. Esperamos temeroso o momento da sentença. Mas o que está em Cristo diz: “Só Ele é a minha salvação e o meu alto refúgio”. Que bênção! Acerca disso diz Martinho Lutero:

“Se a minha salvação fosse deixada ao meu encargo, eu não conseguiria enfrentar vitoriosamente todos os perigos, dificuldades e demônios contra os quais teria que lutar. Porém, mesmo que não houvesse inimigos a combater, eu jamais poderia ter a certeza do sucesso”. (Ef: 2. 8-9)

Como é bom saber que Cristo nos tornou amigos de Deus, e por meio Dele ter a paz. Como é edificante saber que o seu amor não depende do meu desempenho para angariar a salvação. Ter a ciência que a esperança não está em nosso esforço, mas Nele, nos traz segurança - o amor que cobre uma multidão de pecados nos leva ao arrependimento e a dar graças a Deus pelo Nosso Senhor Jesus Cristo. Não olhe para o seu desempenho. Muitos ainda oram agradecendo por dar o dízimo de tudo, por não ser pagão e nem um incrédulo. Mas o que nos cabe é confiar no Senhor, e para Ele, abrir o coração (Sl 62.8).

O homem é vaidade das vaidades - passamos depressa - somos inconstantes. Mas o Senhor torna um único dia em mil anos, pois uma vez Ele falou e duas vezes ouvi isto: “Que o poder pertence a Deus e somente Nele há graça”. Isso nos coloca em nosso devido lugar quando nos jogamos no purgatório na tentativa de compensar nossas falhas. O Espírito nos lembra: “Eu sei em quem tenho crido e estou certo [e não com dúvida] de que Ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia”. O Senhor honra com sua Palavra, e aquele que nos fez passar da morte para a vida, também testifica com o nosso espírito de que somos filhos e que não há o que temer, pois o verdadeiro amor antes joga fora todo o medo. Isso é viver pela fé. É assim que o justo vive.

Ainda que você cumpra todos os requisitos baseados na tradição de sua família, do estatuto da sua igreja - assim como fez o jovem rico, que tinha um excelente desempenho desde a infância, ainda assim, se não seguir a Cristo [pois Ele é o caminho, a verdade e a vida], você estará longe da porta da salvação. Mas os que esperam em Deus e alicerçados na graça estão, oram o que é gemido pelo o Espírito: 'Tem misericórdia de mim que sou pecador'.

Fazer sua parte não é seguir um padrão de conduta pelo qual pode avaliar quem é ou não. A parte que no cabe é simples - temer a Deus e ama-lo com toda nossa força. Não na força do próprio braço, mas cofiando na sua misericórdia que se renova todas as manhãs. A salvação e o seu sustento vem de Deus.

Confie sua vida a Cristo e tenha a certeza da sua salvação, pois ela [a salvação] não vem de nós, é presente de Deus, para que ninguém se glorie diante Dele.

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos