domingo, 15 de setembro de 2013

O DIABO EXISTE?


Por Fabio Campos

Desde os primórdios uma pergunta é entoada entre os homens: O Diabo existe? Muitas são as investigações, e junto delas, veem todo tipo de especulação subjetiva, o que por muitas vezes acaba virando mitos e lendas. Alguns acreditam na sua existência de tal maneira que o reverenciam como sendo um “deus” que controla toda maldade ocorrida na humanidade. Têm pavor de recitar o seu nome. Já outros não acreditam! Afirmam ser o escape de muitos para acobertar sua própria maldade. Contudo, o Diabo existe, sim ou não?

Pois é, ele existe! E uma nota que pode surpreender a muitos: Ele não é ateu! A Escritura diz claramente que ele acredita muito mais na existência de Deus do que muitos que proferem a fé no Criador:

“Você crê que existe um só Deus? Muito bem! Até mesmo os demônios creem — e tremem!” (Tg 2.19 NVI)

Constatamos que ele de fato existe, mas então, quem ele é?

A Bíblia nos diz que ele foi o originador do pecado ao incitar o homem a se rebelar contra o Criador (Gn 3.1-6; 2Co 11.3). Porque uma “mentirinha” faz muito mal? Porque ele é o pai de toda mentira! É criminoso desde o princípio (Jo 8.44). Nunca deixou de pecar (1 Jo 3.8), e pelo o engano (Ap 12.9), inspira falsos profetas a realizar milagres para enganar se possível os eleitos (2 Ts 2.9).

Seu trabalho é tentar os filhos de Deus. A cada erro cometido pelos irmãos lá está a nos acusar, requerendo nossa vida para cirandar-nos como trigo (Ap 12.10). Sua artimanha é a mesma usada no princípio no jardim do Éden. Propostas atraentes são postas diante dos homens prometendo poder, satisfação imediata e independência para a não submissão a Deus. Ele não respeita ninguém. Nem o Filho de Deus e Deus o Filho, Jesus Cristo, escapou dos seus ataques (Mt 4.1). Aliás, Jesus foi o mais tentado, porem nunca cedeu a uma única tentação - diferente de toda humanidade.

O que muitos perdem de vista é que o poder deste inimigo é limitado. Ele tem poder, mas precisa de permissão para usa-lo (Jo 1.12; 2.6). Lutero disse que “Até o Diabo é o Diabo de Deus”. Todo crente revestido do Espírito Santo tem autoridade sobre ele. Esta [autoridade] foi conquistada pelo Senhor Jesus, quando na cruz, despojou principados e potestades, fazendo deles um espetáculo público. Com o inferno não falamos com amor, mas com autoridade! Entretanto, precisamos ter cautela com qualquer soberba quanto a ele, “pois nem mesmo o arcanjo Miguel, quando estava disputando com o diabo acerca do corpo de Moisés, ousou fazer acusação injuriosa contra ele, mas disse: ‘O Senhor o repreenda’” (Jd. 1.9).

Os pecadores, mortos nos seus delitos, estão sob seu poder. Estes tiveram o seu entendimento ofuscado por ele para que não entendam o Evangelho e se convertam dos seus maus caminhos (At. 26.18; 2 Co 4.4). Deus resolveu por si revelar seus mistérios aos pequeninos e ocultar dos sábios e cultos deste mundo. Por isso que diante do cosmo, tão perfeito, catedráticos em geografia e em outras ciências, são ateus. É por isso também que existe muitas pessoas inteligentes do ponto de vista acadêmico, pós-graduadas nas melhores universidades do mundo, que rejeitam esta mensagem, acreditando em duendes, pedras e simpatias. Tudo isso está escrito:

“O deus desta era cegou o entendimento dos descrentes, para que não vejam a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus”. (2 Co 4.4)

Não podemos desprezar seus ardis, pois seu alvo são os seres humanos por presas (1 Pe 5.8), prometendo uma “felicidade mentirosa” (Gn 3.5). Ele é muito inteligente e o principal teólogo e filósofo que fez discípulos por toda sua existência. Exegético habilidoso nas Escrituras (Mt 4.6) que consegue enganar os seus filhos a respeito de sua própria existência. Sempre se apresenta como “bonzinho”, “belo” e “inteligente”. Muitos traçam sua figura sendo o “bicho feito”, com chifres e tridentes, conforme pintado pelos artistas medievais. Se fosse assim, de fato, todos correriam de sua presença. Mas não! Ele se apresenta como “o cara” - aquele que pode atender sua necessidade do momento sem muito esforço ou aquele que pode dar toda riqueza e glória deste mundo (2 Co 11.14).

Ele existe, e todos os que permanecerem na dureza do seu coração fazendo sua vontade será lançado no inferno. Muitos afirmam: “Deus é bom e não lançaria ninguém no inferno”. Engano! A bondade de Deus não se manifesta em não jogar as pessoas no inferno, mas em dar seu Filho para aquele que todo Nele crer não vá para lá. O que está escrito? “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que não vai fazer com que ninguém pereça e tenha a vida eterna?”. De modo nenhum! O correto: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito para o que todo Nele crer, não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). É pelo Filho que se manifesta a bondade e o amor de Deus. Quem tem o Filho, tem a vida - quem não O tem, já está condenado [caso permaneça sem Ele].

Muitos cristãos só são crentes por causa do Diabo. O que seria dos preletores de “batalha espiritual” se o diabo não existisse? Qual seria sua mensagem? Pois é, não há um dualismo entre Deus e o “capeta”! Deus não é um torcedor que está ansioso na arquibancada torcendo desesperadamente por nosso desempenho em nossa luta contra satanás. O Senhor conhece os que lhe pertence, e estes purificam a si mesmo e o maligno não lhes toca. Ainda que caiamos em pecado, pelo o arrependimento, podemos clamar ao Pai por nosso Advogado que é propiciação pelos nossos pecados (1 Jo 2.1). Tem coisa que o ser humano faz que até o Diabo “duvida” e deve dizer para Deus: “isso não fui eu” (risos).

Que o Senhor nos ajude a não darmos lugar ao Diabo (Ef 4.27), ignorando os seus ardis (2 Co 2. 10-11). Mas que Ele nos ajude a lutarmos com as ferramentas corretas para este combate espiritual. Não por ritos, campanhas, pelos pensamentos positivos e nem pela quebra de maldição, pois o único método bíblico o qual é perfeito e eficaz passa pelo o amor a Deus acima de todas as coisas e a submissão a sua Palavra:

“Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao diabo, e ele fugirá de vocês”. (Tg 4.7 NVI)

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos