quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Ó EVANGÉLICOS INSENSATOS!


Por Fabio Campos

Texto base: “Ó [evangélicos] insensatos! Quem os enfeitiçou? Não foi diante dos seus olhos que Jesus Cristo foi exposto como crucificado”? (Paráfrase de Gálatas 3.1)


Como lamento, lamento mesmo! O estudo da Bíblia e das doutrinas centrais do cristianismo foram jogadas para escanteio por grande parte dos evangélicos brasileiros. A insensatez dos gálatas se evidenciou na vida de alguns na vinda do papa ao Brasil. Exaltar a virtude independentemente da região é uma coisa, até nobre por sinal, agora tolerar ensinos que são contrários as Escrituras de boa mente, só porque o papa Francisco é uma figura humilde e simpática, é inadmissível.

Lamento também a hipocrisia ecumênica manifesta por aqueles [protestantes] que nunca estudaram a história da igreja e nem o advento da Reforma. Todas as pessoas são dignas do nosso respeito, independentemente do seu credo; mas discordar doutrinariamente do que não tem base bíblica é respaldado e demandado pelo próprio Deus. Não há concordância com os ensinos católicos, seja a veneração dos “santos", a "mariolatria”, o da infalibilidade papal e a salvação universal.

O texto de Gálatas que usei para ilustrar a situação de alguns irmãos tem a conotação de “encantar pelo olhar e por meio de palavras como feiticeiro. “Exposto” usado no texto traz a ideia de um quadro ou cartaz. Deixando de contemplar a Cristo crucificado, foram seduzidos pelo erro”. (Nota de rodapé Bíblia Shedd, Edições Vida Nova)
Mais um pouco os crentes vão dizer que não há mais verdade absoluta, que todos os caminhos levam a Deus. Nem a igreja evangélica é o caminho! O itinerário na condução já foi estabelecido pelo próprio Deus; sem o Filho ninguém vem ao Pai. O sal está perdendo o sabor, e, além disso, nem para preservar, está servindo mais. A candeia que deveria estar acesa foi apagada pelas trevas ao se conformar com este mundo.

Se você frequenta uma comunidade dita evangélica; se a mesma tem um púlpito central onde são expostas a doutrina da graça e o dom gratuito de Deus pela fé em Jesus Cristo somente; se sua comunidade entendeu que só há “um mediador entre Deus e os homens”; se lá, não contem ídolos e não se venera estátuas, por obediência a Bíblia Sagrada; encarecidamente e no respeito aqueles que deram seu sangue para a emancipação da Igreja Romana, além do pai da Reforma, Martinho Lutero, revejam seus conceitos “examinando a si mesmo”.

Já pensou receber uma carta de uma família que teve seu filho queimado por não negar os ensinos ministrados por aquilo que você acredita? Por homens assim, hoje temos tudo isso em nossas igrejas; eles não negaram o testemunho, e por não amarem suas vidas, pela ressurreição, preferiram a morte.

Pense nisso antes de se corromper!


“Quanto aos que pareciam influentes — o que eram então não faz diferença para mim; Deus não julga pela aparência — tais homens influentes não me acrescentaram nada”. (Gl 2.6 NVI)

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos