terça-feira, 16 de julho de 2013

SUICIDA E HOMICIDA! BEM-VINDO AO SISTEMA!



Por Fabio Campos

Texto base: Descobri também que debaixo do sol: No lugar da justiça havia impiedade, no lugar da retidão, ainda mais impiedade”. (Ec 3.16 NVI).


O mundão é isso aí! No lugar de justiça há impiedade e crueldade! Entende o porquê a Bíblia diz que o “mundo jaz no maligno”? O crescimento corporativo hoje é fomentado na competição e não na cooperação. Jogue no ringue e que vença o melhor! Uma cobrança luciferiana infernal! Não há contentamento! Não há descanso no sétimo dia para desfrutar das obras produzidas pelas suas mãos. O Shabat virou uma oportunidade de auferir uma renda extra. O acionista cobra o presidente – o presidente cobra o diretor – o diretor cobra os gerentes – os gerentes cobram seus súditos – os operários descontam e despejam o acúmulo do estresse no seu cônjuge e em seus filhos. A mulher acha que o marido é “mole” com base naquilo que cobiça da outra - o homem diz que está cansado e se entrega aos prazeres para anestesiar a pressão externa e interna. Alguma coisa está errada! Será que fomos projetados para este tipo de demanda?

As doenças a cada dia aumentam no portfólio clinico. O homem em troca do mundo dá sua alma! Pessoas estão morrendo pela vaidade das riquezas: “Ora isso é um grave mal; porque justamente como veio, assim há de ir; e que proveito lhe vem de ter trabalhado para o vento, e de haver passado todos os seus dias nas trevas, e de haver padecido muito enfado, enfermidades e aborrecimento”? (Ec 5.16-17 ARA). Um ciclo que não se finda! Infartos, derrames, síndrome do pânico e depressões, tudo como consequência de uma vida de excessos pelo qual não precisava. O desejo nocivo pelo ganho e a impiedade nos métodos de conquista levam os que o usufruem mais cedo para a sepultura (Ec 7.17). É possível sim morrer antes do tempo em resposta aos fatalistas acomodados.

O diabo não tem limites! Sempre querendo estar acima de tudo e de todos! Até de Deus ele teve essa audácia por tentativa. Com o sistema mundano não é diferente! Ele é um saco sem fundo em busca do poder (Ec 4.4), do dinheiro (Ec 5.10), e do acúmulo de bens (Ec 6.7). O desejo de conquista maligno oprime quem quer que seja. Deixa filhos a mercê do vazio para fechar mais um negócio. O homem egoísta se isola temendo perder sua fortuna. Que vida infeliz! Matamos uns aos outros com as nossas cobranças “destrutivas”. A ansiedade corrói a alma e é uma das principais causas das doenças que estão lotando os prontos-socorros.

Trabalhar é preciso, pois é dom de Deus (Ec 4. 5-6). O homem nasceu para ser produtivo, e o suor do rosto deixa claro que, dinheiro fácil não provem da bênção de Deus. Contudo, aquilo que fizermos, precisa ter por motivação “glorificar a Deus” (1 Co 10.31). Se a ordem dos fatores for alterada, a casa não vai aguentar - certamente desmoronará. O fardo de Cristo é leve e suave! Quem vive fora desta prioridade se alegrará apenas da sua canseira (Ec 2 10-11). Sua única satisfação é de dormir cansado! Mesmo assim, ao deitar, sua mente continuará trabalhando (Ec 2.23).  Por isso melhor é a mão cheia com descanso do que ambas as mãos cheias com trabalho, e aflição de espírito” (Ec 4.6).

Precisamos nos analisar! O que estamos fazendo conosco e com os nossos amados. Cuidado com o excesso nas cobranças concernente ao irmão, aos amigos, e aos parentes. Reveja se de fato suas cobranças para com seu esposo (a) e para com seus filhos estão alinhadas com os princípios daquele que diz ter um “fardo leve e suave”. Em tudo quando há coerência com os preceitos bíblicos, o Senhor o honrará, pois em vão trabalham os que edificam a casa; inútil será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente ganhaste; aos seus amados Ele dá enquanto dormem (Sl 127. 1-2). Fomos criados para viver uma vida em abundância – o que é desconhecido para muita gente rica que possui grandes impérios.

Não fomos projetados para este sistema, pois está escrito:

“Assim, descobri que o melhor e o que vale a pena é comer, beber, e desfrutar o resultado de todo o esforço que se faz debaixo do sol durante os poucos dias de vida que Deus dá ao homem, pois essa é a sua recompensa. E, quando Deus concede riquezas e bens a alguém, e o capacita a desfrutá-los, a aceitar a sua sorte e a ser feliz em seu trabalho, isso é um presente de Deus. Raramente essa pessoa reflete no fato de que a sua vida é curta, porque Deus o mantém ocupado com a alegria do coração”. (Ec 5. 18-20 NVI)

Vamos mudar nossa rota? Que Deus nos ajude!

Soli Deo Gloria!

Fabio Campos