sábado, 8 de junho de 2013

QUANDO AS CLÁUSULAS TEOLÓGICAS SÃO SILENCIADAS!


Por Fabio Campos

Texto base: “Então, lhes perguntou: É lícito nos sábados fazer o bem ou fazer o mal? Salvar a vida ou tirá-la? Mas eles ficaram em silêncio”. (Mc 3.4 ARA).


A dureza de nosso coração acoberta o real propósito de Deus. Em nome de uma religião ou de alguma linha de interpretação teológica “matamos a Deus” e matamos o nosso próximo. Em nome daquilo que acreditamos “pedimos fogo do céu” contra os que discordam de nós. Nosso ego tem ânsia de ser apreciado! Gente que fala demais e não faz nada! O interessante é que expõem a nudez do outro com um ar de vitória. Assim como os fariseus que observavam tudo à risca por meio de sua hermenêutica finita um possível erro de Cristo, assim são estes, que no menor espaço de tempo, anunciam mais uma fofoca gospel. São os “paparazzis de jesus”!

Como será que Cristo olha para tudo isso? Será o sábado maior do que a vida? Será sua convicção teológica maior do que o real propósito pelo qual fomos criados? As boas-obras não são para aqueles que foram feitos a imagem do filho? No zelo, naquilo que confrontaria a interpretação dos rabínicos fariseus, Jesus ao observar este cuidado, a observância da lei, mas sem o “amor ao próximo, sendo Ele a imagem exata do Deus invisível, expressou o sentimento que nos revela o caráter de Deus: “Olhando-os ao redor, indignado e condoído com a dureza do seu coração” (Mc 3.5). Irmãos, muito nos falta à sensibilidade de Deus em nosso coração. O Senhor veio para nos dar vida, e vida abundante. Hoje tem muito conversa fiada! Assuntos sem pé e sem cabeça pelo qual discutimos em nosso meio; enquanto são muitos os aleijados espirituais e perdidos ao nosso redor. “Não sabemos de que espírito somos! Dizemos viver para a Glória do Senhor Jesus, mas ao invés de sermos instrumentos para salvar, destruímos. O Pai é Glorificado quando por meio do Filho realizamos as boas-obras. São elas que falam da nossa fé!

Sempre que Cristo era confrontado em nome da lei, Ele mostrava que a “Soberania não tinha conflito com o caráter do Pai”. Se Deus é bom e a sua misericórdia dura para sempre, porque deveríamos “matar os samaritanos” no seu nome? Percebam irmãos, a sensibilidade externada em uma vida piedosa, pautada na misericórdia e compaixão, revelam no que estamos sendo transformados. Não é de glória em glória a imagem do Filho? Os atos de Jesus silenciaram a teologia dos fariseus. Diante do milagre de Cristo, no sábado, dentro do templo, ao fazer o bem, a Bíblia diz que “eles ficaram em silêncio”. Foi pela quebra de um dogma que Jesus salvou Zaqueu! Ele veio buscar o que estava perdido.

Jesus é Senhor do sábado! E Senhor não precisa dar satisfação para o servo! Ele faz na hora que quiser, como que preferir, com as pessoas que escolheu. Precisamos perguntar mais vezes: “O que Jesus faria nesta situação” ao invés de ficar procurando versículos fora do contexto dentro de uma eisexege homicida. O saber incha, mas o amor edifica; aquele que julga saber algo, de fato, ainda não conhece como deveria. Mas quem ama conhece a Deus e por Ele é conhecido! Deus é amor!

Não deixemos de fazer o bem! Nossos atos bondosos só podem ser realizados quando são direcionados pelo Espírito de Deus. Todo dom perfeito vem Dele! Ainda que te apontem por quebrar alguma interpretação teológica, mostre sua fé pelas obras! Até o Diabo crê que existe um único Deus e treme! Mas quando o bem é feito, sendo dirigido por Jesus que é Senhor do sábado, certamente, seus oponentes ficarão envergonhados por ter sido “amontoadas brasas vivas sobre sua cabeça” - e Deus será glorificado por seu intermédio. Até do Sábado o Filho é Senhor! Portanto, o homem não foi feito por causa de teologia, mas a teologia foi criada por causa do homem.


Soli Deo Gloria!

Fabio Campos