quinta-feira, 20 de junho de 2013

COMEDIANTES DO PÚLPITO


Por Fabio Campos

Texto base: [o amor] “... não se porta inconvenientemente”. (1 Co 13:5 SSB)


Charles Spurgeon (1834-1892), príncipe dos pregadores, certa vez, alertou a igreja a respeito do entretenimento sendo o chamariz para atrair pessoas ao Evangelho: “Precisamos alimentar as ovelhas e não divertir os bodes”. Não sou contra contar uma piada ou usar de uma ilustração engraçada para conectar o ouvinte a mensagem. É válido e tem muito pastor que faz isso de forma brilhante! O problema é quando a mensagem inteira está inserida dentro de um roteiro de comédia. O pão desceu do céu para alimentar os famintos e não divertir os que estão de “barriga cheia”.  Quer diversão?  Minha dica é o programa do Chaves! Só as palavras de Jesus são de vida eterna e pode alimentar a alma sedenta do homem.

O amor não se porta com grosseria! Não expõe a pessoa - antes a preserva! Quem ama não constrange, mas pacifica e apaga o fogo. A galera que gosta de tirar um sarro do defeito alheio, cuidado! Ainda que você pregue muito bem, fala em línguas estranhas, seja uma pessoa desprendida do que é material e tenha uma fé que faça montanhas transportarem de um lugar para o outro, se não houver amor, de nada valerá. “O amor não se porta inconvenientemente”! Quem ama é educado!

O povo de Deus é um povo sensível, educado, discreto, que sabe entrar e sair. Não é espalhafatoso! É tardio no irar e no falar! Sabe responder com mansidão e bom senso a todos que o perguntam a razão da sua esperança. A amargura, a ira, a falta de respeito e a grosseria não combinam com os frutos do Espírito: paz, alegria, mansidão, bondade, benignidade e domínio próprio. Como é horrível estar com gente que gosta de “se aparecer”. Enquanto digo estar lendo um livro, ele diz estar lendo três ao mesmo tempo. Ele é o “cara”! Parceiro do “Arcanjo Miguel”!

Amados, o ensino e a conduta da igreja tem por termômetro o púlpito. Se houver meninice, a igreja será uma creche. Paulo diz a Timóteo para fugir destas coisas e seguir a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança, e a mansidão. Ele mesmo era um exemplo em tudo. Sabia repreender a todos com longanimidade e doutrina. Infelizmente o mundanismo tem tomado conta dos nossos templos. Apelidos frívolos e palavras torpes já não estão somente em nossas frases, mas viraram habitação de nosso coração. Falamos daquilo que nos alimentamos! Precisamos tomar cuidado, pois muitas “brincadeiras” pode ferir a consciência de um irmão, e, escandalizar qualquer um dos pequeninos, é muito perigoso.

Qualquer citação pejorativa, gordo ou magro, preto ou branco, por exemplo, dita em um púlpito pelo qual venha constranger o meu próximo ou a mim, imediatamente terá meu repúdio. Não importa quem seja, pode ser o pastor presidente! Terá minha aversão! Precisamos de mais reverência e seriedade com as coisas de Deus.

Este é o meu recado como filho escolhido, não por homens, mas por Deus, aos animadores de bodes, que fazem da igreja um circo de palhaços.


Soli Deo Gloria!

Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com