quinta-feira, 30 de maio de 2013

NOSSO TESTEMUNHO DE CONVERSÃO


Por Fabio Campos e Milena Campos

Texto base: “Sim, coisas grandiosas fez o SENHOR por nós, por isso estamos alegres”. (Sl 126.3 NVI).


Este texto do livro dos Salmos reflete nossa alegria em poder servir ao Rei dos reis e Senhor dos senhores, nosso Deus, Jesus Cristo. Ao escolher uma mensagem para colocar no convite, uma saudação, queríamos que as pessoas pudessem ter uma pequena percepção daquilo que Deus fizera em nossa vida e por meio dela. A Misericórdia e graça nos alcançaram! Em março de 2004, no exato dia 15, conheci (como amigo) minha princesa; aquela que seria “minha ajudadora idônea”. Trabalhávamos na Losango, em Osasco, e por algum tempo, antes do namoro, nossa amizade foi profunda em lealdade e respeito, sabendo dos limites devido a personalidade de ambos.

Minha família é de origem católica! São praticantes, assim como também fui. A Milena, e, praticamente todos os seus familiares, era da Umbanda. Também super devotos e praticantes dos rituais. Antes que completássemos um ano de amizade, algo diferente foi nascendo em nosso coração. Tinha uma namorada, e após terminar este namoro, eu e a Milena, começamos a se relacionar. Entretanto, aquilo que era uma amizade muito bacana e agradável, tornou-se “confusão”. O ciúme era intenso! Brigas e mais brigas! Terminamos e voltamos por cerca de duas vezes.

Nosso vício era o álcool! Ela gostava mais dos efeitos que a bebida proporcionava e também do cigarro; da minha parte, a bebida, já estava virando um costume, até que imperceptivelmente, virou um vício! Nosso namoro começou a “descambar ladeira abaixo”. Ela tinha muito ciúmes de minha antiga namorada, o qual em um destes términos, de vai e volta, voltei com minha ex. Aí bagunçou de vez! A Milena que se apegou muito a mim entrou em desespero, e em uma de suas idas ao centro de Umbanda, ouviu do “pai de santo” que eu não ficaria com ela, mas sim com aquela o qual estava naquele momento. Neste ponto, a Mi se desapontou com sua religião, e na regeneração por meio do Espírito Santo, recusou tal “profecia”, o qual se provou mentirosa, por ter origem no pai da mentira.

Após alguns meses, reatamos o namoro. Em Osasco, no calçadão na Antônio Agu, ficavam alguns irmãos pregando ao ar livre, e um deles, tinha muita graça de Deus ao expor as Escrituras. Aos escutar a mensagem do Evangelho, nasceu em mim o desejo de ler a Bíblia e de frequentar cultos evangélicos. Gostava de tocar na noite – era sambista e tinha por instrumento o cavaquinho. Por meio do Samba conheci um amigo muito especial chamado Josuel, o qual depois de algum tempo, converteu-se a Cristo. No ouvir da Palavra e pelo crescimento da fé em meu coração, ao encontrar o Josa (o chamamos assim carinhosamente), me convidei para assistir um culto em sua igreja. O interessante naquele culto não foi à reunião em si, mas a abordagem que este irmão teve no direcionamento na evangelização para comigo. O seu pastor local não estava naquela noite, e outro pregador de fora ministrou a Palavra. Porém, com dez minutos de mensagem, O Josa, me convidou para ir embora. A igreja era grande e estávamos nas últimas fileiras, ninguém percebeu nossa saída. No caminho, ele me explicou que o pregador era de fora e que a mensagem que ele estava pregando não condizia com o verdadeiro Evangelho. Bastaram quinze minutos de conversa pelo caminho! Ele me explicou o real motivo pelo qual Jesus Cristo tinha morrido na cruz e o porquê Ele ressuscitou, e do quanto Deus nos Amava no seu Filho Jesus. Aquilo foi impactante para mim! A partir deste ponto nunca mais fui o mesmo. A Mi começou a frequentar os cultos comigo, e o processo de conversão daí se iniciou. Continuamos com as mesmas práticas, mas algo dentro de nós havia mudado. Por quase três anos ficamos neste processo.

Em 2007 tivemos o rompimento de nosso namoro novamente, e pela primeira vez a decisão foi tomada por ela. Isso me abalou muito, e neste momento, sabia que se Deus não estendesse sua mão de amor a mim, tinha afundado em uma depressão. Os primeiros meses longe dela foram muito doloridos, e a cada dia que se passavam, as chances de voltarmos eram menores. Sua lembrança ainda era muito viva e sua falta era enorme por estes dias. Foi neste interim que Deus me presenteou com o seu dom precioso de “filho amado em Jesus Cristo. Decidi seguir a Cristo de verdade, pelo caminho estreito, e lhe entreguei o comanado da minha vida. No começo foi dolorido e muitas foram às tribulações, mas quando a casa é edificada na rocha, pode vim às tempestades, os ventos, que mesmo dando contra a casa, não conseguirão derruba-la. Que benção! Não sabia, mas hoje digo que foi a melhor e mais sábia decisão de minha vida. Valeu apena passar por tudo aquilo. Do terceiro para o quarto mês de separação, já estava em Cristo, e a vida que tinha agora também queria para a Milena - lógico que ao meu lado. Entretanto, os planos de Deus não são os nossos - os Dele estão muito acima de nossa máxima compreensão! Tive a notícia que ela estava namorando outra pessoa. Aquilo foi um banho de água fria no inverno! Contudo, agora tinha a paz que excede todo o entendimento, e foi neste momento que mais me apeguei a Deus! Para eliminar os maus pensamentos pelo qual era bombardeado o dia todo, preenchi minha mente com aquilo que é puro, santo, louvável e de boa fama. Li a Bíblia por completo e iniciei o Curso em Teologia pela Faculdade Teológica Bestesda! Que benção saber que são nas dificuldades que o Senhor nos forja e nos prepara para os cumprimentos dos seus propósitos por nosso intermédio. Hoje entendo minha apreciação pelo o estudo das Escrituras! A Deus a Glória!

Depois desse tempo, passado oito meses, fui convidado a ir ao casamento da prima de Milena. Fiquei sabendo que ela já não estava mais namorando. Ainda havia um sentimento no meu coração, e também uma lembrança do passado, mas não com a intensidade de como era nos primeiros dias, logo após nossa ruptura. Só que, ao vê-la, meu coração ficou angustiado e a ansiedade por estes dias, pós-casamento, me foi por companheira. Antes do casamento, me preparei espiritualmente para este encontro, sabendo o que me esperaria. Esta foi à última vez que a vi “bêbada”. Saí da festa muito triste, e no mesmo dia, fiz a seguinte oração: “Pai, tua Palavra diz que Jesus me libertou, mas hoje ficou comprovado que estou preso neste sentimento. Peço que o Senhor a tire de meu coração, pois quero viver somente para o Senhor; se não, caso seja ela a escolhida para servir a ti ao meu lado, que o Senhor me dê um sinal. Que uma pessoa, do nada, me diga que sonhou com nosso casamento. Assim eu oro em nome de Jesus! Amém”. Irmãos, Deus existe mesmo! Até hoje, foi o único sinal que pedi ao Senhor sendo específico, talvez por ser, depois da escolha por Cristo, a decisão mais importante de nossa vida – o casamento! Nesta mesma semana, ela começou a se aproximar e foi ao culto conosco. Reconciliou-se com Jesus. No sábado seguinte, fomos a uma festa de uma amiga, e ela ao tentar tomar um gole de cerveja, o líquido voltou para trás. Na segunda-feira, lembrando-se do sinal pedido a Deus, disse em meu coração: “Nem vai rolar...!” Meia hora depois, minha ex-namorada me liga e diz: “Sonhei com você. Sonhei que você se casava”. “Aí tem”, pensei comigo! Um detalhe importante é que ambas se conheciam, mas se “odiavam”. Perguntei: “Com quem você sonhou me casando”? “Com uma mulher baixa, branca, com o cabelo curtinho”, ela me respondeu. Minha audácia e sabendo do perigo - disse: “Se parecia com a Milena?”. Ela meio contrariada, respondeu: “Era muito parecida, mas seu rosto era diferente”. Tudo bem - guardei aquele sonho em meu coração e nele fiquei meditando!

Ao chegar em casa e em conversa com um irmão que me ajudou nos primeiros passos de minha caminhada com Jesus, contei-lhe o sonho. Ele disse: “Era ela no sonho e o rosto estava diferente em sinal daquilo que Deus vai realizar. Todas as coisas serão novas em Cristo Jesus”! Confesso que a paz e alegria tomou conta do meu coração. Na quarta-feira recebi uma mensagem sua com a proposta de “ser minha companheira, pois queria caminhar ao meu lado em novidade de vida com Cristo Jesus”. Eita, benção! Falei com meu líder, e no seu zelo para com minha vida, juntos, decidimos abrir um tempo de oração - tempo este que durou por seis meses. Começamos a frequentar os cultos juntos, e acompanhados de nossos líderes, até o quinto mês, tudo tinha por paz! No último mês o “bicho pegou”! Muitas contendas até o último dia. Neste tempo, nos seis meses de oração, não somente ela precisava se firmar em Cristo, mas também eu precisava ser tratado em meu coração de algumas situações do passado. E para a glória de Deus começamos a namorar.

Depois e um ano de namoro, em 2009, noivamos, e ao colocar nosso casamento em oração, experimentamos a abundante provisão de Deus. Eu e ela fomos promovidos! Compramos nosso apartamento, e muito foram os presentes naquilo que iríamos precisar no dia-a-dia para as questões domésticas. Amigos nossos em comum se converteram e nos deram força na caminhada. Com nosso testemunho de vida, com poucas palavras, nossos familiares tiveram outra abordagem concernente aos evangélicos; a credibilidade com eles aumentou. Namoramos e noivamos em santidade, esperando para consumar o ato sexual somente após o casamento, em obediência a Deus. Experimentamos outra alegria que o mundo nunca nos deu. A santidade do Senhor nos trouxe refrigério e felicidade, suprindo os desejos, nos dando força contra os impulsos da carne. Em fim, no dia 27 de fevereiro de 2010, para a glória de Deus, nos casamos. Nosso apartamento já estava praticamente mobiliado, faltando apenas detalhes. Casamos no sábado e nos mudamos no domingo.

Que benção é fazer parte dos propósitos de Deus. Em todas as coisas o Senhor faz com que contribuam para a realização dos seus propósitos. Jesus nos abençoou com uma nova família na igreja e com líderes que nos ajudaram em nossa caminhada. Seremos eternamente gratos a eles, líderes e pastores, amigos e irmãos, que nos acompanharam. Somos gratos também aos nossos familiares que nos ajudaram com o consentimento pacifico para nossa união. Deus nos deu promessas, e a grande maioria são os seus propósitos que serão realizados por meio de nossas vidas.

Nossas vidas foram restauradas por Deus. Hoje temos a salvação em Jesus Cristo e a paz que o mundo não pode receber. Nosso casamento é abençoado! Existem as diferenças que por vez e outra traz algumas discussões, o que é normal em um relacionamento entre humanos. Mas como o temor do Senhor é o princípio da sabedoria, a abordagem e forma para a reconciliação e no trato com os problemas, a paz de Cristo tem sido por árbitro de nosso coração. Por isso, nada do que fizemos e ainda faremos para Deus será em retribuição daquilo que Ele fez conosco. Não há como pagar tamanho amor dado em Jesus Cristo. Somos apenas levados ao arrependimento em contrição; O Senhor nos constrangeu com o seu amor leal. O servimos em gratidão e porque O amamos muito, sabendo, que se o nosso coração nos acusar, maior é Deus que sabe de todas as coisas. Deus é gracioso e não faz acepção de pessoas. Portanto, se você se sentiu tocado por este testemunho, saiba que assim como foi em nossa vida, Deus pode fazer na sua. Entregue sua vida a Jesus, confie Nele, e o mais Ele fará.

A boca fala do que está cheio o coração, e nesta entrega, em um futuro breve, assim como foi conosco, sua língua verbalizará que, “coisas grandiosas fez o SENHOR por nós, por isso estamos alegres”. Fica nossa gratidão ao Senhor Jesus! Somente a Ele a Glória, o louvor e o domínio para sempre. Amém!

Deus abençoe!

Fabio e Milena