quarta-feira, 10 de abril de 2013

JESUS PODERIA TER PECADO?

Por Fabio Campos
Esta é uma pergunta recorrente por parte dos cristãos. Nos anos de Cristandante se falou muito a respeito da natureza de Cristo. Se Ele foi Criado ou é Criador? Ele tinha a natureza Divina ou Humana? Enfim, tudo que a “Cristologia” mais aborda dentro da sua grade de ensino.
A Bíblia demonstra claramente que Jesus é Deus (Jo 20.28; Cl 2.9; Tt 2.13; At 8.35-38; Jo 1.1; Jd 4). Ele não teve princípio nem fim! Ele é o Princípio e o Fim, sendo o Criador de tudo e de todos. Mas o Verbo se fez carne! Jesus se fez homem, para que as justas exigências da lei fossem condenadas na carne, pois o “Divino” nunca precisou de justificação, mas o “humano”, sim, devido a sua corrupção! Se (Jesus) fosse crucificado apenas como Deus, o homem, por si, não seria justificado perante Deus, por não ter cumprido o que a Lei demanda.
Da mesma forma que a Bíblia diz que Jesus é Deus, afirma também que foi homem devido às necessidades físicas e para sanar as exigências da soteriologia: sofreu e sentiu dor (Lc 22.44); sentiu cansaço (Jo 4.6); teve fome (Mt 4.2); teve sede (Jo 19.28); tinha emoção (Lc 10.21; Jo 11.33); possuía um corpo físico (Mt 26.11-12; 27.57-60); possuía alma racional (Mt 26.38); possuía espírito humano (Lc 23.46). Concluímos que Ele (Jesus) era 100% humano e 100% Deus!
A Escritura não menciona explicitamente a possibilidade de Jesus ter pecado. Mas diz claramente que Ele nunca pecou (Hb 4.15, 7.26, 9.14,28; 1 Pe 1.19, 2.22; 1 Jo 3.5). Ele foi o único homem que nunca praticou qualquer tipo de iniquidade (Ec. 7.20; Rm 3.11,23, 5.12). Por isso que Ele é o mediador entre DEUS e os HOMENS de acordo com a carta de Paulo a Timóteo. Duas naturezas em uma única pessoa, para estar entre Deus e os homens. Sem Ele ninguém irá ao Pai (Jo 14.6; 1 Tm 2.5).
A diferença entre Jesus e os homens não é moral, mas ontológica. Ninguém é pecador porque peca, mas peca porque é pecador. Pecado não é o que faço, mas o que sou! Todos os homens estão no pecado deste o seu nascimento (Sl 51.5; Gn 8.21). Toda boa dádiva vem de Deus, pois Ele não tenta ninguém, e como não é mau, também não pode ser tentando pelo mal. Logo somos tentados naquilo que nos atrai. Nossa carne deseja o que é ‘belo aos olhos’. Cobiçamos porque somos pecadores. Caso não fossemos pecadores, também não haveria tentações. Jesus foi tentado de fora para dentro. Nós somos tentados de dentro induzidos pelas coisas de fora. A tentação de Jesus não foi por causa de algum mal que havia em sua carne; caso fosse assim, Ele teria cedido. O motivo de nossas tentações e quedas, quando as mesmas são consumadas, é por causa do pecado que habita em nós, e mesmo querendo fazer o bem, não fazemos, pois a Lei da Vida é forte demais para ser cumprida em algo morto e caído, nosso corpo mortal, quando não há a libertação por meio do Espírito.
Concluímos que Jesus não poderia ter pecado! Pois Nele não havia um pingo sequer de corrupção. Limitações e necessidade físicas não são pecados. O Senhor teve que suprir suas necessidades físicas conforme está escrito. Mas o mal, aquilo que há no coração do homem, isto nunca lhe atraiu. O Justo morreu pelos injustos! O pecado que gera a morte foi vencido e teve por sinal a ressurreição de Jesus, Santo, humano, Deus, puro e imaculado, por selo de aprovação, para justificar aqueles que têm fé Nele. Somente a Ele a Glória e o Louvor!
SOLI DEO GLORIA!
Fabio Campos