quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

REPERCUSSÃO DO POST PUBLICADO SOBRE DÍZIMOS



Por Fabio Campos

          No fim de semana passado escrevi um artigo sobre “dízimos" (link disponível no final deste artigo)! Não para menos, este foi o tema que teve maior repercussão desde que me conheço por “blogueiro”. As manifestações foram diversas! Foram conhecidos os ‘teólogos’, ‘hebraístas’, ‘historiadores’, ‘exegetas’, entre outros, para defender uma posição contrária à doação dos dez por cento. A galera se revelou! Tudo para amenizar suas consciências diante da avareza de seus corações. Quando o veneno é jogado em um canto da casa, em pouco tempo, o amontoado dos insetos é visível. Foi esta ilustração que veio ao meu coração diante dos comentários e e-mails recebidos. Surpreendente para aqueles que se dizem gratos a Deus e que entregaram sua alma a Cristo; ah... faltou entregar a carteira!...

          Quem leu meu texto de “forma imparcial” percebeu que não fomentei a entrega do dízimo dentro do sacerdócio Levítico, mas no de Melquisedeque; não como regra, mas pela fé, a quem tem por obras um coração generoso que dá com alegria conforme a sua prosperidade. Não vou me alongar em defender minha tese. Meu lamento é saber que há um ‘deus’ que ainda reina no coração de muitos irmãos. Mamon é o nome dele! Criticamos os teólogos da prosperidade por conta disso, mas temos ainda um ‘senhor’ que domina nossas finanças. Aos avarentos pergunto: vocês criticam os teólogos da prosperidade por conta dos abusos e dos desvios doutrinários, ou por que são constrangidos diante do televisor e cultos, quando o assunto abordado é dinheiro?

          Falamos de salvação sendo o mais importante! E de fato é! Mas o que percebi é que muitos irmãos desejam ouvir este tema entre outros para não serem constrangidos quando se trata de arrecadações. Nosso coração tem estado nas riquezas deste mundo! Queremos mais! Consideramos nossos ganhos e aquisições sendo vitórias conquistadas pela força de nosso braço. Onde estiver o seu coração, ali também estará o seu tesouro! Não basta dar sua oferta, é necessário um coração antes de tudo, pacifico e perdoador, convertido a Deus! Somente a reconciliação com Deus e com o seu irmão, faz de sua oferta um cheiro agradável diante do Trono.

          A maioria que criticou o artigo alegou que o dízimo é somente para o velho testamento! De fato esta é uma verdade! Entretanto, é válido lembrar que a oferta dada aos apóstolos no início da igreja não se restringia somente nos dez por cento, mas vendiam todos, suas propriedades e outras coisas mais, e dividiam o dinheiro para suprir as necessidades de cada um (At 2.45). Creio que na cultura capitalista a qual vivemos, mais a cobiça desenfreada que temos no presente momento, de fato, a desordem reinaria no viver deste estilo. Mas fica a reflexão aos irmãos que usam textos e manuseios teológicos com base no novo testamento para mascarar sua mesquinhes na contribuição. Lembro-me de Judas, tão avarento que, quando a mulher derramou o perfume caríssimo na cabeça de Jesus, sendo este um valor muito mais elevado do que as “trinta moedas”, com a sua desculpa oriunda de sua avareza disse: “era melhor ter dado aos pobres”. Quanta “nobreza” da parte daquele que era melhor não ter nascido! Daquele que traiu a Jesus por um punhado de grana. Os pobres estão entre nós e precisamos ajuda-los. Por isso que toda igreja séria têm um departamento chamado “Assistência Social”, que ajuda os necessitados. Jesus conhece nosso coração. Ele sabe das nossas desculpas quando revestidas de piedade, as quais têm por de trás um amor idólatra pelo dinheiro!

          Amados, estamos um uma aliança mui superior. Faça uma aliança com Deus também na área financeira. Seja um instrumento de multiplicação no uso do recurso deste mundo ímpio para ganhar o maior numero de irmãos. Este é o ensinamento! Honre seu pastor, seu ministério. Não estou falando dos malandros monetaristas do rádio e da televisão. Estou falando de gente séria! Pessoas que abriram mão de sua vida profissional para servir na seara de Deus.

          Experimente a Soberania de Deus nesta área de sua vida por meio do dízimo ou se quiser chamar de oferta, não tem problema. Invista no seu chamado! Ajude o irmão em dificuldade! Honre seus pais em suas necessidades. Talvez ainda você não tenha condições de fazer todas essas coisas por alguma dificuldade que esteja passando, mas se o seu coração te condenar, maior é Deus que sabe de todas as coisas (1 Jo 3.20). Mas se este for o desejo do seu coração, de cinco, Deus multiplica para cinco mil. No tempo oportuno Ele irá te honrar, pois Ele mesmo disse: “Conservem-se livres do amor ao dinheiro e contentem-se com o que vocês têm, porque Deus mesmo disse: “Nunca o deixarei, nunca o abandonarei”  Podemos, pois, dizer com confiança: “O Senhor é o meu ajudador, não temerei. O que me podem fazer os homens (Hb 13.5-6 NVI)?”

           Quem ama o dinheiro nunca ficará satisfeito! Quem age com bondade faz bem a si mesmo (Pr 10.17). Quem é generoso progride na vida; quem ajuda será ajudado (Pr 11.25). Algumas pessoas gastam com generosidade e ficam cada vez mais ricas; outras são tão econômicas que acabam ficando cada vez mais pobres (Pr 11.24). Seja abençoado! Abençoe, e tenha Deus por “fiador”, pois quem empresta aos pobres, empresta a Deus (Pr 19.17).


SOLI DEO GLORIA!

Fabio Campos

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

AS OVELHAS TÊM UM DONO! E ESTE NÃO É VOCÊ!



Por Fabio Campos

Texto base: “Suscitarei para elas, um só pastor, e ele as apascentará” (Ez 34.23ª NV)

          Lamentavelmente às vezes me deparo com alguns irmãos, sejam líderes ou pastores, dizendo: “As minhas ovelhas”. O que dá a entender é que as ovelhas são para eles uma forma de ostentar o seu desempenho diante da cúpula eclesiástica como mercadorias que se ajunta com o tempo. Gosto muito do termo que o pastor Ariovaldo Ramos: “somos ‘co-pastores’”. O Ari ainda diz: “Seu sangue não paga nem o seu pecado, porque então você diz que as ovelhas são suas”?

          Infelizmente foi criado um termo manipulativo chamado “cobertura espiritual” para controlar aqueles que se achegam a “líderes centralizadores”. Eles amedrontam as pessoas ameaçando “retaliação do Diabo” caso saiam debaixo de sua “cobertura”. Como líder, peço aos meus liderados, tenho uma responsabilidade diante de Deus pela sua vida de vocês, mas “ungido” é apenas um, e antes de estar debaixo da minha “cobertura”, devemos ter ciência que, antes que te conhecesse, Deus-Pai já tinha encaminhado você ao Deus-Filho por meio do Deus-Espírito Santo, e todo aquele que o Pai manda, de forma alguma será rejeitado pelo Filho Jesus! Todos estão debaixo de uma única cobertura, igual, não diferenciada (1 Jo 2.27)! Willian Hendriksen nos alerta quando diz: “Esses obreiros devem trabalhar em ‘sua’ seara – isto é, de Deus. As pessoas a quem tentamos conquistar para o Senhor não nos pertencem, para que façamos com elas o que bem quisermos; elas são seara dele. É preciso que esse fato esteja sempre na mente”.

          Entretanto, o cargo de pastor é uma benção de Deus para o cuidado dos seus filhos. Graças a Deus pelo meu pastor e líder que me ensinou e me ajudou nos primeiros passos da caminhada. Todos precisam de um pastor! Não temos a dimensão do tamanho do estresse que está sobre as costas daqueles que lideram o povo de Deus. Precisamos obedecer nossos pastores a luz de At 5.29, pois eles prestarão contas a Deus do seu trabalho. Temos que ser motivo de alegria e não de pesar aos nossos líderes (Hb 13.17). E não é só o pastor que dará conta, mas a ovelha também será cobrada da forma de como cuidou de seus líderes e pastores: “Agora lhes pedimos, irmãos, que tenham consideração para com os que se esforçam no trabalho entre vocês, que os lideram no Senhor e os aconselham. Tenham-nos na mais alta estima, com amor, por causa do trabalho deles” (1 Ts 5.12-13 NVI). Se você for ingrato, Deus vai te cobrar!

          Então porque não devemos tratar as ovelhas como sendo de nossa propriedade? Porque antes de sermos pastores, também somos ovelhas: Pois vocês eram como ovelhas desgarradas, mas agora se converteram ao Pastor e Bispo de suas almas” (1 Pe 2.25). Acerca desse versículo Lutero fez a seguinte oração: “Meu Senhor Jesus Cristo é o único pastor e eu, infelizmente, sou a ovelha perdida que se afastou do rebanho; estou angustiado, com medo e gostaria de ser salvo, ter um Deus gracioso e paz de consciência. Mas agora, aqui [1 Pe 2.25], me é dito que ele sente por mim o mesmo que eu sinto por ele. Eu estou angustiado e preocupado em como posso vir a ele e receber ajuda. Ele, por sua vez, está angustiado e preocupado e não deseja outra coisa senão levar-me de volta para junto de si”

          Jesus Cristo é o Bispo e Pastor de nossa Alma! A profecia de Jr 3.15 se cumpriu e multiplicou por meio Dele, pois os pastores por Ele constituídos são segundo o seu coração e apascentam o rebanho com conhecimento e inteligência. Pastores de verdade passam segurança às ovelhas a ele confiadas (Jr 23.4). Não são dominadores e nem fazem de suas lãs seu negócio, mas é um exemplo a elas em tudo (1 Pe 5.2-3).

          Quando formos tentados a pensar que as ovelhas são nossas, que o Espírito nos lembre de que, Jesus é o bom Pastor! Geralmente o pastor de uma grande igreja, naturalmente, não conhecerá todas suas ovelhas intimamente! Mas Jesus as conhece! E tem mais, quando uma, apenas uma, se desgarra, Ele deixa as noventa e nove (multidão), para socorrer aquele que se extraviou! Seu pensamento não está no “status quantitativo”; ‘ah, só mais uma dentre as cinco mil que tenho em minha denominação’...! Jesus está interessando na vida! Ele é a vida em abundância! A Ele, uma vida vale mais do que o mundo inteiro! Ele deu a vida por elas! Ele não é o assalariado mercenário que foge diante dos lobos! Mas cuida muito bem do seu rebanho! Ele conhece cada uma delas no mais íntimo do seu âmago! E elas os conhecem! Meu amor ao Senhor Jesus Cristo por isso!

        Portanto amados, minha oração é que diante do rebanho de Deus, lembremos que todos somos ovelhas. Aquele que der um copo d’ água fria a alguma de suas ovelhinhas, a mais fraca, de forma alguma perderá sua recompensa. Deus pela sua graça levantou homens segundo seu coração para nos ajudar na caminhada. Ser um pastor segundo o coração de Deus, de fato é parecer-se com Cristo. Esse pastor cuidará do rebanho com zelo, amor e dedicação. Ele não oprime, mas traz paz a elas, pois guiam rumo a passos verdejantes, sabendo que o Supremo Pastor, uma hora, irá se manifestar (1 Pe 5.4).

SOLI DEO GLORIA!

Fabio Campos

sábado, 23 de fevereiro de 2013

O DÍZIMO É UM MANDAMENTO?



Por Fabio Campos

Texto base: “Tragam o dízimo todo ao depósito do templo”. (Ml 3:10a NVI)

        Esse tema, dízimos, de fato é um assunto muito debatido nos anos da cristandade! Não para menos, quando a parte afetada é o bolso, o “bicho pega”! Mas o que a Bíblia diz a respeito? Para nós cristãos, que estamos não mais debaixo da lei, mas sim da graça, é certo dizimar o que ganhamos?

         Dízimo na Lei de Moisés é o equivalente a 10% do que foi auferido com o trabalho! Os judeus davam o dízimo de todas as suas colheitas! Estima-se que eles tinham de três a quatro ‘tipos de dízimos’ distintos (Mt 23.23). Alguns usam o texto de Mateus 23.23 para advogarem o mandamento do dizimo para a igreja neo-testamentária. Entretanto, temos que avaliar que Cristo estava fazendo uma exortação aos fariseus. Eles por serem Judeus tinham que fazer isso, assim também como tinha que guardar o sábado.

      Contudo, o Senhor Jesus instituiu ensinamentos muito mais profundos do que os de Moisés. Já que na nova aliança as Leis não eram escritas em tabuas, mas no coração. Um exemplo disso é que Moisés diz para não matar; Cristo disse que “aquele que tem ódio do seu irmão, já matou”. A Lei diz “não adulterarás”, Cristo diz “Aquele que cobiçar uma mulher no seu coração, já adulterou”. Percebe que, se a nossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, de modo algum entraremos no reino (Mt 5.20)?

       Os fariseus eram “perfeitos” na entrega dos dízimos! Então porque nós, os cristãos, salvos por Jesus, nós que experimentamos aquilo que Isaias, Jeremias, Noé e Daniel, não experimentaram, não podemos dar além do dizimo? É como ouvi uma vez: “A última parte de um homem a se converter é a carteira”. Sabemos que os abusos são muitos em nome de Malaquias 3.10. De fato este texto não serve como mandamento para persuadir alguém a dar a contribuição. “A luz da exegese dos ensinamentos de Jesus e dos apóstolos, este, caducou” como mandamento.

       Muitos não sabem, mas o dízimo vem antes da Lei! Abraão deu o dízimo de tudo a Melquisedeque (Gn 14.20). Moisés o legislador, o que instituiu o dízimo para Israel, veio somente 600 anos depois de Abraão. Concluímos que, Abraão sendo o pai da fé, o qual pela fé teve a justiça imputada, e Moises o legislador da lei, e nós os cristãos salvo pela fé em Jesus para a imputação de justiça, damos o dízimo não pela lei de Moisés, mas pela fé de Abraão. Melquisedeque, rei de Salem, sacerdote do Deus Altíssimo, sem pai, sem mãe, e sem genealogia, que não teve princípio de dias, nem fim de existência, que foi feito semelhante ao Filho de Deus, Jesus, recebeu o dízimo de Abraão pela fé, dos melhores despojos. O sacerdócio levítico segundo a ordem de Arão foi constituído pelos homens para uma ordem na Eclésia!  O de Melquisedeque que tipifica a Cristo que é eterno, por ter sido constituído diretamente pelo Deus Vivo, sem a ordenação de Arão. Damos o dízimo não pela ótica da Lei, mas da fé: “Pois quando há mudança de sacerdócio, é necessário que haja mudança de lei” (Hb 7.12 NVI). Não estamos mais debaixo do sacerdócio de Arão, mas do de Cristo.

       Sendo assim, para o Cristão, no meu modo de pensar, 10% é apenas o piso e não o teto. O dízimo se dá no lugar que se congrega, onde você é alimentando. As ofertas também, mas elas abrejem uma visão maior. Você pode ofertar na vida de um irmão necessitado, e a palavra diz que “aquele que empresta aos pobres, empresta a Deus”; você pode ofertar em um ministério, em uma instituição de caridade, enfim, a oferta é livre!

     Tenha certeza de uma coisa, tudo o que você faz para Deus, no tempo oportuno, Ele te recompensará! Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundancia também ceifará. O que importa é que você contribua o que tiver proposto no seu coração, não com tristeza ou por obrigação, pois Deus ama a quem dá com alegria. Jamais o Senhor vai pedir algo que você não tenha! Sua oferta será aceita não pela quantidade estipulada pelo pastor ou apóstolo tal! Seu dízimo e oferta serão aceitos conforme seus rendimentos (2 Co 8.12). Por isso que você não precisa ficar constrangido diante dos tele-evangelistas que pedem o que você não tem!

      O salvo oferta como salvo! Pessoas salvas não têm problema em dizimar e ofertar! Se elas entregaram sua alma que é eterna, a Cristo, o que dizer das finanças que é um elemento passageiro? Precisamos não de dizimista nas igrejas, precisamos de pessoas salvas. Os salvos não são persuadidos a dar por causa do pastor. O salvo é constrangido pelo amor de Cristo, e reconhece que até o seu salario inteiro, caso dizime, ainda é pouco em gratidão pelo que o Senhor fez em sua vida!

SOLI DEO GLORIA!
Fabio Campos

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

UMA IGREJA DESACREDITADA PELOS HOMENS, MAS AMADA POR DEUS!



Por Fabio Campos

          A queda doutrinária dos últimos tempos de fato tem sido uma pedra de tropeço para os pequeninos! Os tempos são difíceis! Não é para menos, as Escrituras estão se cumprindo! Quando vejo uma igreja com desvios doutrinários (posições secundárias), mas que possuem os sinceros na fé, me vem à mente a igreja de Corinto! Uma igreja desacreditada pelos homens, mas amada por Deus!

          A maioria das cartas de Paulo as igreja tratavam de assuntos doutrinários e exortações a respeito dos desvios. Quem pensa que julgar outrem doutrinariamente falando é errado ainda não entendeu as cartas paulinas, as quais foram inspiradas pelo o Espírito de Deus. Do contrário também é verdade! A igreja de Corinto estaria diariamente nos sites de “humor-reformado” sendo zombada pelos seus desvios. Não foi assim que Paulo tratou aqueles irmãos! Paulo amava aqueles irmãos de uma forma incondicional (2 Co 2.4). De fato o amor não é inconveniente, mas se alegra com a verdade, não usando de palavras torpes nem chulas.  Apesar dos erros, Deus pela sua Soberania permitiu as heresias, para que os sinceros fossem manifestos (1 Co. 11:19).

          A Bíblia não ensina a intercessão (arrependimento para salvação) pelos apostatas. Esses crucificaram Cristos para si mesmos, expondo-o à ignomínia, sendo impossível renová-los para o arrependimento (Hb: 6.4-8). Mas aos que estão “debaixo” de sua liderança, estes são o alvo do amor de Deus, assim como os coríntios. Portanto, quero tratar de igrejas que dentro da sua visão teológica traz em seu bojo ensinos “controvertido”, mas professam as doutrinas centrais do cristianismo. Tal análise é diferente na comparação com a posição doutrinária das Testemunhas de Jeová, do Mormonismo, dos Adventistas, do Catolicismo, e etc, quando comparamos aos Neopentecostais, os quais dentro da ortodoxia são os mais “complicados” devido a suas “invencionices”.

          Dentro do parâmetro proposta acima, conforme os erros dos corintos listrados abaixo, como os blogueiros e apologistas tratariam a igreja de corinto em seus sites?

1)    Era desunida, que ao invés de ajuntar, espalhava (1 Co: 1.10)

2)    Vangloriava-se do seu conhecimento (1 Co: 1.30-31)

3)    Tinha como doutrina para se achegar a Deus o “conhecimento intelectual” sem a revelação do Espírito Santo (1 Co: 2.5)

4)    Eram imaturos e carnais (1 Co: 3.1-3)

5)    Eram sábios aos próprios olhos (1 Co: 3.18)

6)    Acusaram Paulo de infiel para com eles (1 Co: 4.1-4)

7)    Eram orgulhosos (1 Co: 4.19)

8)    Havia imoralidades sexuais que nem os pagãos cometiam (1 Co: 5.1; 6.18-19)

9)    Não tinham discernimento espiritual (1 Co: 5.2)

10) Não tinha sabedoria para resolver problemas, e estava sujando o nome de Deus nos tribunais seculares (1 Co: 6.1,6)

11) Não levavam desaforo para casa (1 Co: 6.7-8)

12) A maioria dos casamentos estava em crise (1 Co: 7. 1-16)

13) Eram soberbos em sua teologia (1 Co: 8.1-3)

14) Afrontaram o Apóstolo Paulo colocando em check seu apostolado (1 Co: 9.1-2)

15) Eram constantemente tentados a voltar às praticas imorais na adoração dos deuses no seu templo (1 Co: 10.6-22)

16) Eram libertinos (1 Co: 10.23-33)

17) Muitas mulheres eram rebeldes no lar no trato com o marido (1 Co: 11.2-16)

18) Transformaram a ceia do Senhor em “bacanal”. Os glutões comiam sem esperar os mais pobres. Não tinham reverencia nenhuma para este sacramento tão santo instituído pelo Senhor Jesus Cristo (1 Co: 11.17-34)

19) Queria ser melhores uns dos que os outros na prática dos dons (1 Co: 12.25)

20) Não tinha o amor ágape entre sua maioria (1 Co: 13.13)

21) Não tinha o equilíbrio no uso do dom de falar em “outras línguas” (1 Co: 14.1-6)

22) Cada um buscava o dom para o seu próprio benefício (1 Co: 14.12)

23) Eram meninos da fé (1 Co: 14.20)

24) Não havia ordem e decência no culto na manifestação do dom de línguas; todos falavam ao mesmo tempo (1 Co: 14.24-31)

25) Alegavam não ter domínio sobre seus corpos diante da manifestação do Espírito; contextualizando: – o famoso “reteté” (1 Co: 14.32-33)

26) Muitas mulheres eram espalhafatosas e “batiam de frente” com seus maridos em público (1 Co: 14.34-35)

27) Taxavam o apóstolo Paulo de um “apóstolo menor” em autoridade diante dos doze escolhidos (1 Co: 15.9-11)

28) Alguns não estavam mais acreditando na ressurreição de Cristo e dos santos que dormiram no Senhor (1 Co: 15.12-19, 35)

29) Estavam se corrompendo pelos ensinos dos falsos mestres, ao ponto de Paulo dizer que, mesmo dentro da igreja, alguns ainda não conheciam a Deus (1 Co: 15.33-34)

30) Acusaram Paulo de narcisista (2 Co: 3.1; 4.5)

31) Alguns estavam irredutíveis à mensagem do Evangelho (2 Co: 6.11-13)

32) Disseram ser Paulo um “frouxo” e medroso (2 Co: 10.1,10)

33) Valorizavam os falsos “apóstolos” desvalorizando o trabalho de Paulo entre eles (2 Co: 11.5,13)

34) Toleravam de bom grado os hereges que pregavam outro evangelho (2 Co: 11.19-20)

           A igreja de Corinto representa para nós nos dias de hoje um pouco de cada igreja no contexto físico. Quem passou por uma igreja neopentecostal se identificou em alguns pontos (talvez a maioria); quem passou por uma igreja pentecostal-clássica se identificou em outro; e também aqueles que conhecem as igrejas históricas viram que de corinto toda constituição humana tem um pouco.

          Portanto irmãos, o respeito e trato diante dos irmãos mais fracos e sem conhecimento profundo teológico deve ser com ternura. A exortação sem amor é religiosidade farisaica; mas concordar com erros doutrinários em nome do amor, de fato não é amor, e sim hipocrisia!

          Deus não desistiu de corinto, e por meio de Paulo, o Senhor usou de severidade e exortação para com eles, mostrando que, mesmo diante dos erros, conhecia os que lhe pertenciam, e que dentro da instituição mística onde Cristo é o cabeça, o Seu Senhor, os preservaria de pé. Então quem somos nós para tomarmos a decisão pelo o cabeça, o qual morreu e ressuscitou por estes?

          O julgamento é este: não julguemos nada antes do tempo, pois, neopentecostais, luteranos, calvinistas, pentecostais, batistas e anglicanos, cada um desses, dará conta de si mesmo a Deus.

          Vamos denunciar o erro; vamos exortar; mas não vamos desistir desses irmãos! Refiro-me não aos lideres apostatas, mas aos pequeninos, que “perecem” por não ter um pastor para guia-los ate os verdes pastos. Essa foi a atitude de Paulo com estes irmãos “complicados”: “Tenho grande confiança em vocês, e de vocês tenho muito orgulho” (2 Co 7.4 NVI)


“Aceitem o que é fraco na fé, sem discutir assuntos controvertidos. Um crê que pode comer de tudo; já outro, cuja fé é fraca, come apenas alimentos vegetais. Aquele que come de tudo não deve desprezar o que não come, e aquele que não come de tudo não deve condenar aquele que come, pois Deus o aceitou. Quem é você para julgar o servo alheio? É para o seu senhor que ele está em pé ou cai. E ficará em pé, pois o Senhor é capaz de o sustentar” (Rm 14.1-4 NVI)



SOLI DEO GLORIA!

Fabio Campos

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

CUIDADO COM BLOGUEIROS E FACEIROS SOBERBOS E FACCIOSOS



Por Fabio Campos

Texto base: Porque onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa”. (Tg 3:16 ACF).

          Como cresceu o número de faceiros e blogueiros “piedosos” que dizem defender a Sã doutrina. O pior de tudo é que muitas das vezes ficamos refém de seus comentários: “o que vão achar se postar isso” logo vem em nossa mente ao escrever algo. Amados, temos que tomar cuidado! Paulo nos diz que a moderação deve ser conhecida diante de todos! Nem tudo o que vemos e lemos revela de fato o grau de intimidade desses internautas com Deus! Às vezes eles querem ser “curtidos” e apreciados com sua subversão intelectual.

          Quem me conhece sabe que não tolero heresia! Não sou a favor de qualquer elemento físico e espiritual que venha a prostituir a pureza do culto a Deus. Minha teologia na interpretação das Escrituras tem por base os ensinos dos pais da igreja e dos reformadores. Não sou calvinista, mas estou quase lá!

          Meu alerta neste post trata daqueles que só sabem criticar! Não conseguem fazer um só elogio aos “réus” de suas “denuncias”. Um exemplo disso foi à entrevista que o Pastor Silas Malafaia concedeu a jornalista Marília Gabriela  Lamento muito o descambo do Silas para a “Teologia da Prosperidade”, e caso não volte à singeleza do evangelho, será refutado nos seus ensinos, principalmente quando levar o “pastor” das sementes Mike Murdock” para auferir ofertas. Entretanto, no bloco da entrevista que ele (Silas Malafaia) explica a visão bíblica acerca da homossexualidade, o mesmo foi coerente com o ensino das Escrituras. Tem mais, muitos que o criticam não dariam sua cara para bater e talvez não teriam a profundidade no assunto como possui o Malafaia. Eles focam somente os erros, criticam o cara, criticam outros irmãos que deram louvor por este trecho. Criticam... criticam... e criticam...! Generalizam tudo e todos! Perguntam: Que igreja você frequenta? Frequento a igreja tal que é neopentecostal! – Então não posso chama-lo de irmão!

          Disso que Tiago fala no capítulo 3 nos versos 13-18! De pessoas tagarelas que só repete o que os outros falam e que querem ser inteligentes e sábios para levar vantagem sobre os outros. Mas não conseguem! Pois a falta de mansidão e sabedoria no proceder por meio das obras não condiz com o ensinamento dos apóstolos e profetas, e principalmente, do caminhar e vida de nosso Senhor Jesus Cristo.

          Esses me fazem lembrar Simão fariseu do capitulo sete de Lucas. Jesus foi convidado por Simão para um janta em sua casa. Porem, uma mulher pecadora quebrou alguns dos dogmas convencionais dos fariseus. Ela, sendo mulher, aproximou-se de Cristo dentro da casa de um “santo” fariseu, e quebrou um vaso de alabastro com unguento caríssimo. Sua teologia foi pregada apenas com suas lagrimas. Seu ensino foi mais além do que a simples exposição da lei mosaica. Ela não expos a Lei; ela cumpriu a Lei, quando lavou os pés de Cristo com suas lágrimas e enxugou seus pés com seus cabelos. Ela praticou as 613 leis por ser muito pecadora. E por ser muito pecadora muito se amou, e porque muito se amou cumprida está a Lei que diz: Ame a Deus com toda sua alma, entendimento e força! Enquanto o “santo” reformado fariseu apenas “praticou” a Lei de uma forma cognitiva.

         Essa é minha reflexão irmãos! Continuemos a denunciar as obras das trevas, mas louvemos também as da luz. Muito reverendo e pastor está atrás de uma escrivaninha digitando artigos que dizem ser “para a Glória de Deus” (o que não é verdade, buscam o reconhecimento da elite intelectual teológica), mas sem lágrimas nos olhos e quebrantamento, o qual cumpre todas as leis. Muitos têm em seu coração inveja, amargura, e um sentimento faccioso, a qual é terrena e demoníaca (Tg. 3.14-16).

          Da mesma forma que repudio os ensinos dos teólogos da prosperidade, dos esotéricos da batalha espiritual, dos teólogos liberais e aderentes do liberalismo teológico, assim também abomino os que “defendem a sã doutrina” sem conhecer o Cristo que está revelado nela. A vida de Cristo para a humanidade está em primeiro lugar e é o ponto! Este é meu foco e alvo dos textos e estudos por mim publicados!

          Sejamos como aquela mulher na casa do fariseu! Simão só conhecia a lei que falava a respeito do Cristo. A mulher pecadora conhecia o Cristo da Lei, e demonstrou isso em atitude!

“A sabedoria que vem do céu é antes de tudo pura; e é também pacífica, bondosa e amigável. Ela é cheia de misericórdia, produz uma colheita de boas ações, não trata os outros pela sua aparência e é livre de fingimento”. (Tg. 3.17 NTLH).

SOLI DEO GLORIA!
Fabio Campos
fabio.solafide@gmail.com

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

DEUS VAI DISCIPLINÁ-LO!



Por Fabio Campos

Texto base: “Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho” (Hb: 12.5-4 NVI)


         Calma, não se desespere, Deus corrige apenas aqueles que ele ama. Só os filhos são corrigidos por Deus. Podemos afirmar que todas as pessoas são “filhas de Deus” no sentido “criativo”, mas não da “adoção”. Apenas os que estão em Cristo têm este direito de filiação! Assim, existem os filhos de Deus e os filhos do Diabo (1 Jo. 3:10). Você é filho de Deus? Então Ele vai discipliná-lo!

         Certa feita estava fazendo algo que “aos meus olhos” não tinha problema. Mas ao mesmo tempo me sentia incomodado! Todas as vezes que ia orar, essa situação vinha em minha mente. Passou-se algum tempo e percebi que Deus não queria que continuasse com isso! A princípio não obedeci à demanda divina. Até que então a “medida” de longanimidade transbordou! Fui repreendido por Deus e por Ele disciplinado. Na medida em que tive o discernimento e certeza que não estava fazendo a vontade do Pai, renunciei este “pecado”. A paz que excede todo o entendimento, algo que já não vinha sentindo há algum tempo, invadiu meu coração. A situação principal que Deus usou como tribulação para me disciplinar teve sua quietude, e o mar voltou a sua calmaria! Que experiência sensacional que tive com Deus. Por mais que a repreensão do Senhor não seja motivo de alegria no momento, fará florescer a semente da justiça, que traz paz e alegria.
         
          Nós sabemos no que estamos errados! O Espírito já nos convenceu, estamos apenas O resistindo! Mas se você é filho, e nada ainda aconteceu como repreensão, espera e verá; certamente Deus vai discipliná-lo mais cedo ou mais tarde! Não importa se você é pastor-presidente, bispo, presbítero ou diácono, Deus vai corrigi-lo! Não seja tolo em tapar os ouvidos do coração a voz de Deus: “Senhor, não é fidelidade que os teus olhos procuram? Tu os feriste, mas eles nada sentiram; tu os deixaste esgotados, mas eles recusaram a correção. Endureceram o rosto, mais que a rocha e recusaram arrepender-se”. (Jr. 5:3 NVI)

          Repare, as cousas para os ímpios “prosperam”. Parece que não são repreendidos, e seu grau de iniquidade a cada dia se torna maior. Mas o juízo para estes é a entrega que Deus faz as suas próprias paixões, para fazerem as coisas sujas. Com o aumento de suas iniquidades, o cálice da ira logo mais será despejado contra todo impiedade (Rm: 1.24). Não haverá tempo para arrependimento! Do contrário dos filhos! Esses são repreendidos, voltam ao caminho estreito, e são salvos da ira vindoura! Para os filhos é castigo! Para os ímpios é juízo! 

        Não deixe o mau ser tornar algo corriqueiro do seu dia-a-dia! Odeie seu pecado! Abomine o seu vício! A salvação é pela graça e tudo o que Deus nos dá é pela graça. Entretanto, certas cousas estão atreladas a nossa santidade. Um marido que não trata sua esposa com dignidade não terá suas orações respondidas! Creio que Deus permite algumas coisas em nossa vida simplesmente para nos alertar, para que assim, usando elas, faça com que tudo coopere a nosso favor conforme o seu propósito: “Livrem-se de todos os males que vocês cometeram, e busquem um coração novo e um espírito novo”.  (Ez. 18. 31-32 NVI)

          De fato, mesmo sendo justos e praticando a vontade de Deus a aflição e as tempestades baterão em nossa porta! Muitas das vezes seremos afligidos por fazer o que é certo! Mas essa aflição não vem de Deus, mas do mundo! Contudo, se formos fiéis a sua Palavra, o Salmo 128 diz que aquele que teme a Deus e vive de acordo com sua vontade, esse, será feliz, ganhará o suficiente para sobreviver (V.2); terá um lar bem-aventurado (V. 3); e será lembrado por todos de sua descendência (V. 6). Quanta benção no simples ato de obedecer a Deus. Vale ou não apena obedecer a sua Palavra?

        O Senhor Jesus sempre tem algo a nos exortar! Você sabe o que tem que mudar e fazer! Pecamos não somente por comissão, mas também por omissão, pois aquele que sabe fazer o bem e não o faz, pecou! Deus quer te abençoar! Renuncie tudo aquilo que atrapalha o seu relacionamento com Deus. O pecado nos assedia a todo instante! Portanto, sujeite-se a Deus, resista ao Diabo, e ele fugirá de vós. Não se desfaleça diante da correção do Senhor, pois Ele quer nos abençoar!


“Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra”.  (2 Cr. 7:14 NVI)


SOLI DEL GLORIA!

Fabio Campos