terça-feira, 22 de janeiro de 2013

ENTENDA: O MUNDO NÃO É JUSTO!



Por Fabio Campos

Texto base: “Há mais uma coisa sem sentido na terra: justos que recebem o que os ímpios merecem, e ímpios que recebem o que os justos merecem. Isto também, penso eu, não faz sentido”. (Ec. 8:14 NVI)

          O senso de justiça é inerente a todo ser humano! Até o homem mais ímpio, caso pergunte a ele a razão de sua maldade, suas explicações serão com base em algo no qual ele foi injustiçado! A Bíblia nos diz que o “mundo jaz no maligno”. Não defendo a omissão da justiça, temos que denunciar a injustiça. Dentro do cristianismo este fator não é uma sugestão, mas um dever! Todavia, sonhar com o céu na terra é viver como se estivesse andando sobre as nuvens. Salomão nos diz que já viu “homens bons receberem coisas ruins e homens ruins receberem coisas boas”. Fato este que o Senhor dos céus, sendo Justo, Perfeito, Santo, foi crucificado como um ladrão, tendo o pior tipo de morte aos olhos do império romano: a crucificação, a qual para os judeus tem o seguinte significado: “Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”. “O justo morreu pelos injustos, ou seja, conseguimos ‘crucificar’ a Deus”! Glória seja dada a Ele que fez da cruz o seu poder! O Reino de Jesus não é deste mundo!

         Diante das barbaridades, a “frustação” com Deus por ser Ele onipotente e que pode todas as coisas, está intrínseca no coração, pelo fato de permitir tais situações. Mesmo os “religiosos” que abominam o famoso “por que”, eles mesmos têm esta pergunta no seu intimo! O próprio Jó, homem integro, louvado por Deus, não entendia tal permissão, dos bandidos terem paz, fazendo de sua própria força o seu “deus” (Jó. 12:6). O salmista não compreendia como os ímpios tinham vigor e saúde, e não passavam por aflições (Sl. 73: 4-5) ao ponto de ele próprio, por muito pouco perdesse sua confiança em Deus (Sl. 73: 2-4), enquanto ele, devotado ao Senhor, era castigado com o mal (Sl. 73: 14). Não tem jeito! Tem muito mistério entre o céu e a terra!

         Alguns irmãos bem intencionados querem fazer deste reino, o Reino de Jesus! A “Teologia do Domínio” prega sermões escatológicos para o presente momento! Não o bastante vemos crentes desapontados com Deus. Mas cadê a benção? Cadê a cura de minha enfermidade? Cadê... Cadê... Cadê? Se pregaram para você que todas as bênçãos de Deus seria para este mundo terreno, sinto lhe informar que você foi completamente enganado. No mundo teremos aflições, e o dia mau não é uma possibilidade, mas uma certeza!

         Jeremias fez duas perguntas para Deus: “Por que os maus ficam ricos? Por que os desonestos conseguem sucesso? (Jr. 12:1). Habacuque se queixou porque não “estava” sendo ajudado por Deus, e porque estava permitindo a violência? (Hc. 1:2). Talvez não verbalizemos tais perguntas, mas elas estão em nosso coração! Como não se entristecer ao contemplar uma família assassinada por um bandido!? O que dizer do bêbado irresponsável que matou uma criança atropelado quando dirigia embriagado pelas ruas? As queixas está em nosso coração!

         Philip Yancey traz uma excelente reflexão: “Deus é injusto? De um modo notável, Jesus deu uma resposta direta aos problemas do ocultamento e do silêncio de Deus. Mas o problema da injustiça só parecia piorar. A própria vida de Jesus terminou na maior injustiça da história: o melhor homem que já viveu sofreu a pior de todas as punições”. Yancey continua dizendo: “A cruz revelou que tipo de mundo nós temos e que tipo de Deus nós temos”. Temos um Deus que sofre conosco! Temos um Deus que morreu na cruz!

         Muitas pessoas usam do céu o seu escape para os problemas da terra! Talvez o suicídio seja a maior mentira que comprova tal fato. Entretanto, não podemos perder de vista que somos peregrinos nesta terra. Vamos sim passar por muitas alegrias, mas também teremos tristezas! Se o mundo fosse tão bom, por que iriamos desejar o céu? Pena que não é possível fazer esta analogia na íntegra, mas pense comigo: se tivéssemos a oportunidade de colocarmos frente a frente, um adepto da teologia da prosperidade com alguns dos heróis da fé de hebreus 11; você acha que o irmão de hebreus 11 gostaria de ter as promessas feitas por um pregador da prosperidade, vivendo dentro do domínio romano? Paulo desejava estar com o Senhor Jesus o quanto antes, mas por amor aos seus irmãos, e visando a conversão de outras ovelhas, Paulo preferiu ficar neste mundo por mais algum tempo: “Viver é Cristo e morrer é lucro” disse ele (Fp. 1:21). Em contra partida os adeptos da teologia da prosperidade têm comichão nos ouvidos quando escuta a respeito de céu, inferno, tesouro no céu e não terra!

        Irmãos, temos que brigar por justiça e orar para termos um mundo mais justo. Mas a profecia Bíblica revela que nos últimos dias teríamos tempos difíceis (2 Tm 3:1-5). Por causa da multiplicação do pecado o amor de muitos se esfriará. Não deixe a amargura entrar em seu coração. Vamos chorar, mas a alegria virá pela manhã. Teremos aflições, mas nosso Salvador venceu o mundo! Aleluia!

         A Bíblia nos diz que o cálice da ira de Deus uma hora vai transbordar. O problema é que não sabemos muito bem a respeito da ira de Deus contra o pecado. Philip Yancey diz: “Tenho orado contra a tirania, corrupção e injustiça políticas. Tenho orado pedindo milagres, pedindo provas da existência dele (Deus). Mas quando leio as descrições que os profetas fazem acerca do dia em que Deus finalmente se revelar completamente, uma oração suplanta todas as outras: ‘Deus, eu espero não estar por perto quando isso acontecer’”. O dia do Senhor será de trevas! Muito dos acontecimentos do presente momento não teremos a compressão em sua plenitude. Mas Deus tem suas razões para todo sofrimento debaixo do Sol. Acerca disso diz Yancey: “Por que Jesus não sacou uma espada no Getsêmani, nem convocou suas legiões de anjos? Por que recusou o desafio feito por satanás para que impressionasse o mundo? Por esta razão: caso o tivesse feito, teria fracassado em sua mais importante missão – tornar-se um de nós, viver e morrer como um de nós. Era a única maneira de Deus agir ‘de acordo com suas regras’ que estabelecera na criação do mundo”.

          Deus está no cenário! Ele intervém contra o mal! Mas nem sempre será como queremos! James Russel Lowel ilustra bem isso: “A verdade para sempre no patíbulo (cruz). O erro para sempre no trono – No entanto, aquele patíbulo determina o futuro, e por detrás do escuro desconhecido, está Deus dentro da sombra, vigilante sobre os seus”.  

          Nossa esperança é escatológica! Não haverá uma terra perfeita neste presente século! Mas isso tudo se acabará! Não somos produtos do acaso! Não vinhemos do macaco! Somos filhos de Deus, e quem crê no Senhor Jesus, esse, viverá eternamente! Não nesta terra! Mas nesta:

“Então vi um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar já não existia. Vi a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, preparada como uma noiva adornada para o seu marido. Ouvi uma forte voz que vinha do trono e dizia: "Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais ele viverá”. Eles serão os seus povos; o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus. Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou". (Ap 21:1-4 NVI).


        Meu maior desejo é ver todos meus amados convertidos ao Senhor! Minha esperança está em passar com eles a eternidade, no lugar descrito acima. Onde não haverá prostituição, drogas, ladrão, políticos corruptos, adultérios, pornografia, homicídio, e nada que escravize o homem!

        Amados, “Jesus cumpriu as promessas messiânicas, porém – um importante ‘porém’ – não da maneira como todos esperavam”. Nós escutamos muitas mentiras a respeito de um paraíso terreno! Não teremos isso! O Reino do Cristo não é deste lugar! Por enquanto, nesta terra de peregrinos, se satisfaça em Deus! Tenha comunhão com ele, pois gozaremos uma terra perfeita no por vir. Não sabemos exatamente como será, mas a Bíblia nos mostra que será um Reino de amor e paz. Se de fato encarnássemos esta verdade, a intensidade de nossos sofrimentos do agora seriam leves e momentâneos, comparados com o peso da glória a qual viveremos na eternidade. Leonardo Ravenhill certa vez disse: “Cinco minutos dentro da eternidade, eu creio que cada um de nós, desejaria ter: sacrificado mais, orado mais, amado mais, suado mais, agonizado mais, chorado mais...!”.

         Sabe por que muitas das vezes a infelicidade é habitação do nosso coração? Porque nosso tesouro está neste mundo! A onde está o seu tesouro, ali também estará o seu coração: Se é só para esta vida que temos colocado a nossa esperança em Cristo, somos, de todos os homens, os mais dignos de lástima”. (1 Co 15:19 VC).

        Jesus tem uma paz que excede todo o entendimento. A paz que o mundo não pode receber! O mundo é injusto! Mas haverá um dia em que toda impiedade será punida de uma vez por todas, e aqueles que se deleitaram unicamente em Cristo, não somente para esta terra, mas na esperança do por vir, escutará do seu Senhor: "Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo”.(Mt 25:34 NVI).
É isto o que Deus tem preparado para aqueles que o amam!

SOLI DEOGLORIA!

Fabio Campos

Citações extraídas do livro: “Decepcionado com Deus”; YANCEY, Philip; Ed. Mundo Cristão.