quinta-feira, 4 de outubro de 2012

ATRAÍDOS COM CORDAS HUMANAS


Por Fabio Campos

Texto base: “Com laços de amor e de carinho, eu os trouxe para perto de mim” (Os. 11:4a NTLH)
              
          Como lidar com um Deus Santo, Puro, Poderoso em Majestade e Glória? Essa é uma pergunta recorrente da religião! Qual a forma correta de nos aproximarmos de tal santidade sendo nós falhos e pecadores?

          É interessante de como Deus lida com seu povo! Sabemos do Seu Poder e Glória, mas a palavra nos diz que “fomos atraídos com cordas humanas”. Com laços de carinho Ele nos levou para perto si, e nos transportou para seu Reino! O pecado que fazia separação entre Deus e os homens foi condenado na carne, e Cristo nos reconciliou com Ele, não imputando os pecados cometidos!

         Todas as vezes que o homem se chegou próximo do Criador, vendo-o como Majestoso (e de fato é), sua atitude foi à mesma de Pedro, pedindo para se retirar, porque era pecador! Jacó em Peniel viu o Senhor face a face, e depois disto, agradeceu por sua vida ter sido poupada!

          Quão maravilhosa é esta graça, a reconciliação por meio de Jesus! Aqueles que não têm o Filho, também não têm o Pai! Nesta situação há um temor em se aproximar de sua Santidade e Glória! Uzá por ter tocado na Arca de maneira imprópria foi morto por Deus (1 Cr. 13:9-10)! Assim são os ímpios que não têm o perdão de seus pecados! Suas obras para justificação são trapo de imundícia, abominação aos olhos do Senhor!

          Entretanto, não temos um Deus impassivo à miséria humana! Nosso Senhor é imanente a sua criação! A beleza de Cristo que nos atraiu! E não foi o Senhor do Apocalipse que nos chamou, mas o Nazareno, manso e humilde de coração! Ele mesmo, aquele que sendo Deus, não julgou o ser igual a Deus, antes a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, TORNANDO-SE SEMELHANÇA DE HOMENS; e reconhecido em figura HUMANA! Este foi o Cristo que nos atraiu com cordas humanas, laços de carinho! Tem alguns irmãos que foram enquadrados dentro de um sistema teológico que não conseguem ser acolhidos por Deus dentro de um sentimento paterno. Chamar Deus de Paizinho? De ABA PAI? Imagina! Isso é coisa para os que têm as emoções afloradas, dizem eles! Nossa resposta para estes irmãos: este sentimento é para quem têm relacionamento com Deus! Não precisamos viver atemorizados, pois recebemos a adoção de filhos (Jo. 1:12), baseados no qual clamamos: ABA, Pai (Rm. 8: 15).

          Muitas das vezes em nossa rebeldia, Deus nos trata com amor, e não como merecíamos! De forma alguma desiste de nós (Os. 11: 7-8). A Linguagem que Oseias emprega no verso oito do capítulo onze é de um “sentimento sensível”, uma compaixão (sofrer junto) mui profunda!

“’Como posso desistir de você, Efraim’? Como posso entregar você nas mãos de outros, Israel? Como posso tratá-lo como tratei Admá? Como posso fazer com você o que fiz com Zeboim? O meu coração está enternecido, despertou-se toda a minha compaixão”. (Oséias 11:8 NVI)

          Segundo o dicionário informal, “enternecido”, significa: tornar terno”, “brando”, “amoroso”, “compassível”; “apiedar-se”.  É o caso do Pai que esperava no portão o retorno de seu filho pródigo, e quando o mesmo cheio de culpa voltou para o lar, o sentimento do pai foi de alegria e festa! E disse: ESTE MEU FILHO ESTAVA MORTO E REVIVEU! ESTAVA PERDIDO E FOI ACHADO!

          Louvado seja a Deus por Jesus Cristo! O qual nos deu Nele a adoção e o privilégio de sermos amados por meio de uma fidelidade unilateral (2 Tm. 2:13), confirmando o propósito da eleição (Rm. 8: 28-30), nos dando uma porção de seu próprio amor, para ama-lo como Pai!

SOLI DEO GLORIA!

Fabio Campos