quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O ARGUMENTO TOLO DOS PREGUIÇOSOS: “A LETRA MATA, MAS O ESPÍRITO VIVIFICA”


Por Fabio Campos

Texto base: “Ele nos capacitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito; pois a letra mata, mas o Espírito vivifica”. (2 Co 3:6 NVI).

          Alguns meses atrás, participando de um culto, o pregador até bem intencionado soltou esta perola: “A letra mata, mas o espírito vivifica”. No contexto da ministração ele dizia a cerca dos “teólogos” que só criticam, e por serem homens de muito estudo, a soberba tinha ganho espaço em seus corações; e como “a letra mata e o espirito vivifica”, teríamos que tomar cuidado com os tais teólogos.

          Confesso que aquela ministração “acabou” com meu domingo! Por ser um ministro de “posição” relevante no ministério e pelo tempo de caminhada cristã, “juguei” inadmissível o falar deste pregador. Este versículo é mal usado pelos preguiçosos que não querem estudar a Bíblia em profundidade. Quero ver se estes, em suas faculdades, não se aprofundam no conteúdo programático da matéria a ser lecionada! É triste! Isso só tem uma explicação: falta de temor a Deus, e desprezo por sua Santíssima Palavra.

           A passagem de II coríntios diz respeito a “prática da Lei” para justificação diante de Deus, ou seja, para quem vive com base em seus próprios méritos. O que tenta ser justificado pela Lei, por causa de sua incapacidade devido a sua natureza carnal, será condenado por não ter satisfeito a justiça de Deus.

          O apóstolo Paulo nos diz que mediante a justiça de Deus, no sacrifício vicário do Senhor Jesus, aquilo que fora impossível a Lei, Deus o fez enviando seu Filho em semelhança de carne pecaminosa, condenando o pecado na carne, para que a justiça sendo satisfeita, e no derramamento do Espírito, o “principio ativo” de nosso coração que antes era o desejo de pecar, mudasse para o desejo de se santificar. Agora com a Lei escrita em nossos corações, este “princípio ativo” deseja a santificação.

          Deus sendo perfeito, logo sua Lei é perfeita e Santa! Já o homem caído, depravado, nunca poderá chegar a este nível; a sentença mediante a Lei é morte por não ter sido cumprida. A Lei projeta para a Santidade de Deus, e o evangelho nos faz “cumprir” a vontade divina. Por isso que Cristo sendo a justiça perfeita de Deus, condenou o pecado em seu próprio corpo para aquele que nele crer não morra (segunda morte), mas tenha a vida eterna. Mediante o Espirito Santo que vivifica o homem morto em suas transgressões, este passa a ser participante da natureza divina, livrando-se da corrupção e das paixões que há no mundo. Sua vontade agora é de agradar a Deus ao invés dos seus desejos pecaminosos!

          Não dá para entender o argumento destes irmãos (digo aos "velhos" de caminhada)! A palavra de Deus é tão simples quando entendemos que nós é que somos complicados! Com a iluminação do Espirito podemos entendê-la em sua essência! Precisamos buscar a Deus para que Ele nos dê mais amor pelas Escrituras e assim não cometer erros gravíssimos como esses!

          O salmista diz ter prazer na Lei do Senhor e medita nela de dia e de noite (Sl 1:2). Um obreiro que não deseja ser envergonhado, precisa e deve manusear bem a Bíblia (2 Tm 2:15). Ele também deve estar preparado para responder com mansidão aqueles que perguntarem a respeito do evangelho (1 Pe. 3:15).

         A fé vem pelo ouvir, e ouvir a Palavra de Deus (Rm. 10.17) e a santificação, ou seja, o processo de tirar o mundo dentro do salvo, é por meio da Palavra, que é a Verdade (Jo. 17:17 / Sl 119:9). Infelizmente muitas igrejas não têm o hábito do estudo sistemático das Escrituras. Muitos se deixam levar pelo o engodo de satanás, se abstendo da meditação para se alimentarem de visões, profetadas em cultos de “batalha espiritual” e coisas do gênero. Esquecem que satanás foi derrotado pela Palavra (Mt. 4: 1-11). “Está escrito”. Isso é sujeição a Deus!

          É uma vergonha saber que irmãos pensam assim! Eles nem imaginam quanto sangue foi derramado para que o livro sagrado chegasse a nossas mãos! Esses que criticam os teólogos (digo gente séria) denotam contrariedade quando leem suas Bíblias, pois com cem por cento de certeza o nome de alguns desses estudiosos estão em suas edições.

         Só posso definir este sentimento, o de não ter prazer em meditar na Lei do Senhor, da seguinte forma: “quem está na carne não pode agradar a Deus e nem tem prazer em suas coisas, logo o espírito não habita nesta pessoa (Rm 8:5-9). Do contrário, eles seriam felizes em ler e praticar as Escrituras (Sl 119:1-2). Teriam sede em saber mais dos propósitos de Deus (Sl 119: 27), e a Palavra estaria constantemente em seus lábios em forma louvor” (119: 48).

          Spurgeon certa vez, disse: “Aquele que rejeitar a Palavra de Deus por Ele será rejeitado”. Não sejamos como os sacerdotes do tempo de Oséias que levaram o povo a destruição por rejeitarem os decretos divinos, e tiveram a condenação de serem rejeitados por Deus. Mas sejamos guerreiros que com a espada nas mãos, por meio da ação do Espírito, com amor pelos decretos do Senhor, levemos muitos ao conhecimento da verdade, e esta pura, sem nenhuma adulteração incitada por satanás. Nosso Deus não é “híbrido”! Sua Palavra não pode ser sincretizada, e tudo que vem da mente humana contrário as escrituras, é pagã. Rejeitemos esses ensinos!

Deus abençõe!

Fabio Campos
Soli Deo Gloria!