quarta-feira, 9 de maio de 2012

A BELEZA DA HUMANIDADE E DIVINDADE DE CRISTO



Por Fabio Campos

Texto base: “Vindo, porém, a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos”. (Gl. 4: 4-5 ARA)

          Uma das matérias mais fascinantes de se estudar dentro da “Teologia Sistemática”, sem dúvidas é “Cristologia” (estudo de Cristo). Como Jesus me encanta! Cristo é o centro das atenções do universo! Ele está no começo, meio e fim das Escrituras! A Bíblia só com o Antigo testamento, sem a revelação do Cristo encarnado e ressurreto é manca! Somente Nele há vida, pois todas as coisas foram criadas por intermédio Dele, sem Ele, nada do que existe teria sido feita (Jo. 1:3). Jesus é o sustentador de tudo por meio do seu poder, pois Nele vivemos, nos movemos, e existimos (At. 17:28).

          Deus sendo um Ser de uma unidade composta (Pai, Filho e Espírito Santo), nunca teve a necessidade de algo fora Dele para ter vida ou comunhão. A Trindade sempre foi plena em todos os atributos. Entretanto, por sua graça resolveu criar tudo que há no universo coroando seu trabalho com a criação do homem, este (homem) feito a sua imagem e semelhança, o único ser o qual Deus compartilhou dos seu atributos.

         Adão e Jesus são os únicos homens gerados diretamente de Deus Pai, sem pai humano. A Bíblia diz que pelo primeiro Adão entrou a morte, fruto da desobediência, mas pelo o Segundo Adão, Jesus Cristo, entrou a vida por causa de sua obediência. Adão primeiro, com o seu ato, nos trouxe culpa, morte, e a corrupção herdada. Jesus trouxe a reconciliação,  o mais maravilhoso mistério e a principal revelação: por meio Dele fomos adotados para esta família (Trindade). Coisa maravilhosa e confortante saber que temos um Deus que é imanente em sua criação e deseja ter comunhão com seus filhos.

          Este privilégio só foi outorgado a nós pelo merecimento de Cristo, que é plenamente Deus e plenamente homem. Ele não foi gerado por meio do sêmen humano, mas por meio do Espírito Santo de Deus. Nem os anjos ouviram isto de Deus: “Tu és meu Filho; hoje eu te gerei” (Hb. 1:5). Ele é totalmente homem porque teve seu nascimento virginal. Maria gerou a Cristo, fruto do Espírito Santo. Mas nem ela e Deus Pai criaram o Filho, ambos o geraram para a realização do seu ministério terreno. Há diferença em “gerar” e “criar” (uma mãe gera o filho, mas não foi ela que fez o corpo e a alma da criança).  Cristo é eterno, sem começo, nem fim, assim como Deus Pai e Deus Espírito Santo.

          Só conseguiremos ter um relacionamento pleno com o Senhor no dia que entendermos realmente a graça da “adoção”. Somos filhos de Deus! Agora não só dirigidos pela natureza humana, mas Deus em sua abundância e graça nos fez participantes de sua própria natureza para que tenhamos forças para fugir da corrupção que há no mundo causado pela cobiça (2 Pe. 1:4).

          Temos um Pai maravilhoso que entende nossas fraquezas, perdoa, remove a culpa, e nos dá livre acesso a Ele para termos comunhão nesta família. Já não existe mais medo, pois podemos chamá-lo de ABA, que significa: “Paizinho querido”.

           Este privilégio nos foi dado apenas por causa do único que é da mesma natureza do Pai e do homem. Se não fosse desta forma, a Bíblia não diria que Ele é único mediador entre DEUS e os HOMENS. Entende agora porque Ele é tão adorado?

          Toda honra e glória sejam dadas a Ele, que nos transportou para seu Reino movido unicamente por amor a sua criação feita a sua imagem e semelhança. Ele está acima de tudo e de todos!

“Ele (Jesus Cristo) é Deus acima de todos, bendito para sempre! . Amém”.
 (Rm. 9:5 NVI)


Deus abençõe!
Fabio Campos

Sola Christus!