sábado, 26 de maio de 2012

DEUS SE ARREPENDE?



Por Fabio Campos


Texto base: “Deus não é homem para que minta, nem filho de homem para que se arrependa. Acaso ele fala, e deixa de agir? Acaso promete, e deixa de cumprir?” (Nm. 23:19 NVI)

         Muitas pessoas perguntam: Se Deus é imutável, ou seja, Ele não muda, por que há textos na Bíblia mencionando que Ele se arrependeu? Como é caso do acréscimo dos quinze anos à vida de Ezequias (Is. 38: 1-6). A suspensão do prometido julgamento sobre o povo Nínive quando o povo se arrependeu (Jn 3. 4,10), pela oração de Moisés para evitar a destruição do povo de Israel ? (Êx 32. 9-14). É importante salientar que o texto de números afirma uma diferença “ontológica” entre “Deus” e o “homem”! Quando o homem se modifica, Deus muda seus propósitos para com ele conforme os textos citados.

         A Palavra de Deus é clara a respeito da imutabilidade de Deus: “Desde a antiguidade fundaste a terra, e os céus são obra das tuas mãos. Eles perecerão, mas tu permanecerás; todos eles se envelhecerão como um vestido; como roupa os mudarás, e ficarão mudados. Porém tu és o mesmo, e os teus anos nunca terão fim”. (Sl  102:25-27 ACF). 

         Podemos definir a imutabilidade de Deus da seguinte forma: “Deus é imutável em seus propósitos, em Seu ser, e nas promessas, todavia Ele age e sente emoções, de modo diferente, em resposta às situações diferentes”. Por isso que Deus não muda, quem muda é o homem!

         Deus sendo justo e misericordioso, ambos atributos sendo plenos em Seu ser, já desta forma suas ações jamais poderão ser contraditórias ao seu caráter! Se há atitudes sendo exercidas contra as leis estipuladas por Ele, logo há uma punição, pois a JUSTIÇA terá que ser exercitada nesta situação. Mas, se você muda seu caminho, pede perdão por meio de Cristo, logo a sentença que era contrária a ti é removida! Quem mudou, Deus ou você? Lógico que foi você!

         A ira de Deus que era cabida a nós foi despejada no Filho para que o amor que sempre foi cabido ao Filho fosse derramado em nós. Portanto, a justiça foi cumprida no sacrifício vicário de Jesus, e a misericórdia revelada entregue aos homens na ressurreição.

Ele foi entregue à morte por nossos pecados e ressuscitado para nossa justificação”. (Rm 4:25)

        Aqueles que vivem na culpa, direcionados pela acusação, e no esforço em ganhar a aceitação de Deus seja de que modo for, digo por obras, ainda não entendeu a principal revelação por meio das Escrituras: “a justificação pela fé”. Vivem assim, apenas os que andam com base em seus próprios méritos e não nos de Cristo. É o mesmo que dizer: “andam com a justiça sem a misericórdia”.

         Que Deus nos dê graça e discernimento para entendermos que estamos tratando de um Deus Santo, Perfeito, Imutável, que julgará o mundo com justiça. Mas também nos dê a graça da humildade para recebermos sua misericórdia e perdão por meio de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Deus abençõe!

Soli Deo Gloria!
Fabio Campos


Referencia bibliográfica: GRUDEM, Wayne, “Manual de doutrinas cristã; Ed. Vida acadêmica, p. 76 e 77.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Pornografia, um pecado que assola a humanidade


Temos que tratar este assunto com mais seriedade e compaixão!

Que a igreja abra os olhos!!!!

quarta-feira, 9 de maio de 2012

A BELEZA DA HUMANIDADE E DIVINDADE DE CRISTO



Por Fabio Campos

Texto base: “Vindo, porém, a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos”. (Gl. 4: 4-5 ARA)

          Uma das matérias mais fascinantes de se estudar dentro da “Teologia Sistemática”, sem dúvidas é “Cristologia” (estudo de Cristo). Como Jesus me encanta! Cristo é o centro das atenções do universo! Ele está no começo, meio e fim das Escrituras! A Bíblia só com o Antigo testamento, sem a revelação do Cristo encarnado e ressurreto é manca! Somente Nele há vida, pois todas as coisas foram criadas por intermédio Dele, sem Ele, nada do que existe teria sido feita (Jo. 1:3). Jesus é o sustentador de tudo por meio do seu poder, pois Nele vivemos, nos movemos, e existimos (At. 17:28).

          Deus sendo um Ser de uma unidade composta (Pai, Filho e Espírito Santo), nunca teve a necessidade de algo fora Dele para ter vida ou comunhão. A Trindade sempre foi plena em todos os atributos. Entretanto, por sua graça resolveu criar tudo que há no universo coroando seu trabalho com a criação do homem, este (homem) feito a sua imagem e semelhança, o único ser o qual Deus compartilhou dos seu atributos.

         Adão e Jesus são os únicos homens gerados diretamente de Deus Pai, sem pai humano. A Bíblia diz que pelo primeiro Adão entrou a morte, fruto da desobediência, mas pelo o Segundo Adão, Jesus Cristo, entrou a vida por causa de sua obediência. Adão primeiro, com o seu ato, nos trouxe culpa, morte, e a corrupção herdada. Jesus trouxe a reconciliação,  o mais maravilhoso mistério e a principal revelação: por meio Dele fomos adotados para esta família (Trindade). Coisa maravilhosa e confortante saber que temos um Deus que é imanente em sua criação e deseja ter comunhão com seus filhos.

          Este privilégio só foi outorgado a nós pelo merecimento de Cristo, que é plenamente Deus e plenamente homem. Ele não foi gerado por meio do sêmen humano, mas por meio do Espírito Santo de Deus. Nem os anjos ouviram isto de Deus: “Tu és meu Filho; hoje eu te gerei” (Hb. 1:5). Ele é totalmente homem porque teve seu nascimento virginal. Maria gerou a Cristo, fruto do Espírito Santo. Mas nem ela e Deus Pai criaram o Filho, ambos o geraram para a realização do seu ministério terreno. Há diferença em “gerar” e “criar” (uma mãe gera o filho, mas não foi ela que fez o corpo e a alma da criança).  Cristo é eterno, sem começo, nem fim, assim como Deus Pai e Deus Espírito Santo.

          Só conseguiremos ter um relacionamento pleno com o Senhor no dia que entendermos realmente a graça da “adoção”. Somos filhos de Deus! Agora não só dirigidos pela natureza humana, mas Deus em sua abundância e graça nos fez participantes de sua própria natureza para que tenhamos forças para fugir da corrupção que há no mundo causado pela cobiça (2 Pe. 1:4).

          Temos um Pai maravilhoso que entende nossas fraquezas, perdoa, remove a culpa, e nos dá livre acesso a Ele para termos comunhão nesta família. Já não existe mais medo, pois podemos chamá-lo de ABA, que significa: “Paizinho querido”.

           Este privilégio nos foi dado apenas por causa do único que é da mesma natureza do Pai e do homem. Se não fosse desta forma, a Bíblia não diria que Ele é único mediador entre DEUS e os HOMENS. Entende agora porque Ele é tão adorado?

          Toda honra e glória sejam dadas a Ele, que nos transportou para seu Reino movido unicamente por amor a sua criação feita a sua imagem e semelhança. Ele está acima de tudo e de todos!

“Ele (Jesus Cristo) é Deus acima de todos, bendito para sempre! . Amém”.
 (Rm. 9:5 NVI)


Deus abençõe!
Fabio Campos

Sola Christus!