sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A GUERRA ENTRE OS “UNGIDOS”


Por Fabio Campos

A reportagem da Record na última semana deu o que falar, não só no meio evangélico, mas em todo o país.

A guerra entre os “ungidos” só está começando; aqueles que defendiam o Edir Macedo e argumentavam que ele era “ungido” do Senhor, agora estão o atacando. E não é só um, juntou um bando de “ungidos” (desculpe pela repetição da palavra no decorrer do texto; se faz necessário) para atacar o “ungido” majoritário. Quanto óleo! Esses dias usaram 12 litros de óleo para ungir tal “apostolo”, mas deixamos isto para outro post.

Responde-me uma coisa: Eles dizem “não toqueis no ungido do Senhor porque a mão de Deus pesará sobre sua vida”. Qual será a consequência desta guerra? Você não acha que é muita maldição que sai da boca desse povo sendo eles de Deus? Mas vamos esperar o desfecho. É como diz a musica do Fernandinho: “Deus está levantando um novo povo, Deus está SACUDINDO toda terra”. Quem sofre as consequências de uma guerra são os inocentes. O problema não é tocar nos “ungidos do Senhor”, mas sim nos pequeninos de Jesus. Todo mundo quer ser o tal, mas com Jesus é diferente; o zelo Dele não é com os tais “ungidos” mas sim com os pequeninos. E ser um pequenino é abrir mão do galardão dos homens visando o de Deus, mas a ânsia de ser apreciado não deixa.

No vídeo existe uma injustiça, esta quanto ao pastor Márcio Valadão, que é homem de Deus, maduro em sua fé, e por causa da sua história merece mais respeito. Creio piamente que só se submeteu a situação por motivos “maiores”, onde Deus os conhece.

Não podemos esquecer que existe apenas um Ungido, Jesus Cristo. A própria palavra “cristo” e “messias” quer dizer “ungido”. Nós estamos debaixo da cobertura do único Ungido. O grande problema do ser humano em geral é o de querer dominar o outro de alguma forma. Seja ela por manipulação, persuasão, influência; mas esta é uma grande tentação, pois é a melhor forma de conseguir algo usando o outro.

Jesus certa vez disse que “quem quiser ser o maior tem que ser o menor”. Os discípulos estavam discutindo quem tinha mais poder, quem era o maior. Disse-lhes Jesus que “entre eles não poderia haver esta disputa, porque devemos chamar apenas um de Pai, o que está nos céus, e os que estão na terra, são todos irmãos, sem privilégios sobre o outro”.

Você que está lendo este artigo, saiba que Deus não está nesta guerra de medalhões. Toda essa bagunça entristece o coração de Deus. O que vocês viram nesta reportagem, e na repercussão, não pode ser associado ao caráter de Deus. Não foi para isto que Jesus morreu na cruz, e nem foi esta igreja que Ele sonhou. O corpo místico de Cristo é perfeito, a instituição quem é falha.

O justo não se justifica. Foi por isso que Ele, o Amado Senhor Jesus, foi para o matadouro CALADO, não buscou os seus direitos. Foi Ele que abriu mão da sua glória, e mesmo sendo Deus, não ousou a ser como Deus, humilhou a si mesmo, tomando forma de homem. A doçura do seu olhar, a calma de suas repostas, a ternura do seu proceder com os indignos, à compaixão para com os necessitados, a preservação da imagem dos seus amigos, o zelo com a casa de Deus e com sua Palavra, estas são algumas de suas muitas características.

Este é Jesus, o Filho de Deus. Tenha uma reflexão: Ele disse: “Assim resplandeça a luz de vocês para que o mundo veja suas boas obras e glorifiquem ao Pai que está nos céus”. Seja sincero, diante de tudo isto, o mundo está glorificando ao Pai que está nos céus? Reflita. O caminho da verdade é blasfemado por causa destes!

O que estamos fazendo com sua igreja meu Senhor; tenha misericórdia Pai, o que estão fazendo com seu doce Espírito Santo.

Vem amado, nos socorra das mãos dos lobos vestidos de ovelhas. Não temos outra esperança ao não ser o repousar sobre sua graça, e de tranquilizar nossa alma contemplando sua humildade. Nossa esperança está em ti Senhor, e não a nós, mas ao Senhor toda glória. “O Senhor conhece quem lhe pertence e afaste-se da iniquidade todo aquele que confessa o nome do Senhor."

LUTO!!!

Fabio Campos