sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Sobre o véu, lá na Bíblia diz para o usarmos; sendo Novo Testamento, por que não o usamos?



Sobre o véu, lá na Bíblia diz para o usarmos; sendo Novo Testamento, por que não o usamos? 

Por Fabio Campos 

Texto base: 1 Co 11:1-16 

Na igreja de corinto havia um movimento “feminista” onde algumas mulheres estavam se rebelando contra seus maridos, reivindicando o mesmo grau de autoridade da dos homens. Em sinal deste protesto, elas raspavam suas cabeças, externando sua posição por meio deste ato. 

O véu significava um sinal de submissão. A cabeça do homem é Cristo e o cabeça da mulher é o homem, e o cabeça de Cristo é Deus (V.3). 

Outra situação ocorrida na época, é que por Corinto ser uma cidade portuária, a demanda por prostituição e escravos por parte dos negociantes era em grande escala. Com a cabeça rapada, a identificação dessas prostitutas era muito mais fácil pelos interessados na prática da prostituição. 

A cultura grega era muito promíscua, tanto é que o verbo “corintianizar” passou a ter uma conotação de “imoralidade”. A cabeça raspada pela mulher, na época, era sinal de promiscuidade e rebeldia. Por isso da carta exortativa de Paulo nessa descrição. 

Entretanto, o uso do véu nunca foi um costume para as igrejas primitivas, a não ser para as mulheres judaicas convertidas ao cristianismo, mas isso é cultura judaica. Não vamos encontrar em nenhum lugar no Novo Testamento esta prescrição para a prática, além desta carta. 

Muitas prostitutas se converteram ao Senhor Jesus Cristo (1 Co.6: 9-11), e estavam levando esta cultura para dentro da igreja. Para que não houvesse escândalos, e para distinção das mulheres cristã naquela cultura, Paulo ordenou o uso do véu, mesmo dizendo que tal costume não era comum na igreja de Deus (V. 16). 

Essa foi uma recomendação para ser adaptada naquela cultura, especificamente para a igreja de Corinto, por mais que em alguns outros lugares a prática era adotada na época, aqui o texto trata a situação no contexto que descrevi, ou seja, o véu era sinal para a distinção das mulheres prostituas e das mulheres cristãs (V. 6), e a submissão de autoridade da esposa para com seus maridos (V. 8-10). 

Algumas igrejas evangélicas adotaram esse costume, em especial a Congregação Cristã do Brasil. Não é normativo para a igreja de Jesus, e por ser uma “doutrina” secundária, a unidade nesta “divergência” deve prevalecer. 

Deus abençoe! 
Fabio Campos

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A GUERRA ENTRE OS “UNGIDOS”


Por Fabio Campos

A reportagem da Record na última semana deu o que falar, não só no meio evangélico, mas em todo o país.

A guerra entre os “ungidos” só está começando; aqueles que defendiam o Edir Macedo e argumentavam que ele era “ungido” do Senhor, agora estão o atacando. E não é só um, juntou um bando de “ungidos” (desculpe pela repetição da palavra no decorrer do texto; se faz necessário) para atacar o “ungido” majoritário. Quanto óleo! Esses dias usaram 12 litros de óleo para ungir tal “apostolo”, mas deixamos isto para outro post.

Responde-me uma coisa: Eles dizem “não toqueis no ungido do Senhor porque a mão de Deus pesará sobre sua vida”. Qual será a consequência desta guerra? Você não acha que é muita maldição que sai da boca desse povo sendo eles de Deus? Mas vamos esperar o desfecho. É como diz a musica do Fernandinho: “Deus está levantando um novo povo, Deus está SACUDINDO toda terra”. Quem sofre as consequências de uma guerra são os inocentes. O problema não é tocar nos “ungidos do Senhor”, mas sim nos pequeninos de Jesus. Todo mundo quer ser o tal, mas com Jesus é diferente; o zelo Dele não é com os tais “ungidos” mas sim com os pequeninos. E ser um pequenino é abrir mão do galardão dos homens visando o de Deus, mas a ânsia de ser apreciado não deixa.

No vídeo existe uma injustiça, esta quanto ao pastor Márcio Valadão, que é homem de Deus, maduro em sua fé, e por causa da sua história merece mais respeito. Creio piamente que só se submeteu a situação por motivos “maiores”, onde Deus os conhece.

Não podemos esquecer que existe apenas um Ungido, Jesus Cristo. A própria palavra “cristo” e “messias” quer dizer “ungido”. Nós estamos debaixo da cobertura do único Ungido. O grande problema do ser humano em geral é o de querer dominar o outro de alguma forma. Seja ela por manipulação, persuasão, influência; mas esta é uma grande tentação, pois é a melhor forma de conseguir algo usando o outro.

Jesus certa vez disse que “quem quiser ser o maior tem que ser o menor”. Os discípulos estavam discutindo quem tinha mais poder, quem era o maior. Disse-lhes Jesus que “entre eles não poderia haver esta disputa, porque devemos chamar apenas um de Pai, o que está nos céus, e os que estão na terra, são todos irmãos, sem privilégios sobre o outro”.

Você que está lendo este artigo, saiba que Deus não está nesta guerra de medalhões. Toda essa bagunça entristece o coração de Deus. O que vocês viram nesta reportagem, e na repercussão, não pode ser associado ao caráter de Deus. Não foi para isto que Jesus morreu na cruz, e nem foi esta igreja que Ele sonhou. O corpo místico de Cristo é perfeito, a instituição quem é falha.

O justo não se justifica. Foi por isso que Ele, o Amado Senhor Jesus, foi para o matadouro CALADO, não buscou os seus direitos. Foi Ele que abriu mão da sua glória, e mesmo sendo Deus, não ousou a ser como Deus, humilhou a si mesmo, tomando forma de homem. A doçura do seu olhar, a calma de suas repostas, a ternura do seu proceder com os indignos, à compaixão para com os necessitados, a preservação da imagem dos seus amigos, o zelo com a casa de Deus e com sua Palavra, estas são algumas de suas muitas características.

Este é Jesus, o Filho de Deus. Tenha uma reflexão: Ele disse: “Assim resplandeça a luz de vocês para que o mundo veja suas boas obras e glorifiquem ao Pai que está nos céus”. Seja sincero, diante de tudo isto, o mundo está glorificando ao Pai que está nos céus? Reflita. O caminho da verdade é blasfemado por causa destes!

O que estamos fazendo com sua igreja meu Senhor; tenha misericórdia Pai, o que estão fazendo com seu doce Espírito Santo.

Vem amado, nos socorra das mãos dos lobos vestidos de ovelhas. Não temos outra esperança ao não ser o repousar sobre sua graça, e de tranquilizar nossa alma contemplando sua humildade. Nossa esperança está em ti Senhor, e não a nós, mas ao Senhor toda glória. “O Senhor conhece quem lhe pertence e afaste-se da iniquidade todo aquele que confessa o nome do Senhor."

LUTO!!!

Fabio Campos

sábado, 12 de novembro de 2011

A SEDUÇÃO DO PECADO


Por Fabio Campos

-“Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido. Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz o pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte ” . Tg 1:115 (NVI)

          A maior desgraça que já aconteceu na humanidade não foi o tsunami, nem a Segunda Guerra Mundial, nem a bomba de Hiroshima. A maior desgraça na existência da humanidade foi à introdução do pecado no coração do homem, na queda no éden.
         A carne jamais será atraída pelas coisas de Deus, antes sua vontade é de fazer tudo o que desagrada ao Senhor.
         Jesus disse que: “Por se multiplicar a iniqüidade o amor de muitos se esfriaria”. Nós contemplamos constantemente o pecado, ele está em todo lugar e, não pense você que o pecado ao qual estou me referindo é somente o sexual, mas há uma lista vasta para eles: idolatria, feitiçaria, inimizades, contendas, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e etc. 
         A força do pecado é grande em nosso coração, quanto mais você pensa nele, mas ele os atrai. É quando nos enganamos dizendo que tais atos são toleráveis, ou relativizamos o que não pode ser relativizado. Se inicia um ciclo vicioso, e aí você vira escravo daquilo que você “dominava”.
        Jesus disse que: “Quem peca é escravo do pecado”. Existem desejos pecaminosos em nosso coração que ainda não foram extirpados. A tentação quando ganha força em nosso ser, é como um computador que trava e mesmo você dando o comando ele não obedece. É assim que o pecado age! Ele não respeita ninguém, não importa seu título na igreja, sua posição hierárquica na sociedade. O que ele quer é acabar com você, e te fazer um dependente dele, ou seja, um derrotado. Suas consequências são desastrosas! Seu final é a morte, destruição por meio de adultérios, divórcios, guerras, ganância, doenças, entre outras coisas. Ele é forte no coração do homem:

      -“De onde vêm as guerras e contendas que há entre vocês? Não vêm das paixões que guerreiam dentro de vocês?” Tg. 4:1(NVI)
     
     Primeiro vem à morte espiritual e depois o morte física, precocemente. O salário do pecado é a morte! Esta aí a recompensa do seu momentâneo prazer. Desgraças mais desgraças.
     Você que está neste lamaçal, passando por lutas terríveis, sem esperança e nem força para resistir às tentações, não desista de você! Deus nunca desiste da gente. Foi para isso que Cristo se fez maldito por nós. Sua morte vicária é ilimitada, seu perdão não tem fim. Você nunca poderá dizer que Deus desistiu de você. Esta é a magnitude da justificação pela fé. E o que é fé? Fé não é determinar o que você quer que aconteça! Nem tão pouco deixar de sentir medos e ansiedades! Mas a grandeza da justificação pela fé é confiar plenamente no caráter de Deus em toda e qualquer circunstância. É confiar que se ele diz: “Aqueles que o pai me enviar, de maneira alguma eu o lançarei fora”. Ele sustentará sua promessa por amor ao seu nome. É crer que “já passou (não tem como ficar passando da morte para a vida toda hora) da morte para a vida” mesmo quando houver falhas. Você acredita mesmo que, se amanhã você cair, está condenado? Arrependeu-se está salvo. Caiu condenado. Se arrependeu, salvo. Pergunto: Quem é o seu salvador? Ele é instável assim como é o seu coração? Que eu o saiba Ele não muda! Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje, e eternamente.
      Fé é lançar suas falhas com arrependimento em Cristo, olhando para a cruz, que é poder de Deus para os que estão salvos e, contrariando as vozes do diabo e a do coração, aceitar a graça de Deus com júbilo. A longanimidade de Deus nos conduz ao arrependimento. Porém, ninguém merece essa graça. Mas ela está disponível a todos aqueles que amarem de todo o coração ao Senhor Jesus Cristo. É por isso que Ele é chamado de Senhor e Salvador. O sangue ainda continua vertendo na cruz, o cordeiro é Santo e justo. O justo morreu pelos injustos. Esses que deixarem de lado sua própria justiça e aceitaram a justiça de Deus.
      Ele te ama! O justo pode cair sete vezes, mas Jesus estenderá sua mão oito vezes. Você tem força, o Espírito Santo é quem te força para dizer não ao pecado; nós somos herdeiros da natureza de Deus, por meio do Seu Espírito, e Nele não há mácula. Portanto, confia neste amor, ame ao seu Senhor, o adore, e lembra-se, Ele tem prazer em te perdoar. “É como se Ele com suas mãos as colocassem em seu rosto dizendo:Levante a cabeça”, olhe para frente, pois hoje eu te dou uma oportunidade para recomeçar”.
      Que Deus te dê o discernimento no espírito desta mensagem, para que você viva por meio da justificação que há em Cristo Jesus, onde nada poderá nos separar deste amor.

Deus abençõe!

Fabio Campos
Soli Deo Gloria!    




domingo, 6 de novembro de 2011

Carta de um apóstolo moderno ao seu discípulo


Por Thiago Ibrahim

O apóstolo Paulo escreveu duas epístolas ao seu discípulo Timóteo com o objetivo de auxiliá-lo em sua difícil responsabilidade de pastorear a igreja de Éfeso. Como bom mentor, em suas cartas Paulo dá vários conselhos muito úteis na doutrinação da igreja e preservação das doutrinas do evangelho de Jesus Cristo.


Olhando então para a realidade da teologia da prosperidade, imaginei como seria uma carta enviada de um apóstolo da prosperidade a um de seus discípulos. O que segue é apenas fruto da observação dessa teologia que tem feito muito mal ao evangelho de Cristo e enganando a muitas pessoas com promessas de vitória e riquezas.


Prezado discípulo,


Com estes conselhos tenho a intenção de ajudar você com dicas práticas que vão te fazer ter sucesso nessa sua nova jornada, agora que você foi por mim ungido apóstolo. Leia-as com atenção e siga cuidadosamente cada dica que você ler aqui.


Evangelista? Anunciador da Salvação? Defensor da Fé? Cuidador de Almas? Pastor? Apascentador? Servidor? Não. Nada disso. Seja, na verdade, animador de auditório e fazedor de média. Existem técnicas para isso. Observe com bastante atenção as dicas e conselhos que se seguem:


Aprenda a como mexer com o ego dos outros. Quanto mais especialista em manipulação de massas você for, mais rico você vai ficar. Cursos para aprender isso? Não, não. Isso você tem que aprender olhando. Veja. Preste atenção no que eu faço, em como eu faço e me imite. Seja um mercador de religião.


Aproveite-se da miséria e da necessidade de alento do ser humano para lucrar e conseguir notoriedade. Isso é muito mais fácil do que você imagina. Pra que falar de Graça? Graça a gente acha mesmo é de ver esses fieis sendo fieis a nós enchendo os nossos cofres e contas correntes de rios de dinheiro, acreditando nos rituais mais bizarros que inventamos. Quer dinheiro mais fácil de ganhar do que esse?


Faça cara de piedoso. Treine. Olhe-se no espelho. Acredite: a quantidade de grana que você vai ganhar é proporcional ao nível de piedade aparentada por você. Fale ao coração, não ao cérebro, mexa com as emoções dos que te ouvem. Faça parecer que você se preocupa com a felicidade do seu fiel. Pode fingir, só não deixe ninguém descobrir que está fingindo. Não tenha pena de ser falso com as pessoas. Se elas não tem pena de enganarem-se a si mesmas, por que você teria?


Esqueça Deus. Essas pessoas não querem Deus, o que elas buscam é ouvir palavrinhas de conforto. Elas querem uma religião que acalente seus corações. E nós temos essa religião. Repita sempre isso: “eu tenho a religião da qual as pessoas precisam para satisfazer as suas próprias necessidades”. Se você pregar Deus, vai espantar as pessoas e, automaticamente vai perder o dinheiro que você tanto almeja e fama que te faz tão feliz e realizado. Aliás, esqueça a soberania. Quem decreta é você e tudo o que você disser a seu favor será realizado. Aconselho-te a ensinar isso também aos seus fieis. Isso ajudará na manipulação deles.


Cartas de Paulo? Não. Nem pensar. Nunca leia Romanos, Timóteo, Gálatas e jamais permita que qualquer pessoa que te segue leia esses livros. Ou melhor: Bíblia nunca, jamais, em tempo algum. Em vez dela é melhor que você use trechos daquele livro que lancei falando sobre finanças e batalha espiritual. Provavelmente, como bom discípulo que é, você já deve ter lido e conhece muito bem como utilizá-lo na doutrinação dos seus seguidores. Se houver a necessidade de usar a Bíblia (isso só deve ser feito para dar maior credibilidade àquilo que você diz) faça uso das bênçãos e maldições que Deus fez a Israel lá no Antigo Testamento. Elas são muito úteis quando se quer manipular pessoas. Mas não passe disso. Cuidado ao usar a Bíblia, pois se as pessoas começarem a ler esse livro serão libertas. E não é isso que nós queremos, não é mesmo?


Assuma um título superior; Apóstolo, no mínimo. Isso vai te ajudar a dominar as pessoas e expressar uma maior intimidade com Deus, já que é isso que as pessoas procuram. Elas querem seguir pessoas que demonstrem intimidade com Deus, em vez de buscarem elas mesmas terem intimidade com Ele. Demonstre autoritarismo. Essa é a principal característica de um líder no negócio em que você está sendo iniciado. A sua palavra tem que ser sempre a última e jamais volte atrás no que você disser. A não ser que a mudança resulte em lucro significativo para você.


Aprenda a dominar os seus seguidores. Use chavões, eles sempre funcionam. Lobotomia disfarçada. Posicione-se como ungido de Deus, assim as pessoas terão medo de discordar daquilo que você fala. Profetize sentenças para aqueles que discordarem ou se rebelarem contra aquilo o que você diz. Essa é uma das maneiras mais simples de fazer com que um seguidor seu se afaste e não dê ouvidos aos questionadores.


Por fim, caro discípulo, saiba que existem 3 formas de dominar as pessoas com a religião: pelo medo, pela culpa ou pela ganância. Esse é o tripé que deve sustentar a sua carreira. Fazendo uso dessas três ferramentas poderosíssimas, você será rico, bem sucedido e muito amado por seus fãs e fieis seguidores.


Bons negócios e prosperidade!


Comentário Fabio Campos:


O grande problema da teologia da prosperidade não é a prosperidade e sim a teologia. A prosperidade bíblica é benção de Deus. Porem, este movimento têm doutrinas nocivas à fé cristã, como é o caso da “confissão positiva”, “o endeusamento do homem na figura do seu líder”, “a judaização da igreja neo-testamentária”, “a batalha espiritual por meios esotéricos”, “o poder dado a objetos físicos”, entre outras”.


Mas Fabio, lá há milagres, cura, prodígios e maravilhas. Fico com as palavras de Lutero:


- "Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias".


Sabe por que esses ensinos espúrios devem ser rejeitados? Porque as palavras a seguir não são de Lutero, Calvino, Wesley, Spurgeon, nem de Paulo e nem de Pedro, mas sim do Rei da Glória, aquele que era, é, e há de vir:


- Mt 7:15 / “Cuidado com os falsos profetas. Eles vêm a vocês vestidos de peles de ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores”. / 21-23: “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres? ’Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!

Pense nisso!

Soli Del Gloria!
Fabio Campos