domingo, 29 de maio de 2011

A ARMARGURA DO TER SEM DESFRUTAR. Uma exegese de Ec. 6


Ec. 6:12 (NVI) "Pois, que sabe o que é bom para o homem, nos poucos dias vazios da sua vida, em que ele passa como uma sombra? Quem poderá lhe contar o que acontecerá ebaixo do sol depois que ele partir?"

O homem tolo junta riquezas para si (Lc. 12:20). Deus o dá, mas ele não tem prazer no seu desfrutar. O homem pode conquistar muitas coisas (graça comum), mas a alegria produzida na alma em se ter as mesmas vêm de Deus.

Deus quer que desfrutemos e nos alegremos com o que temos no momento. Salomão compara o homem rico que não consegue ter prazer nos seus bens, com uma criança que ainda não nasceu; os dois vão para o mesmo lugar, a sepultura, porém, o rico que não teve a alegria do que lhe foi concedido aqui na terra, (não estou falando apenas de coisas materiais), é comparado em situação pior que, o que não nasceu, ou seja, é melhor ser um natimorto do que viver uma vida longeva. O que nasceu e vive nessa situação, a de insatisfação, acaba se tornando um escravo da sua própria miséria no contemplar das coisas dadas por Deus. Já o aborto não contemplou nada disso, esse é poupado das fadigas que são impostas debaixo do sol.

O homem é escravo dos seus próprios apetites. Todos nós temos que comer para nosso fortalecimento físico. O nosso esforço, trabalho nessa terra, são para nossa provisão diária, apenas para saciar nossos apetites, sendo que os mesmos jamais serão satisfeitos. Você tem que comer todos os dias, e para isso você precisa de recurso; mas para obter o recurso, você precisa trabalhar; para trabalhar você precisa comer. Enfim, o homem é escravo dos seus próprios apetites. Todos têm as mesmas necessidades, mas não os mesmos desejos. As necessidades não mudam, pois foram criadas por Deus. Temos que examinar se os nossos desejos estão alinhados com as necessidades criadas por Deus.

É melhor contemplar o que se tem, do que ficar sonhando sem ter alegria no atual momento em que se vive. Pior ainda é ficar se lamentando pelo que se tem, desejando ansiosamente por algo que ainda está longe.

O bom é se entregar à vontade de Deus, Ele conhece o fim antes do começo, e tudo está no seu controle.

Quanto mais se tenta explicar o momento, maiores são as chances dos dizeres tolos.

Viva o momento com alegria, por pior que pareça sua situação. A alegria provinda de Deus vem por meio da sua presença constante em nossas vidas. Deus por meio de Cristo reconciliou o mundo consigo mesmo, não levando em conta os pecados cometidos anteriormente pelos homens. A alegria está na reconciliação do relacionamento com Deus, o qual foi quebrado com o pecado original.

Em Cristo habita corporalmente toda a plenitude da divindade. Em Cristo não há espaço para murmurações, Nele somos completos.

Torne sua vida mais simples, reconheça que tudo é graça e que as coisas são conquistadas somente pela graça de Deus. É essa graça que nos motiva a viver de modo digno para com Deus, agradando a Ele em tudo, frutificando em toda boa obra, tendo a alegria no espírito, principalmente a do desfrutar.

Deus abençoe.

Soli Deo Gloria!
Fabio Campos

segunda-feira, 9 de maio de 2011

E O VERBO SE FEZ CARNE


Texto base: Jo. 1: 1-18
Jo: 1. 14 (R.C) – “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai”
Jesus antes da sua encarnação era a Palavra, Ele era Deus, continua sendo Deus, e pra sempre será o Todo Poderoso.
A palavra (Verbo gr. Logos) não denota o logos de Platão, que significava a ideia universal e absoluta, nem de Filo, que identificava o logos com a sabedoria de Deus. Logos para João é uma pessoa, que comunica a realidade de Deus aos homens pela sua encarnação e sacrifício na cruz. Sendo Deus, o logos é a perfeita expressão de Deus.
A palavra (logos) estava na boca dos profetas, e o seu testemunho é descrito de Gênesis à Apocalipse. Jesus é o logos de Deus, pois as profecias acerca da palavra se cumpriram quando o verbo se fez carne, e habitou na terra, cheio de graça e verdade.
Deus fez todas as coisas por intermédio da palavra, Jesus Cristo é a palavra. Sem Ele nada do que foi feito tornaria a ser real, pois no PRINCÍPIO era o verbo (logos), o verbo estava com Deus, e o VERBO ERA DEUS. Ele é o criador de tudo e de todos.
Cristo veio trazer a luz aos homens, para que vissem que suas obras eram más, e se arrependenssem dos seus pecados. A palavra é a luz. Ela é a lâmpada para os nossos pés, e luz para o nosso caminho.
A palavra é vida, a vida estava com Deus, e foi manifesta na carne por meio de Jesus. Deus já não é mais conhecido apenas por meio da palavra dos profetas do antigo testamento. A revelação do antigo testamento era perfeita, mas incompleta. Jesus tornou Deus uma realidade entre os homens, pois Ele mesmo disse "quem o visse estaria vendo o pai que o enviou". O logos se fez carne e habitou entre nós.
A palavra dos profetas já não é mais apenas o verbo, agora ela é o Deus encarnado, a profecia se cumpriu. Deus veio pessoalmente resgatar o seu povo da perdição e da condenação eterna. Ele se deu para o resgate de muitos e não de todos.
O verbo se fez carne, trazendo vida eterna para todos aqueles que zelam por ela, e a praticam, pois Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que TODO o que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Deus abençoe!
Fabio Campos
Sola Scriptura