segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

E AGORA O QUE RESPONDO?



2 CO 10: 4-7 (RA) “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo”.
Quem na caminhada cristã nunca foi questionado, ou encurralado com questionamentos e argumentos de arrepiar até o ultimo pêlo da perna, por parte dos incrédulos? São vários do tipo; se Deus é tão bom, porque há tanta maldade no mundo; todas as religiões levam a Deus; a Bíblia está desatualizada para os dias de hoje; a Bíblia foi falsificada e escrita por homens (realmente foi escrita por homens inspirados pelo Espírito de Deus, pois não poderia ter sido escrita por anjos).
Muitas das vezes quando entramos em uma situação parecida com as que foram citadas, nossa primeira reação é de nos armarmos de argumentos, refutando-os de alguma forma o que foi dito por tal pessoa.
Na igreja de corinto, o apostolo Paulo se encontrava em uma situação um pouco parecida. Sua autoridade foi questionada por falsos mestres, tentado convencer seus liderados de que, quando ele estava presente agia com brandura, mas quando ausente, através de cartas, agia com rigidez por coação.
Paulo poderia muito bem usar seus próprios argumentos para combater esses sofismas (aparente verdade, não conclusiva, que leva ao erro), mas preferiu não se igualar, ou melhor, não se rebaixar como aqueles falsos mestres. Ele se abdicou de seus conhecimentos humanos para defender seu apostolado, preferindo argumentar através do poder que se encontra nas Santas Escrituras.
Muitos argumentos contra a palavra de Deus virão. Argumentos de todas as religiões, principalmente das que não têm a Bíblia como a única regra de fé.
Não se intimide com esses sofismas. Deus não precisa ser defendido e muito menos explicado com argumentos humanos. Ele te conhece e se você o ama de todo coração, seu ministério e seu chamado já foram aprovados por Ele. Levanta-se apenas como um guerreiro forjado por Jesus Cristo, com a palavra escrita em seu coração, não usando seus próprios argumentos. Entenda o que ela quer dizer, não tire versículos isolados conjecturando a palavra de Deus, usando da forma que você acha estar certo. Pregue-a do jeito que ela tem que ser pregada; deixe o Espírito Santo convencer o ouvinte do pecado e do juízo; seja bíblico em seus argumentos; não seja igual “piolho” que anda de cabeça em cabeça; tenha convicção do que você esta dizendo.
Você não precisa de filosofias, argumentos sapienciais, para destruir esses sofismas malignos. Tenha somente a palavra de Deus e a direção do Espírito Santo, como diz em 1 PE 3:15 (NVI) “Antes santifiquem a Cristo como Senhor em seu coração. Estejam preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês”.
Tenho certeza, alias, a Bíblia é que me da o respaldo de dizer que, agindo dessa forma, a palavra que sair de sua boca, atingirá o coração de seus ouvintes. Não porque ela tem algum poder em si mesma, mas as palavras ditas serão as de Deus, e essas não poderão voltar vazias, mas antes cumpre todos os seus propósitos, pois Ele (Deus) é soberano e jamais poderá ser compreendido com a nossa mente finita.
Deus abençoe!
Fabio Campos
Sola Scriptura

Um comentário:

  1. Deus abençoe!
    Realmente o único meio de aprender a nos posicionarmos é através da Palavra D´Ele e com a presença do Espirito Santo.
    Desta forma, muitos Cristãos deixaram de ser roubados em suas vidas espirituais e com isso o inferno retrocede e o exército de Cristo é fortalecido.
    Que o Senhor derrame sabedoria e entendimento na sua vida.
    Priscila Rios

    ResponderExcluir